Procedimento para a construção de uma audiodescrição congelando a tela: um estudo de caso para ensinar conceitos de física

Autores

  • Sabrina Gomes Cozendey Doutora em Educação Especial. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Pesquisadora Associada. São Carlos – SP – Brasil.
  • Maria da Piedade Resende da Costa Doutora em Psicologia (Psicologia Experimental). USP – Universidade de São Paulo. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. São Carlos – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v9i4.7463

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo descrever o desenvolvimento de um procedimento para uma audiodescrição de um recurso educativo para o ensino de Física distribuído pelo Ministério de Educação (MEC). Para isso utilizou uma estratégia não muito comum ao fazer a audiodescrição: o congelamento da tela. O vídeo audiodescrito foi testado em dois momentos, primeiro com um grupo de 14 pessoas que eram cegas ou tinham baixa visão. Em um segundo momento o vídeo audiodescrito foi testado junto a uma turma da Educação de Jovens e Adultos (EJA) que tinha um aluno com baixa visão incluído. Os resultados apontam que a audiodescrição feita em momentos em que a tela é congelada pode ser uma solução para audiodescrever vídeos prontos, que não tenham intervalos suficientes entre as falas para que a audiodescrição seja feita. Os alunos cegos consideraram a estratégia diferente, alguns gostaram mais que outros, contudo a estratégia foi aprovada, pois a audiodescrição cumpria com sua função: tornava verbal o que era apresentado visualmente. Para os alunos da EJA o congelamento da tela não é visto como incomodo, e não atrapalhou o processo de ensino e de aprendizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27/04/2015

Como Citar

COZENDEY, S. G.; COSTA, M. da P. R. da. Procedimento para a construção de uma audiodescrição congelando a tela: um estudo de caso para ensinar conceitos de física. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 9, n. 4, p. 782–803, 2015. DOI: 10.21723/riaee.v9i4.7463. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7463. Acesso em: 5 ago. 2021.

Edição

Seção

Artigos