Saúde da mulher encarcerada: uma proposta de intervenção, amor e vida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.3.2017.8434

Palavras-chave:

Prevenção Alfabetização científica. Qualidade de vida. Mulheres encarceradas. Cariri.

Resumo

Identificar e entender a situação das mulheres encarceradas e o acesso à saúde no sistema prisional. O estudo foi conduzido por uma profissional de saúde (enfermeira) e com a participação de vinte alunos do curso de enfermagem de uma universidade particular. Os dados foram coletados em entrevistas e as respostas escritas e agrupadas em categorias por meio da análise de conteúdo; foram estudadas 38 mulheres reclusas na faixa etária de 18 a 40 anos. Identificou-se os dados socioeconômicos, assim como os discursos das mulheres reclusas, que revelaram o ponto de vista sobre a atenção, prevenção e promoção à saúde recebida no presídio, o conhecimento sobre as doenças sexuais que as acometem, assim como o tratamento e educação em saúde, opiniões sobre as campanhas e propagandas do Ministério da Saúde direcionadas à mulher e interesses sobre assuntos para serem discutidos em próximos encontros. Este estudo revela a importância de políticas públicas que estabeleçam estratégias de prevenção e promoção à saúde na busca por uma qualidade de vida destas mulheres.  

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERBEL, N. N. “Problematization” and Problem-Based Learning: different words or different ways? Interface — Comunicação, Saúde, Educação. (2)2, 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/icse/v2n2/08.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2015.

BERTONE, T. B.; RIBEIRO, A. P. S.; GUIMARÃES, J. Nursing-Patient Interpersonal Relationship Considerations. Revista Fafibe On Line. (3):1-5. 2007. Disponível em: <http://www.unifafibe.com.br/revistasonline/arquivos/revistafafibeonline/sumario/11/19042010141352.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2015.

BRAUNSTEIN, H. R. Gender and imprisonment: the imprisonment of women in the brazilian penitentiary system. Congress of social pedagogy and pos-graduante symposium. 1(2):1-15, 2009.

BRAZIL. Ministry of Health. Secretariat of Health Care. Department of Strategic Programmatic Actions. National Policy of Integral Attention to Women's Health: Principles and Guidelines. (1):1-82, 2004.

BRIGUENTI, E. C.; CARLOS, M. C. C.; BATISTA, S. M. T. D. A critical appreciation of the female prison: the intervention of social service in the light of freedom. Seminário Integrado. (03):77-94, 2009.

CAMARGO, V. Reality of the prison system in Brazil. Âmbito Jurídico. 2006.

CAREGNATO, R. C. A.; MUTTI, R. Qualitative research: discourse analysis versus content analysis investigación cualitativa: análisis del discurso versus análisis del contenido. Texto Contexto Enferm. 15(4): 679-84. 2006.

CASTRO, A. E. D.; SOARES E. M. C.; MOURA F. M. J. S. P. Legal devices and policies aimed at the health of women in prison. 2011.

COLOMBO, A. A.; BERBEL, N. A. N. The Methodology of Problematization with the Arch of Maguerez and its relation with the knowledge of teachers. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 28(2):121-146. 2007.

COSTA, A. A. A. The feminist movement in Brazil: dynamics of a political intervention. Revista Gênero. 5(2):1-20. 2005.

FERNANDES, I. A. D.; OLIVEIRA, P. E. V. Violation of human dignity in the face of the precariousness of the brazilian penitentiary system. Direito e desenvolvimento. 6(12):63-82. 2016.

GHADER, M. T. R. M. The privatization of the brazilian prison system. Âmbito Jurídico. 2011.

GRINCHPUM, A. P. L.; MARTINS, V. L. Brazilian prison system: the context experienced by women in prison. 9(8):1-18. 2016.

MIRANDA, A. E.; MERÇON-DE-VARGAS, P. R.; VIANA, M. C. Sexual and reproductive health in female penitentiary, Espírito Santo, Brazil. Rev. Saúde Pública. 38(2):255-60. 2004.

OLIVEIRA, E. P. T. Women in conflict with the law: the re-signification of gender identities in a prison context. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. 2(9):391-414. 2009.

SOUTO, K. M. B. The policy of integral attention to women's health: an analysis of integrality and gender. Ser social. 10(22): 161-182. 2008.

SOUZA, M. O. S.; PASSOS, J. P. The nursing practice inside the penal system: limits and possibilities Rev. Enferm. 12(3):417-23. 2008.

SPAGNUOLO, R.S.; TORALLES-PEREIRA, M. L. Health practices in nursing and communication: a literature review study. Ciência & Saúde Coletiva. 6(12):1603-1610. 2007.

STRAZZA, L.; MASSAD, E.; AZEVEDO, R. S.; CARVALHO, H. B. Study of behavior associated with HIV and HCV infection in prisoners from a prison in São Paulo, Brazil. Cad. Saúde Pública. 23(1):197-205. 2007.

Downloads

Publicado

05/07/2017

Como Citar

Teixeira, M. M. de S., Lemos, S. M. A., Bento, E. B., Souza, D. O. G. de, & Schetinger, M. R. C. (2017). Saúde da mulher encarcerada: uma proposta de intervenção, amor e vida. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 12(3), 1659–1673. https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.3.2017.8434

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)