Letramento: processos educacionais no contexto social e político

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8816

Palavras-chave:

Letramento. Periódicos. Desigualdades. Psicologia educacional.

Resumo

O presente artigo apresenta reflexões sobre uma pesquisa em desenvolvimento que propõe analisar discursos referentes a letramento. A pesquisa considera as produções elaboradas no período compreendido entre 1995 e 2015. O estudo está sendo feito por meio de uma consulta sistemática buscando identificar e catalogar artigos sobre essa temática em periódicos indexados do país. O exercício de recuperação analítica da produção sobre letramento no Brasil tem um início que o demarca e que prossegue de maneira ampliada com esta pesquisa. Como tais publicações situam o conceito de letramento? Que configurações sobre as desigualdades de gênero, étnico-raciais e idade são possíveis de se apreender em publicações sobre letramento? Quais temas, áreas do conhecimento e nível de ensino têm ocupado com maior frequência essas publicações? Teoricamente está pesquisa será referenciada por autores que dão ênfase à necessidade de se considerar o ambiente social em que o sujeito está interagindo, isto é, suas práticas de leitura e escrita, voltadas às necessidades de uso social (SOARES, 2001; KLEIMAN, 1995; AZEVEDO, 2007). A perspectiva da pesquisa é adotar como método a hermenêutica de profundidade (HP) – proposta de Thompson (2011), bem como dos aportes metodológicos de Bardin (2011).

Biografia do Autor

Marcos Antonio Batista da Silva, Universidade de Coimbra- Centro de Estudos Sociais(CES)

Doutor e Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, com pós-doutorado em Psicoloiga Educacional pelo Centro Universitário Fieo. Atualmente é pós-doutorando no Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra,Portual. Tem formação em educação para as para relações étnico-raciais.

Cleomar Azevedo, Centro Universitário FIEO (UNIFIEO)

Doutora em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós Doutorado em Ciências Sociais pela PUC-SP. Mestre em Educação pela Universidade de São Paulo-USP. É Professora e pesquisadora  do Programa de Psicologia Educacional do Centro Universitário FIEO.Osasco,SP. Atua na área de Psicologia Educacional,Psicopedagogia,Educação, com ênfase em Alfabetização. Em sua produção científica, os termos mais frequentes são:Psicologia Educacional,Psicologia Social, Psicopedagogia, Aprendizagem, Alfabetização, Escrita, Leitura, Diagnóstico, Intervenção, Jogos, Psicanálise e Auto-Estima.

 

Referências

ALBERNAZ, A; FERREIRA, F.; FRANCO, C. Qualidade e equidade na educação fundamental brasileiro. Pesquisa e planejamento econômico, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, p. 453-476, dez., 2002.

ARTES, A. Desigualdades de cor/raça e sexo entre pessoas que frequentam e titulados na pós-graduação brasileira: 2000 e 2010. In ARTES, A.; UNBEHAUM, S.; SILVÉRIO, V. (org). Ações Afirmativas no Brasil: reflexões e desafios para a pós-graduação. 1ª ed., São Paulo: Cortez Editora, 2016, v. 2, p. 19-59.

ARTES, A.; RICOLDI, A.M. Acesso de negros sem ensino superior: o que mudou entre 2000 e 2010. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 45, n. 158, p. 858-881, dez., 2015.

AZEVEDO, C. Ler e escrever: um direito de todos. Acolhendo a Alfabetização nos Países de língua portuguesa, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 6-18, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 1ª ed., Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Capa de Edições 70, 2011.

BORGES, F. G. B. Um olhar rizomático sobre o conceito de letramento digital. Trab. linguista. Apl., Campinas, v. 55, n. 3, p. 703-730, dez., 2016.

BRASIL. Inep. Brasília, Disponível em <http://portal.inep.gov.br/web/portal-ideb>. Acesso em: 30 abr. 2016.

________. Relatório Educação Para Todos No Brasil - 2000-2015. Brasília, MEC. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br>. Acesso em: 30 abr. 2016.

BUZATO, M. K. Letramento e inclusão: do estado-nação à era das TIC. DELTA, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 01-38, 2009.

CÉSAR, C.; SOARES, J. Desigualdades acadêmicas induzidas pelo contexto escolar. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 18, n. 1/2, p. 97-110, 2001.

FERRÃO, M. E. et al. O Saeb – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica: objetivos, características e contribuições na investigação da escola eficaz. Revista de Estudos de População, vol. 18, n. 1/2; p.111-130, 2001.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 10ª ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

FREITAS, M. T. Letramento digital e formação de professores. Educ. rev., Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 335-352, dez., 2010.

KATO, M. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. 2ª ed., São Paulo: Ática, 1986. p.144.

KLEIMAN, A. B. Os significados do letramento: uma perspectiva sobre a prática social da escrita. 6ª ed., Campinas: Mercado de letras, 1995.

PAIXÃO, Marcelo. (Org.). Relatório anual das desigualdades raciais no Brasil: 2009-2010. Rio de Janeiro, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

RIBEIRO, V.M. Alfabetismo funcional: referências conceituais e metodológicas para a pesquisa. Educ. Soc., Campinas, v. 18, n. 60, p. 144-158, dez. 1997.

ROSA, F. G. M. G.; ODDONE, N. Políticas públicas para o livro, leitura e biblioteca. Ci. Inf., Brasília, v. 35, n. 3, p. 183-193, dez. 2006.

ROSEMBERG, F.; BAZILLI, C.; SILVA, P.V. B. Racismo em livros didáticos brasileiros e seu combate: uma revisão da literatura. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 125-146, jan/jun, 2003.

ROSEMBERG, F.; MADSEN, N. Educação formal, mulheres e gênero no Brasil contemporâneo. In: BARSTED, L. L.; PITANGUY, J. (Org.). O Progresso das Mulheres no Brasil 2003–2010. Rio de Janeiro/Brasília: Cepia/Unesco, v.1, p. 390-433, 2011.

SILVA, M.A.B. Discursos étnico-raciais de pesquisadores/as negros/as na pós-graduação: acesso, permanência, apoios e barreiras. 2015. 240 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 3 fev. 2016.

SOARES, J. F.; ALVES, M. T. G. Efeitos de escolas e municípios na qualidade do ensino fundamental. Cadernos de Pesquisa, v. 43, p. 492-517, ago., 2013.

SOARES, J. F.; COLLARES, A. C.M. Recursos familiares e o desempenho cognitivo dos alunos do ensino básico brasileiro. Dados, Rio de Janeiro, v. 49, n. 3, p. 615-650, 2006.

SOARES, M. Novas Práticas de Leitura e Escrita: Letramento na Cibercultura. Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 81, p. 143-160, dez.,2002.

SOARES, M. Letramento e Escolarização. In: RIBEIRO, Vera Masagão (Org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Global, 2004.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 2ª ed., Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

TEIXEIRA, M. P. Negros na universidade - identidade e trajetórias de ascensão social. 1ª ed., Rio de Janeiro, Pallas, 2003.p. 265. Lisboa: Capa de Edições 70, 2011.

TFOUNI, L.V. Adultos não-alfabetizados: o avesso do avesso. 1986. 240f. Tese (Doutorado em Ciências), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 18 ago. 1986.

THOMPSON, J.B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. 9ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

Downloads

Publicado

15/10/2017

Como Citar

SILVA, M. A. B. da; AZEVEDO, C. Letramento: processos educacionais no contexto social e político. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 4, p. 2138–2154, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8816. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8816. Acesso em: 4 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos