A teoria histórico-cultural e os pressupostos metodológicos de Celestin B. Freinet na educação infantil

Flávia Cristina Oliveira Murbach de Barros

Resumo


Este trabalho adveio da pesquisa de Doutorado, cujo objetivo foi compreender qual o sentido que as crianças pequenas (última etapa da Educação Infantil) atribuem à escola diante das vivências a elas oferecidas por meio de diferentes propostas pedagógicas. Para esse estudo, foi selecionado a experiência de uma escola freinetiana. Primeiramente, contextualizou-se a cultura escolar, o sentido pessoal via Teoria histórico-cultural, aspectos da teoria Freinet e, finalmente, aspectos gerais da escola pesquisada / entrevistas. As vivencias contribuem para a sua formação autônoma, crítica e participativa das crianças atrelada à produção do sentido humanizador de escola.


Palavras-chave


Educação Infantil. Vivências. Práticas Educativas. Freinet. Produção de sentidos.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, F. C. O. M. de. Qual é o sentido da escola para as crianças da Educação Infantil? Algumas práticas pedagógicas. Novas Edições Acadêmicas, São Paulo, 2015.

BARROS, F. C. O. M. Cadê o brincar? da Educação Infantil para o Ensino Fundamental. Cultura Acadêmica, São Paulo, 2009.

BARROS, F. C. O. M. Qual o sentido da escola de Educação Infantil para as crianças? Algumas questões norteadoras. In: I Congresso Internacional sobre a Teoria Historico-cultural e 11º Jornada do Núcleo de Ensino de Marilia. Marilia: Unesp, 2012. v. 11. p. 1-15.

BARROS, F. C. O. M. Práticas pedagógicas na educação infantil: a construção do sentido da escola para as crianças 2014, 164f Tese.Doutorado em Educação - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências. Marília, 2014.

SILVA, G. F. BARROS, F. C. O. M de; RAIZER, C. M. As implicações pedagógicas de Freinet para a educação infantil: das técnicas ao registro. In: VI COPEDI Congresso Paulista de Educação Infantil e II Congresso Internacional de Educação Infantil. São Paulo: USP, 2012.

BJORK, C. Linéia no jardim de Monet. São Paulo: Salamandra, 1992.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Porto Alegre: Teoria & Educação, v. 2, p. 177-229, 1990.

DAVIDOV, V. La ensenãnza escolar y el desarrollo psiquico: investigación teórica y experiental. Progreso, Moscú: 1988.

DEAL, T.; PETERSON, K. Strategies for building school cultures: Principals as symbolic leaders. In: SASHKIN, M.; WALBERG, H. (Eds.). Educational leadership and school culture. Berkeley, CA: McCutchan, 1993. p. 89-99.

FORQUIN, J-C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FREINET, C. As técnicas Freinet da Escola Moderna. Lisboa: Estampa, 1973.

FREINET, C. Ensaios de Psicologia sensível. São Paulo: Martins Fontes,1998

JULIÀ, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 1, p. 9-43, 2001.

LAMPERT-SHEPEL, E. The Definition of School Culture. S & C III. Fall, 2008. From The Language of Learning: A Guide to Education Terms, by J. L. McBrien and R. S. Brandt. Alexandria, VA: Association for Supervision and Curriculum Development, 1997. p. 89.

LEITE, I. Emoções, sentimentos e afetos (Uma reflexão sócio-histórica). Araraquara: Junqueira & Marin, 2005.

LEONTIEV, A. N.. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizontes, 1978a.

MARX, K; ENGELS, F. O Capital. Crítica da Economia Política. Livro 3, volume VII. 4. ed. Rio de Janeiro: Difel, 1984.

MARX, K; ENGELS, F. Actividad, Consciencia y Personalidad. Buenos Aires: Ciencias Del Hombre, 1978b.

MARX, K; ENGELS, F.Atividade, Consciência y Personalidad. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1980.

MELLO, S. A. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 83-104, jan./jun., 2007.

OLIVEIRA, Z. R de. Os primeiros passos na construção das idéias e práticas de educação infantil. In: OLIVEIRA, Z. R de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002. p. 57-70.

PLANO ESCOLAR. Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental Oca dos Curumins, São Carlos, 2011.

ROBBINS, P.; ALVY, H. The principal’s companion. Thousand Oaks, CA: Corwin Press, 1995.

SAMPAIO, R. M. W. F. Freinet: evolução histórica e atualidades. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1989.

VIÑAO FRAGO, A. Historia de la educación y historia cultural: posibilidades, problemas, cuestiones. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 0, p. 63-82, 1995.

VYGOTSKI, L. S. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Tradução de Zoia Ribeiro Prestes. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, Rio de Janeiro, n. 8, p. 23-36, jun. 2008.

VYGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VYGOTSKI, L. S. Pensamento e palavra. In: VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Traducción de Lidia Kuper. Madrid: Visor, 2001b. v. II, p. 287-348.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.esp.1.2017.9670



Direitos autorais 2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.