A reforma da gestão das redes estaduais de Goiás e do Rio de Janeiro sob a égide da Nova Gestão Pública

Sheila Santos de Oliveira, Miriam Fábia Alves

Resumo


Este artigo se propõe a refletir sobre duas reformas educacionais que foram realizadas a partir do ano de 2011 nos estados de Goiás e Rio de Janeiro, respectivamente conhecidas como “Pacto Educacional Todos pela Educação: um futuro melhor exige mudanças” e “Gestão Escolar Profissionalizada”. O foco da análise foi a gestão gerencial proposta por essas reformas e os seus desdobramentos na organização escolar. A análise foi realizada a partir dos documentos que balizaram as reformas nos dois estados e permitiu concluir que em Goiás e no Rio de Janeiro, os princípios da eficiência e da eficácia, pautadas em resultados mensuráveis, têm influenciado a educação pública estadual, sobretudo pelo controle do trabalho docente por meio da avaliação, do sistema de responsabilização e bonificação. Intensificam-se, a partir da adesão dos governos, os argumentos da Nova Gestão Pública a favor de alterações nas relações Estado/Sociedade e consequentemente, Escola.

Palavras-chave


Nova Gestão Pública. Pacto Educacional. Gestão Escolar Profissionalizada. Goiás. Rio de Janeiro.

Texto completo:

PDF XML

Referências


AFONSO, A. J. Avaliação educacional: regulação e emancipação: para uma sociologia das práticas avaliativas contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2000.

BRASIL. Plano de Gestão do PPA 2012-2015, Brasília: 2011.

BRASIL. Plano de Gestão do PPA 2008-2011, Brasilia: 2007.

BRASIL. Plano de Gestão do PPA 2004-2007, Brasilia: 2004.

BRASIL. Plano Diretor Plano Diretor da Reforma da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, 1995.

ARNOY, M. Mundialização e reforma da educação: o que os planejadores devem saber. Brasília: UNESCO, 2002.

CURY, R. J. C. A educação básica no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 80, setembro, 2002

DOURADO, L. F. Políticas e gestão da educação básica no Brasil: limites e perspectivas. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 921-946, out. 2007.

GOIÁS, Estado de. Secretaria Estadual de Educação. Pacto pela educação: um futuro melhor exige mudanças. Disponível em: http://www.seduc.go.gov.br/especiais/pactopelaeducacao/default.asp. Acesso: 13 out. 2017.

HOOD, C. A public management for all seasons? Public Adinistration, v. 69, Spring, 1991, p. 3-19. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/47906982/A-Public-Management-for-All-Seasons. Acesso em: 25 maio 2017.

MONS, N. Effets théoriques etréels des politiques d’évaluation standardisée. Revue française de pédagogie, 169 octobre-décembre, 2009.

OLIVEIRA, D. A. Nova gestão pública e governos democrático-populares: contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 132, p. 743-758, jul./set., 2015.

REZENDE, F. C. Desafios gerenciais para a reconfiguração da administração burocrática brasileira. Sociologias, Porto Alegre, ano 11, nº 21, jan./jun., 2009, p. 344-365.

RIO DE JANEIRO, Relatório de Gestão e Políticas Públicas, 2014.

ROBERTSON, S.; VERGER, A. A Origem das Parcerias Público Privada na Governança Global da Educação. Educ. Soc., Campinas, v. 33, n. 121, p. 1133-1156, out./dez., 2012.

VERGER, A; NORMAND, D. Nueva gestión pública y educación: elementos teóricos y conceptuales para el estudio de un modelo de Reforma Educativa Global. Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 132, p. 743-758, jul./set., 2015.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v22.nesp1.2018.10789



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.