Conhecimento de gestores da educação infantil sobre aceleração para alunos com altas habilidades/superdotação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v23i3.12645

Palavras-chave:

Aceleração, Altas habilidades/superdotação, Educação infantil.

Resumo

A aceleração é uma prática educacional que objetiva adequar o nível de conhecimento do aluno com altas habilidades/superdotação a um contexto curricular ajustado à suas necessidades. Assim, sugere-se que educadores estejam capacitados sobre a temática de altas habilidades/superdotação para o apoio pedagógico. O presente estudo teve o objetivo principal de verificar e analisar a existência de conhecimento de gestores de escolas de educação infantil sobre a aceleração de alunos com altas habilidades/superdotação. Como objetivos específicos: a) verificar se os gestores conhecem as modalidades de aceleração para alunos com altas habilidades/superdotação; e b) averiguar se os gestores demonstram-se favoráveis ou não quanto à aceleração. Tratou-se de uma pesquisa descritiva de caráter qualitativo, que fez uso do questionário para a coleta de dados. Os resultados apontaram uma visão limitada dos gestores participantes sobre a temática de altas habilidades/superdotação e escasso conhecimento sobre a aceleração como forma de atendimento especializado para esse público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Paulino Braz, Universidade Federal de São Carlos

Graduanda do curso de Licenciatura em Educação Especial, na Universidade Federal de São Carlos.

Rosemeire de Araújo Rangni, Universidade Federal de São Carlos

Professor Adjunto 4. Departamento de Psicologia.

Referências

ALENCAR, E. S.; FLEITH, D. de S. Superdotados: determinantes, educação e ajustamento. 2. ed. São Paulo: EPU, 194., 2001.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

BRASIL. Saberes e Práticas da Inclusão. Desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos com altas habilidades/superdotação. Brasília: Ministério da Educação, SEESP, 2. ed., 143 p., 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/altashabilidades.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

BRASIL. Política Nacional da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, de 7 de janeiro de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 36 p., 2010. Disponível em: http://ndi.ufsc.br/files/2012/02/Diretrizes-Curriculares-para-a-E-I.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

BRASIL. Dúvidas mais frequentes sobre a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Infantil, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=8169-duvidas-mais-frequentes-relacao-educacao-infantil-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 nov. 2018.

COLANGELO, N.; ASSOULINE, S. G.; GROSS, M. U. M. (Ends.). A nation deceived: How schools hold back American’s brightest students (Vol. I.) Iowa, IA: The Connie Belin & Jacqueline N. Blank Internacional Center for Gifted Education and Talented Development. 2004. Disponível em: http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED535137.pdf. Acesso em: 12 mar. 2019.

FLEITH, D. S. Altas habilidades e desenvolvimento socioemocional. In: FLEITH, D. S.; ALENCAR, E. M. L. S. (Orgs.) Desenvolvimento de talentos e altas habilidades. Orientação para pais e professores. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 408 p., 2009.

GIL, A. C. Como classificar as pesquisas. In: GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, p. 41-57, 2002.

GUENTHER, Z. C. Aceleração, ritmo de produção e trajetória escolar: desenvolvendo o talento acadêmico. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 22, n. 35, p. 281-298, set./dez. 2009. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/viewFile/810/554. Acesso em: 12 mar. 2018.

MACCLARTY, K. L. Life in the fast lane: Effects of early grade acceleration on high school and college outcomes. Gifted Child Quaterly, Vol. 59, No. 1, January 2015. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0016986214559595. Acesso em: 12 nov. 2018.

MAIA-PINTO, R. R. Aceleração de ensino na educação infantil: Percepção de alunos superdotados, mães e professores. 2012. 153 p. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, UnB, Brasília, 2012. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/11225/1/2012_RenataRodriguesMaiaPinto.pdf. Acesso em: 12 mar. 2018.

MAIA-PINTO, R. R.; FLEITH, S. D. Aceleração de ensino na Educação Infantil: um estudo de caso de um aluno superdotado. In: MAIA-PINTO, R. R.; FLEITH, S. D. (orgs.). Superdotados. Trajetórias de desenvolvimento e realizações. Curitiba: Juruá, p. 143-154, 2013.

MARTINS, B. A. Alunos precoces com indicadores de altas habilidades/superdotação no Ensino Fundamental I: Identificação e situações (des)favoráveis em sala de aula. 2013. 239 p. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista, Marília, 2013. Disponível em: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/91210. Acesso em: 12 mar. 2018.

OLIVEIRA, E. P. L. Alunos sobredotados: a aceleração escolar como resposta educativa. 2007. 278 p. Tese (Doutorado). Especialização de Psicologia da Educação. Universidade do Minho, Portugal, 2007. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7081?mode=full. Acesso em: 12 mar. 2018.

OLIVEIRA, E. P.; ALMEIDA, L. S. Aceleração escolar em Portugal: relatos de insatisfação e críticas pelos pais. In: FLEITH, D. S.; ALENCAR, E. M. L. S. (Orgs.). Superdotados. Trajetórias de desenvolvimento e realizações. Curitiba: Juruá, 230 p., 2013.

PEDRO, K. M.; OGEDA, C. M. M.; CHACON, M. C. M. Verdadeiro ou falso? Uma análise dos mitos que permeiam a temática das altas habilidades/superdotação. Revista Educação e Emancipação, v. 10, n. 3, set./dez., 2017. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/7718. Acesso em: 14 mar. 2019.

POCINHO, M. Superdotação: Conceitos e modelos de diagnóstico e intervenção psicoeducativa. Revista Brasileira Educação Especial, Marília, v. 15, n.1, p. 3-14, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbee/v15n1/02.pdf. Acesso em: 12 mar. 2018.

RECH, A. J. D.; FREITAS, S. N. Uma revisão bibliográfica sobre os mitos que envolvem as pessoas com altas habilidades. In: FREITAS, S. N. (Org.) Educação e altas habilidades/superdotação: a ousadia de rever conceitos e práticas. Santa Maria: Editoraufsm, p. 61-87, 2006.

RENZULLI, J. S. O Que é Esta Coisa Chamada Superdotação, e Como a Desenvolvemos? Uma retrospectiva de vinte e cinco anos. Educação em Revista, Porto Alegre, ano XXVII, n. 1, p. 75 - 121, jan./abr. 2004. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Extensao/papah/o-que-e-esta-coisa-chamada-superdotacao.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

RENZULLI, J. S. A concepção da superdotação no modelo dos três anéis: Um modelo de desenvolvimento para a promoção da produtividade criativa. In: VIRGOLIM, A. M. R.; KONKIEWITZ, E. C. Org.(s). Altas Habilidades/Superdotação, Inteligência e Criatividade: uma visão multidisciplinar. Campinas, SP: Papirus, p. 219-264, 2014a.

RENZULLI, J. S. Modelo de enriquecimento para toda a escola: Um plano abrangente para o desenvolvimento de talentos e superdotação. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 27, n. 50, p. 539-562, set./dez. 2014b. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/14676. Acesso em: 16 ago. 2018.

SANTOS. D. M.; PANHOCA, I. Gestão Escolar e a Política Nacional de Educação Especial: As barreiras para a implementação de uma política pública. Revista Política e Gestão Educacional, v. 21, n. 2, nov. 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/10171/7031. Acesso em: 05 out. 2018.

SÃO PAULO. Resolução SE-81, de 7 de agosto de 2012. Dispõe sobre o processo de aceleração de estudos para alunos com altas habilidades/superdotação na rede estadual de ensino e dá providências correlatas. Disponível em: http://cape.edunet.sp.gov.br/cape_arquivos/Resolu%C3%A7%C3%A3o%20SE.pdf. Acesso em: 27 out. 2018.

Publicado

15/08/2019

Como Citar

BRAZ, P. P.; RANGNI, R. de A. Conhecimento de gestores da educação infantil sobre aceleração para alunos com altas habilidades/superdotação. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 23, n. 3, p. 576–591, 2019. DOI: 10.22633/rpge.v23i3.12645. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/12645. Acesso em: 12 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigos