Conhecimento de gestores da educação infantil sobre aceleração para alunos com altas habilidades/superdotação

Paula Paulino Braz, Rosemeire de Araújo Rangni

Resumo


A aceleração é uma prática educacional que objetiva adequar o nível de conhecimento do aluno com altas habilidades/superdotação a um contexto curricular ajustado à suas necessidades. Assim, sugere-se que educadores estejam capacitados sobre a temática de altas habilidades/superdotação para o apoio pedagógico. O presente estudo teve o objetivo principal de verificar e analisar a existência de conhecimento de gestores de escolas de educação infantil sobre a aceleração de alunos com altas habilidades/superdotação. Como objetivos específicos: a) verificar se os gestores conhecem as modalidades de aceleração para alunos com altas habilidades/superdotação; e b) averiguar se os gestores demonstram-se favoráveis ou não quanto à aceleração. Tratou-se de uma pesquisa descritiva de caráter qualitativo, que fez uso do questionário para a coleta de dados. Os resultados apontaram uma visão limitada dos gestores participantes sobre a temática de altas habilidades/superdotação e escasso conhecimento sobre a aceleração como forma de atendimento especializado para esse público.


Palavras-chave


Aceleração; Altas habilidades/superdotação; Educação infantil.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALENCAR, E. S.; FLEITH, D. de S. Superdotados: determinantes, educação e ajustamento. 2. ed. São Paulo: EPU, 194., 2001.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

BRASIL. Saberes e Práticas da Inclusão. Desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos com altas habilidades/superdotação. Brasília: Ministério da Educação, SEESP, 2. ed., 143 p., 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/altashabilidades.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

BRASIL. Política Nacional da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, de 7 de janeiro de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 36 p., 2010. Disponível em: http://ndi.ufsc.br/files/2012/02/Diretrizes-Curriculares-para-a-E-I.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

BRASIL. Dúvidas mais frequentes sobre a Educação Infantil. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Infantil, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=8169-duvidas-mais-frequentes-relacao-educacao-infantil-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 nov. 2018.

COLANGELO, N.; ASSOULINE, S. G.; GROSS, M. U. M. (Ends.). A nation deceived: How schools hold back American’s brightest students (Vol. I.) Iowa, IA: The Connie Belin & Jacqueline N. Blank Internacional Center for Gifted Education and Talented Development. 2004. Disponível em: http://files.eric.ed.gov/fulltext/ED535137.pdf. Acesso em: 12 mar. 2019.

FLEITH, D. S. Altas habilidades e desenvolvimento socioemocional. In: FLEITH, D. S.; ALENCAR, E. M. L. S. (Orgs.) Desenvolvimento de talentos e altas habilidades. Orientação para pais e professores. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 408 p., 2009.

GIL, A. C. Como classificar as pesquisas. In: GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, p. 41-57, 2002.

GUENTHER, Z. C. Aceleração, ritmo de produção e trajetória escolar: desenvolvendo o talento acadêmico. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 22, n. 35, p. 281-298, set./dez. 2009. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/viewFile/810/554. Acesso em: 12 mar. 2018.

MACCLARTY, K. L. Life in the fast lane: Effects of early grade acceleration on high school and college outcomes. Gifted Child Quaterly, Vol. 59, No. 1, January 2015. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0016986214559595. Acesso em: 12 nov. 2018.

MAIA-PINTO, R. R. Aceleração de ensino na educação infantil: Percepção de alunos superdotados, mães e professores. 2012. 153 p. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, UnB, Brasília, 2012. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/11225/1/2012_RenataRodriguesMaiaPinto.pdf. Acesso em: 12 mar. 2018.

MAIA-PINTO, R. R.; FLEITH, S. D. Aceleração de ensino na Educação Infantil: um estudo de caso de um aluno superdotado. In: MAIA-PINTO, R. R.; FLEITH, S. D. (orgs.). Superdotados. Trajetórias de desenvolvimento e realizações. Curitiba: Juruá, p. 143-154, 2013.

MARTINS, B. A. Alunos precoces com indicadores de altas habilidades/superdotação no Ensino Fundamental I: Identificação e situações (des)favoráveis em sala de aula. 2013. 239 p. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista, Marília, 2013. Disponível em: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/91210. Acesso em: 12 mar. 2018.

OLIVEIRA, E. P. L. Alunos sobredotados: a aceleração escolar como resposta educativa. 2007. 278 p. Tese (Doutorado). Especialização de Psicologia da Educação. Universidade do Minho, Portugal, 2007. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7081?mode=full. Acesso em: 12 mar. 2018.

OLIVEIRA, E. P.; ALMEIDA, L. S. Aceleração escolar em Portugal: relatos de insatisfação e críticas pelos pais. In: FLEITH, D. S.; ALENCAR, E. M. L. S. (Orgs.). Superdotados. Trajetórias de desenvolvimento e realizações. Curitiba: Juruá, 230 p., 2013.

PEDRO, K. M.; OGEDA, C. M. M.; CHACON, M. C. M. Verdadeiro ou falso? Uma análise dos mitos que permeiam a temática das altas habilidades/superdotação. Revista Educação e Emancipação, v. 10, n. 3, set./dez., 2017. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/7718. Acesso em: 14 mar. 2019.

POCINHO, M. Superdotação: Conceitos e modelos de diagnóstico e intervenção psicoeducativa. Revista Brasileira Educação Especial, Marília, v. 15, n.1, p. 3-14, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbee/v15n1/02.pdf. Acesso em: 12 mar. 2018.

RECH, A. J. D.; FREITAS, S. N. Uma revisão bibliográfica sobre os mitos que envolvem as pessoas com altas habilidades. In: FREITAS, S. N. (Org.) Educação e altas habilidades/superdotação: a ousadia de rever conceitos e práticas. Santa Maria: Editoraufsm, p. 61-87, 2006.

RENZULLI, J. S. O Que é Esta Coisa Chamada Superdotação, e Como a Desenvolvemos? Uma retrospectiva de vinte e cinco anos. Educação em Revista, Porto Alegre, ano XXVII, n. 1, p. 75 - 121, jan./abr. 2004. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Extensao/papah/o-que-e-esta-coisa-chamada-superdotacao.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

RENZULLI, J. S. A concepção da superdotação no modelo dos três anéis: Um modelo de desenvolvimento para a promoção da produtividade criativa. In: VIRGOLIM, A. M. R.; KONKIEWITZ, E. C. Org.(s). Altas Habilidades/Superdotação, Inteligência e Criatividade: uma visão multidisciplinar. Campinas, SP: Papirus, p. 219-264, 2014a.

RENZULLI, J. S. Modelo de enriquecimento para toda a escola: Um plano abrangente para o desenvolvimento de talentos e superdotação. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 27, n. 50, p. 539-562, set./dez. 2014b. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/14676. Acesso em: 16 ago. 2018.

SANTOS. D. M.; PANHOCA, I. Gestão Escolar e a Política Nacional de Educação Especial: As barreiras para a implementação de uma política pública. Revista Política e Gestão Educacional, v. 21, n. 2, nov. 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/10171/7031. Acesso em: 05 out. 2018.

SÃO PAULO. Resolução SE-81, de 7 de agosto de 2012. Dispõe sobre o processo de aceleração de estudos para alunos com altas habilidades/superdotação na rede estadual de ensino e dá providências correlatas. Disponível em: http://cape.edunet.sp.gov.br/cape_arquivos/Resolu%C3%A7%C3%A3o%20SE.pdf. Acesso em: 27 out. 2018.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v23i3.12645



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.