Em cartaz: a formação docente e as representações de famílias organizadas em modelos não convencionais

Autores

  • Isaias Batista de Oliveira Júnior Universidade Estadual do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n2.2017.9943

Palavras-chave:

Escola. Famílias organizadas em modelos não convencionais, Cinema, Formação docente.

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar as representações sociais sobre família entre profissionais do magistério que responderam um inventário do tipo Likert a fim de aferirmos suas representações acerca do conceito de “família”, “família ideal” e “família desestruturada”. Os dados da pesquisa foram coletados durante a realização de um curso de formação docente intitulado “Formação docente e as representações de famílias organizadas em modelos não convencionais pelas lentes do cinema”. Os resultados obtidos revelaram mudanças nas representações dos sujeitos da pesquisa entre o pré e o pós-teste, que se devem, em parte pelo fato de a experiência estética, por meio do cinema, permitir o rompimento com o ideário de família admitindo as diversas maneiras de ser família como verdadeiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isaias Batista de Oliveira Júnior, Universidade Estadual do Paraná

Professor na Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR. Doutor no em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho. Mestre em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá. Pós Graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional. Pós Graduado em Neuropedagogia na Educação. Pós Graduado em Gestão Escolar. Licenciado em Pedagogia. Licenciado em Educação Física pela Universidade Estadual de Londrina. Graduado em Nutrição.

Referências

ALVES, Leonardo Barreto Moreira. O reconhecimento legal do conceito moderno de família – o art. 5o, II e parágrafo único, da lei no 11.340/2006, Lei Maria da Penha. De Jure: revista jurídica do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, n. 8, p. 330-347, jan./jun. 2007.

AMORIM, Verussi Melo de. Por uma educação estética: um enfoque na formação universitária de professores. 144 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2007.

BANKS, Marcus. Dados visuais para pesquisa qualitativa. Tradução José Fonseca. Rev. Caleb Farias Alves. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BARCELLOS, Letícia Vasconcelos. A família homossexual vista pela jurisprudência constante. 50 f. Monografia (Graduação em Direito) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2013.

BRONFENBRENNER, Urie. Ecological models of human development. In: International Encyclopedia of Education, 2. ed. Oxford: Elsevier, ano. v. 3. Reprinted In: GAUVANIAN, M. & COLE, M. (Eds.), Readings on the development of children, 2. ed. NY: Frreman, 1994. p. 37-43.

DALMORO, Marlon.; VIEIRA, Kelmara Mendes. Dilemas na construção de escalas tipo Likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? Revista Gestão Organizacional, Chapecó, v. 6, p. 162-174, 2013.

HINTZ, Helena Centeno. Novos tempos, novas famílias? Da modernidade à pós-modernidade. Pensando famílias, Porto Alegre, n. 3, p. 8-19, 2001.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. [S.l.], 2010. Disponível em: <http://censo2010.ibge.gov.br/>. Acesso em: 19 jan. 2016.

KEHL, Maria Rita. Em defesa da família tentacular. Artigos e Ensaios. [S.l.], 2003. Disponível em: <http://www.mariaritakehl.psc.br/PDF/emdefesadafamiliatentacular.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2014.

OLIVEIRA JÚNIOR, Isaias Batista de.; MORAES, Dirce Aparecida Foletto de.; COIMBRA, Renata Maria. Família “margarina”: as estereotipias de famílias na indústria cultural e a des/re/construção de conceitos docentes. HISTEDBR On-line, Campinas, n. 64, p. 266-279, set. 2015.

PEREIRA, Rodrigo da Cunha. Princípios fundamentais e norteadores para a organização jurídica da família. 2004. 157 f. Tese (Doutorado em Direito) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

ROUDINESCO, Elisabeth. A família em desordem. Tradução André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

SIEGEL, S. Nonparametric Statistics for the behavioral sciences.New York: McGraw-Hill Book Company, 1956.

WAGNER, Adriana. Os desafios da família contemporânea: revisitando conceitos. In: WAGNER, Adriana et al. Desafios psicossociais da família contemporânea: pesquisas e reflexões. 1. ed. Porto Alegre: Artmed. 2011. p. 19-35.

WALSH, Froma. Fortalecendo a resiliência familiar. Tradução Magda França Flores. Revisão Científica Cláudia Bruscagin. São Paulo: Roca, 2005.

Downloads

Publicado

07/04/2017

Como Citar

OLIVEIRA JÚNIOR, I. B. de. Em cartaz: a formação docente e as representações de famílias organizadas em modelos não convencionais. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, p. 542–562, 2017. DOI: 10.22633/rpge.v21.n2.2017.9943. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9943. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos