Uma análise de como o ambiente influência na aprendizagem e no comportamento de estudantes sua importância na formação inicial de professores

Elaine das Graças Frade, Yara Rosa Rosa Romanelli Campos Gonçalves da Silva, Jessiane Lopes

Resumo


O trabalho apresentado trata-se de um relato de experiência a respeito de  atividade realizada no horto medicinal da Universidade Federal de Lavras, referente a disciplina de Psicologia da Educação em uma de suas aulas. Objetiva-se compreender e analisar como o ambiente pode proporcionar benefícios para os estudantes, e a sua importância na formação inicial de professores. Para analisar os resultados obtidos, utilizou-se a pesquisa qualitativa, para uma melhor organização, foi utilizado o método de categorização onde foram encontradas quatro categorias: “Atividade vista como metodologia diferente da tradicional”; “maior participação do estudante e a mesma sendo em um ambiente que difere da sala de aula”; “a fim de aumentar os laços na relação estudante-educadora” e “uma forma de conhecer melhor o estudante”. O trabalho buscou compreender como metodologias diferentes são eficazes e auxiliam na formação da pessoa, e como esses meios interdisciplinares auxiliam no conhecimento e compreensão mais eficaz de mundo.

Palavras-chave


Atividades educativas; Formação inicial de professores; Metodologias diferentes; Psicologia da educação.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D. Teoria da aprendizagem significativa. PELIZZARI, A. et al., 1993.

CAVASSAN, O. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência & Educação (Bauru), p. 133-147, 2004.

MACEDO, E. F. de. Parâmetros Curriculares Nacionais: a falácia de seus temas transversais. In: MOREIRA, A. F. B. Currículo: políticas e práticas, 1999. p. 43.

GASPARIN, J. L.; PETENUCCI, M. C. Pedagogia histórico crítica: da teoria à prática no contexto escolar. Acesso em, v. 2, n. 02, 2014.

LOPES, G. C. L. R.; ALLAIN, L. R. Lançando um olhar crítico sobre as saídas de campo em biologia através do relato de uma experiência. ENCONTRO “PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA”, v. 8, p. 6, 2002. In: MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2002.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2002.

PIMENTA, S. G. O estágio na formação de professores: Unidade teoria e prática? 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

SENICIATO, T.; CAVASSAN, O. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência & Educação (Bauru), p. 133-147, 2004

TAPIA, J. A. Contexto, motivação e aprendizagem. In: TAPIA, J. A.; FITA, E. C. A motivação em sala de aula: o que é, como se faz, v. 4, p. 11-61, 2004. SENICIATO, Tatiana;




DOI: https://doi.org/10.30715/doxa.v21i1.12879

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.