Inovação pedagógica, inclusão e interculturalidade na formação de professores em pedagogia e magistério indígena na Universidade Federal do Ceará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v13.nesp2.set2018.11644

Palavras-chave:

Inovação pedagógica, Inclusão, Interculturalidade, Educação Especial, Magistério Indígena

Resumo

Esse artigo evidencia a necessidade de refletir sobre inovação pedagógica em Instituições de Ensino Superior (IES), notadamente na formação de professores orientados a contextos de respeito à diversidade, inclusão e interculturalidade. Motivados por processos em curso na Universidade Federal do Ceará, tomaremos como recorte empírico de nossa reflexão duas significativas experiências: a formação de professores em Pedagogia e a formação de professores para o Magistério Indígena. Nessa empreitada, incursionamos sobre os conceitos implicados em nossa reflexão, apresentando dados e relatos das experiências em análise e problematizando algumas concepções sobre inovação pedagógica, que fundamentam as dimensões da cultura, da política, das práticas inclusivas e suas inter-relações para a efetivação de sociedades e instituições de ensino includentes.

Biografia do Autor

José Mendes Fonteles Filho, Universidade Federal do Ceará (UFC), Campus Benfica

Pós-Doutor em Antropologia, possui doutorado em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2003) e graduação de Licenciatura em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP (1990). Atualmente é Professor Associado do Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação (DEE/FACED) da Universidade Federal do Ceará (UFC) e coordenador do Curso de Especialização em Gestão Escolar Indígena. Tem experiência nas áreas de Antropologia, Filosofia, Educação e Metodologia da Pesquisa, atuando principalmente nos temas: Cultura e Processos de Subjetivação, Educação Indígena, Formação de Professores, Movimentos Sociais, Arte-Educação e Epistemologia das Ciências Humanas. Foi organizador e coordenador do primeiro curso de licenciatura intercultural no Nordeste do Brasil, o Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior - MITS. Atualmente, coordena o Laboratório de Identidade, Cultura e Subjetividade - LAICUS e é membro do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica - OIIIIPe, rede internacional de pesquisadores que investigam temas atuais sobre formação docente.

Francisca Geny Lustosa, Universidade Federal do Ceará (UFC), Campus Benfica

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (1999), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2003) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2009). Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará, ministra as disciplinas de Educação Especial, Educação Inclusiva, Práticas de Ensino em Educação Inclusiva e Letramento e Alfabetização. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Inclusiva, atuando principalmente nos seguintes temas: prática pedagógica, alunos com deficiência, inclusão, alfabetização e letramento. É Coordenadora do Grupo Pró-Inclusão: Pesquisa e Estudos sobre Educação Inclusiva, Práticas Pedagógicas e Formação de Professores (FACED/UFC). Investigadora da Linha História da Educação Comparada, Desenvolvimento e Linguagem da Criança (LIDELEC/UFC). Assessora e Consultora do INEE de Angola para a elaboração de iniciativas que visem à promoção da Educação Especial Inclusiva e Formação de Professores (de 2008 aos dias atuais). Pesquisadora-membro do Observatório de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica – OIIIIPe.

Referências

BOOTH, Tony; AINSCOW, Mel. Index para a inclusão: desenvolvendo a aprendizagem e a participação nas escolas. Tradução de Mônica Pereira dos Santos e João Batista Esteves. 3. ed. Bristol: CSIE, 2012.

BRASIL. MEC. Lei n.º 9394, de 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, Brasília, 1996.

BRASIL. MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Pedagogia. Brasília. 2006.

BRASIL. MEC. Política Pública de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. 2008. Disponível em:

http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 10 abr. 2017.

BRASIL. MEC/INEP. Relatório de Avaliação do Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior – MITS. Brasília: MEC, 2015.

CITA/FACED (UFC). Curso de Magistério Indígena Tremembé – Nível Médio. Fortaleza: [s.n.], 2004.

CUNHA, Maria Isabel da. Inovações pedagógicas e a reconfiguração de saberes no ensinar e aprender na universidade. In: VIII CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS. Anais... Coimbra, 16 a 18 de setembro de 2004. Disponível em: http://www.ces.uc.pt/lab2004/pdfs/MAriaIsabelCunha.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

FIGUEIREDO, Rita Vieira. A formação de professores para inclusão dos alunos no espaço pedagógico da diversidade. In: MANTOAN, Maria Tereza Eglér (Org.). O desafio das diferenças nas escolas. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2009. p. 141-145.

FLEURI, Reinaldo Matias. Intercultura e educação. Revista Brasileira de Educação, n. 23, maio-jun./jul.-ago. 2003.

FONTELES FILHO, José Mendes. Subjetivação e educação indígena. 2003. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação/Faced/UFC, Fortaleza.

FONTELES FILHO, José Mendes. O Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior – MITS: protagonismo indígena e inclusão social no ensino superior no Brasil. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL INCLUSÃO EM EDUCAÇÃO – UP-3. Anais... Rio de Janeiro: UFRJ/Lapeade, 2013. p. 637-645.

FONTELES FILHO, José Mendes.; NASCIMENTO, Maria Gilsa.; JACINTO, Rita Félix. História da educação diferenciada Tremembé. Fortaleza: Imprensa Universitária/UFC, 2014.

LATERMAN, Ilana; ATHIAS, Renato Monteiro. Temas e problemas na construção de currículo intercultural na educação escolar indígena no Rio Negro. In: IV COLÓQUIO LUSO-BRASILEIRO SOBRE QUESTÕES CURRICULARES. Anais... Florianópolis, 2-4 setembro 2008.

LUSTOSA, Francisca Geny. Inclusão, o olhar que ensina: o movimento da mudança e a transformação das práticas pedagógicas no contexto de uma pesquisa-ação colaborativa. 2009. Tese (Doutorado em Educação Brasileira) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

MANTOAN, Maria Tereza Eglér et al. A pesquisa colaborativa em contexto de inclusão escolar. Revista InFor, n. 1, p. 31-49, 2015. Disponível em: https://ojs.ead.unesp.br/index.php/nead/article/download/7/3. Acesso em: 9 abr. 2017.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TASSINARI, Antonella Maria Imperatriz. Escola indígena: novos horizontes teóricos, novas fronteiras da educação. In: LOPES DA SILVA, Aracy; FERREIRA, Marina Kawal Leal (Org.). Antropologia, história e educação: a questão indígena e a escola. São Paulo: Global, 2001.

UFC. Projeto Político-Pedagógico do Curso de Magistério Indígena Tremembé Superior – MITS. Fortaleza: [s.n.], 2013.

URQUIZA, Antonio Hilario Aguilera; NASCIMENTO, Adir Casaro. O desafio da interculturalidade na formação de professores indígenas. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 4, n. 1, p. 44-60, jan.-jun. 2010. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/viewFile/12741/8124. Acesso em: 28 set. 2010.

Downloads

Publicado

01/09/2018

Como Citar

FONTELES FILHO, J. M.; LUSTOSA, F. G. Inovação pedagógica, inclusão e interculturalidade na formação de professores em pedagogia e magistério indígena na Universidade Federal do Ceará. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. esp.2, p. 1281–1300, 2018. DOI: 10.21723/riaee.v13.nesp2.set2018.11644. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11644. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos