Projeto Paulo Freire de Mobilidade Acadêmica e a formação continuada de professores da rede estadual da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v13.nesp2.set2018.11649

Palavras-chave:

Formação continuada de professores, Mobilidade acadêmica, Projeto Paulo Freire, Complexo Integrado de Educação (CIE)

Resumo

A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), com o apoio da Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), do Ministério da Educação (MEC) e da Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC/BA), em atendimento a uma demanda institucional da SESu/MEC, apresentou, em outubro de 2016, uma proposta de programa-piloto de Mobilidade Acadêmica para o Projeto Paulo Freire. Tal programa, cujo objetivo principal é proporcionar aos estudantes das Licenciaturas Interdisciplinares (LI) da UFSB uma experiência formativa de mobilidade acadêmica, estendeu-se também para a formação continuada de professores da rede estadual de ensino básico da Bahia atuantes nos Complexos Integrados de Educação (CIE), que possuem convênio com a universidade. Os CIE têm como meta oferecer educação em tempo integral e constituem espaços privilegiados de prática docente para licenciandos das LI da UFSB e de formação continuada para professores da rede. Entre setembro e outubro de 2017, vinte professores dos três CIE parceiros da UFSB (CIE Itabuna, CIE Porto Seguro e CIE Itamaraju), acompanhados por uma equipe técnica da universidade, estiveram no Uruguai para uma estada acadêmica de formação continuada, marco do convênio de cooperação e intercâmbio entre a UFSB e a Administración Nacional de Educación Pública (Anep), o Consejo de Formación en Educación (CFE) e a Universidad de la República (Udelar), que se configurou como um espaço de aproximação a programas e propostas educativas do Uruguai. Sobre essa intensa experiência, buscar-se-á refletir neste relato.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Rodella de Oliveira, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Campus Paulo Freire (CPF)

Doutora em Linguagem e Educação pela FE-USP (2013), é Professora Adjunta na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Campus Paulo Freire (CPF), Teixeira de Freitas/BA, e Coordenadora de Práticas Pedagógicas do Complexo Integrado de Educação de Itamaraju (CIEI). É vice-líder do Grupo de Pesquisa Linguagens na Educação (FE-USP), é pesquisadora do Grupo de Pesquisa Sociedade, Educação e Universidade (SEU/UFSB) e do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (OIIIIPe/UFRJ). Tem experiência na área de Educação, com ênfase no ensino de Leitura e Produção de Textos, Literatura e Língua Portuguesa, atuando principalmente em: inovação pedagógica; leitura e produção de textos; leitura literária e de literatura; formação de professor; alfabetização, oralidade e leitura literária; produção e edição de material didático de português para o ensino básico.

Referências

INEEd. Informe sobre el estado de la educación en Uruguay 2015-2016. Síntesis y desafios. Montevideo: Ineed, 2017. 39 p.

JARDIM, L. R. Carta de intenção. Itamaraju: UFSB, ago. 2017a. [s.p.].

INEEd. Relatório para a Pró-Reitoria de Gestão Acadêmica – Programa de Mobilidade Acadêmica Internacional – Projeto Paulo Freire. Itamaraju: UFSB, out. 2017b. 3 p.

LADEIA, D. O. Relatório do intercâmbio Brasil/Uruguai “Projeto Paulo Freire de Mobilidade Acadêmica para a Formação Docente”. Itamaraju/BA: UFSB, out. 2017. 51 p.

SANTANA, M. L. S. Programa de Mobilidade Acadêmica Paulo Freire: uma “mirada” sobre o sistema de ensino do Uruguai. Itamaraju: UFSB, out. 2017. 23 p.

SANTOS, E. L. Carta de intenções. Itamaraju: UFSB, ago. 2017. [s.p].

ROCHA, S. P. V. Tornar-se quem se é: educação como formação, educação como transformação. In: MARTINS, A. M. M. et al. Nietzsche e os gregos: arte, memória e educação. Rio de Janeiro: DP&A; FAPERJ; Brasília: Capes, 2006. p. 267-278.

Downloads

Publicado

01/09/2018

Como Citar

OLIVEIRA, G. R. de. Projeto Paulo Freire de Mobilidade Acadêmica e a formação continuada de professores da rede estadual da Bahia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. esp.2, p. 1374–1387, 2018. DOI: 10.21723/riaee.v13.nesp2.set2018.11649. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11649. Acesso em: 15 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos