(Re) significando o brincar na educação infantil a partir da teoria histórico-cultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15i1.12251

Palavras-chave:

Brincar de faz-de-conta, Educação infantil, Psicologia histórico-cultural.

Resumo

O presente artigo resulta do trabalho de pesquisa onde buscou-se apreender, compreender e analisar as possíveis contribuições de autores contemporâneos internacionais do campo da Teoria Histórico-cultural para a Educação Infantil. A brincadeira de papéis sociais foi o objeto escolhido para essa aproximação. A pesquisa caracterizou-se pela análise bibliográfica a partir da produção de autores que trabalham com a educação de crianças menores de 5 anos, procedendo investigações tanto em ambientes escolares como não escolares. As obras de duas autoras pelo conjunto significativo de produções foram escolhidas para análise: Marianne Hedegaard e Marylin Fleer. Dois conceitos apresentados pelas autoras são analisados no artigo: ‘ambientes de atividades’ e ‘jogo conceitual’.  Ambos corroboram para a compreensão do papel que a brincadeira de papéis sociais possui para o desenvolvimento infantil, atribuindo novos significados ao mesmo. Portanto, esses conceitos são apresentados e exemplificados, objetivando pensarmos caminhos para o brincar na Educação Infantil brasileira.

Biografia do Autor

Mariana de Oliveira Faria, Universidade Federal de São Carlos – (UFSCar), São Carlos – SP

Doutoranda em Educação pela UFSCar, professora de Educação Infantil na rede Municipal da cidade de São Carlos -SP, desde 2016, membra do grupo de História da Educação e Educação Infantil, coordenado pela Profa. Dra. Alessandra Arce Hai e tem desenvolvido pesquisas na área da Educação Infantil. Pedagoga, Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), durante o Mestrado foi bolsista Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e durante a Graduação foi bolsista de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), entre 01/06/2012 à 31/06/2013, sob orientação da Profa. Dra. Alessandra Arce Hai. Um semestre de sua Graduação foi realizado em intercambio na Universidad de Santiago de Chile (USACH), por meio do convênio da Asociación de Universidades Grupo Montevideo (AUGM).

Alessandra Arce Hai, Universidade Federal de São Carlos – (UFSCar), São Carlos – SP

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1992), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1997), doutorado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001), foi visiting scholar junto a University of Toronto no Canadá (2004/05), e é pós-doutora em Filosofia e História da Educação pela UNICAMP(2006). É professora associada da Universidade Federal de São Carlos. É lider do grupo de pesquisas em História da Educação e Educação Infantil. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: história da idéias pedagógicas e educacionais e Educação Infantil. Trabalhou de agosto 2013 a julho de 2014 esta como Professora Visitante na Katholieke Universiteit Leuven, junto a Faculty of Psychology and Educational Sciences, com bolsa de pesquisa no exterior da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Referências

ARCE, A. Interações ou brincadeiras? Afinal o que é mais importante na educação infantil? E o ensino como fica? In: ARCE, A. (Org.). Interações e brincadeiras na educação infantil. Campinas: Editora Alínea, 2013. p. 17-40.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC, 1998. 3 v.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC, 2012.

CHAIKLIN, S. D.; HEDEGAARD, M. Cultural-historical theory and educational practice: some radical-local considerations. Nuances: Estudos sobre Educação, v. 25, n. 1, p. 30-44, 2013.

FLEER, M. Early learning and development: cultural-historical concepts in play. New York: Cambridge University Press, 2010.

FLEER, M.; HEDEGAARD, M. Play, learning, and children’s development: everyday life in families and transition to school. New York: Cambridge University Press, 2013.

HAI, A. A. Educação infantil: alimentação, neurociências e tecnologia. Campinas: Editora Alínea, 2018.

HEDEGAARD, M. A cultural-historical approach to learning in classrooms. Outlines: Critical Practice Studies, v. 6, n. 1, p. 21-34, 2004.

HEDEGAARD, M. The significance of demands and motives across pratices in children’s learning and development: an analysis of learning in home and school. Learning, Culture and Social Interaction, v. 3, p. 188-194, 2014.

Publicado

02/01/2020

Como Citar

FARIA, M. de O.; HAI, A. A. (Re) significando o brincar na educação infantil a partir da teoria histórico-cultural. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 95–109, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v15i1.12251. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12251. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos