Universidades: surgimento, nacionalização e indicadores de internacionalização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i1.13354

Palavras-chave:

Internacionalização, Educação superior, Experiências interinstitucionais.

Resumo

O presente artigo inicia apresentando a trajetória das Universidades desde o surgimento no período medieval, com a criação de uma comunidade de scolares; passando pelo fenômeno da nacionalização, com a consequente perda do seu caráter inicial influenciado pelas escolas de ofício e posteriormente pela ordem eclesiástica e imperial; abordando nesse bojo o processo de estatização a partir da revolução francesa. A universidade brasileira, fortemente influenciada até a década de 1970 pelo modelo europeu, foi impactada pelas premissas das reformas educacionais e objetivos delineados para uma estrutura integradora entre ensino e pesquisa, que ocorreu de forma mais efetiva a partir da década de 1980, movimento apresentado juntamente com as iniciativas de internacionalização da universidade. Por último, são elencadas as estratégias para o desenvolvimento de um projeto de internacionalização das universidades brasileiras no século XXI sob a premissa de que para conceber a cooperação internacional, como parte integrante das missões institucionais, cabe às universidades a criação de mecanismos e estruturas apropriadas para promover a internacionalização como um dos pressupostos indicativos desse direcionamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iracema Campos Cusati, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Professora Adjunta do Colegiado de Matemática e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Doutorado em Educação (USP).

Luciano José Vianna, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Doutorado em História Medieval pela Universitat Autònoma de Barcelona (UAB).

Paulo César Marques de Andrade Santos, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Adjunto do Colegiado Pleno de Pedagogia e Coordenador da Linha de Políticas Educacionais, Formação Docente e Práxis Pedagógica do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Doutorado em Educação (UFBA).

Rita di Cássia de Oliveira Angelo, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Professora Adjunta no Colegiado de Medicina. Doutorado em Neurociências (UFPE).

Antonio Carrillo Avelar, Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM), Cidade do México – México

Professor do Programa de Pós-Graduação em Pedagogia (UNAM), Professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação da Universidad Pedagógica Nacional (UPN) e Professor Visitante do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Direitos Humanos (UFG). Pós-doutorado em Educação (USP).

Referências

AFONSO X, O SÁBIO. Las Siete Partidas. In: PEDRERO-SÁNCHEZ, Maria Guadalupe. História da Idade Média. Textos e Testemunhas. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

AVELAR, Antonio Carrillo; ROA, Andrea Olmos; CUSATI, Iracema Campos. Articulações entre educação intercultural e práticas de internacionalização entre México e Brasil. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 3, p. 1182-1204, jul./set. 2019. e-ISSN: 1982-5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.12486

BASCHET, Jérôme. A civilização feudal. Do ano mil à colonização da América. Rio de Janeiro: Globo, 2006.

BRUNNER. J. J. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 22, n. 82, p. 11-30, jan./mar. 2014.

CASTAÑEDA, ‪José Antonio Serrano. Alrededor de la idea de formación. In: SALINAS, Sonia Comboni (Coord.). La investigación educativa en México. México: COMIE-UPN, 2001.

CHARLE, Christophe; VERGER, Jacques. Histoire des universités. Paris: Presses Universitaires de France, 1994.

DIDRIKSSON, Axel. La universidad de la innovación. México: CESU/UNAM, 2015.

FALLON, Daniel. The German University: a heroic ideal in conflict with the modern world. Boulder, Colorado: Colorado Associated University Press, 1983.

GENET, Jean-Philippe. Estado. In: Dicionário Temático do Ocidente Medieval. São Paulo: Edusc, 2002. v. 1. p. 397-409.

HUMBOLDT, Wilhelm von. Sobre a organização interna e externa das instituições científicas superiores em Berliml. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1997.

LE GOFF, Jacques. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio editora, 2003.

LUCAS-DUBRETON, Jean. La France de Napoléon. Paris: Librairie Jules Tallandier, 1981.

NUNES, Rui Afonso da Costa. História da educação na Idade Média. Campinas: Kirion, 2018.

PARASKEVA, João. Nova teoria curricular. Portugal: Edições Pedago, Lda, 2011.

SANTOS, Paulo César Marques de Andrade. Politiques publiques de mobilité académique internationale: une étude exploratoire du quotidien d´étudiants brésiliens dansla ville de Lyon – France. Orientadores: Dra. Rosilda Arruda Ferreira, Bahia – Brasil; Dr. Jean-Claude Régnier – Lyon2, Lyon – França. 2014. 342 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia; Faculté Sciences de l’Education, Ecole Doctorale Education, Psychologie, Information et Communication, Université Lumière-Lyon 2. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/18687/1/TESE%20-%20Mobilidade%20Acad%C3%AAmica%20Internacional.pdf. Acesso em: 24 fev. 2020.

STALLIVIERI, Luciane. Guia de Orientações para Alunos e Professores Participantes de Programas de Intercâmbios Internacionais. Caxias do Sul: Gráfica da UCS, 2001.

VERGER, Jacques. Cultura, ensino e sociedade no ocidente nos séculos XII e XIII. Bauru: EDUSC, 2001.

VERGER, Jacques. Homens e saber na Idade Média. Bauru: EDUSC, 1999.

VERGER, Jacques. Universidade. In: Dicionário Temático do Ocidente Medieval. São Paulo: EDUSC, 2002. v. 2. p. 573-587.

VERWOERD, Hendrik Frensch. Bantoe-onderwys: Beleidsbepaling vir die onmiddelike toekoms. Verklaring. Deur dr H.F. Verwoerd, Minister van Naturellesake, in die Senaat van die Parlement van die Unie van Suid-Afrika, 7 jun. 1954. Pretoria: Staatsdrukker.

Publicado

02/01/2021

Como Citar

CUSATI, I. C.; VIANNA, L. J.; SANTOS, P. C. M. de A.; ANGELO, R. di C. de O.; AVELAR, A. C. Universidades: surgimento, nacionalização e indicadores de internacionalização. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 1, p. 3–19, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i1.13354. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13354. Acesso em: 18 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos