A pesquisa-ação crítica no desenvolvimento de políticas de formação continuada para profissionais da educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16iesp2.15121

Palavras-chave:

Políticas de formação continuada de profissionais da educação, Gestão em educação especial, Pesquisa-ação colaborativo-crítica

Resumo

Este artigo objetiva analisar as contribuições da pesquisa-ação para o desenvolvimento de políticas de formação continuada de profissionais da educação pela via da autorreflexão crítica. Apresenta um diálogo entre estudos na área de formação de professores e resultados de uma pesquisa-ação colaborativo-crítica voltada à construção de políticas de formação continuada para os profissionais da educação realizada por meio da colaboração entre Universidade e Redes de Ensinos do Espírito Santo/Brasil. Problematiza o grupo de estudo-reflexão como princípio para elaboração de modos críticos de formação continuada. Estabelece um diálogo entre autores da literatura científica e autores do contexto, promovendo a construção de conhecimentos com o outro. Toma os argumentos dos gestores em diferentes momentos do Grupo de Estudo-Reflexão de Gestão de Educação Especial (Gergees), constituídos por meio de narrativas audiovisuais e transcrições de encontros do grupo. Analisa a busca pela autorreflexão crítica e colaborativa como possibilidades de outros/novos modos de conceber e produzir conhecimentos. Assim, defende a formação de profissionais sustentada na pesquisa-ação crítica como princípio para o desenvolvimento de políticas de formação continuada em contextos locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariangela Lima de Almeida, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória – ES

Professora Adjunta do Centro de Educação. Doutorado em Educação (UFES).

Rafael Carlos Queiroz, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória – ES

Professora Adjunta do Centro de Educação. Doutorado em Educação (UFES).

Maria Assunção Flores, Universidade do Minho (UMINHO), Braga

Professora Auxiliar do Instituto de Educação. Doutorado em Educação (NOTTINGHAM) – Inglaterra.

Diana Alexandra Ribeiro Pereira, Universidade do Minho (UMINHO), Braga

Professora Auxiliar do Instituto de Educação. Doutoramento em Ciências da Educação (UMINHO) – Portugal.

Referências

BANCO MUNDIAL. Relatório mundial sobre a deficiência. São Paulo: SEDPcD, 2012.

BARBIER, R. A pesquisa-ação na instituição educativa. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1985.

BARBIER, R. A pesquisa-ação. Brasília: Liber Livro, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasilia, DF, 2008.

CARR, W.; KEMMIS, S. Teoría crítica de la enseñanza: la investigación-acción en la formación del profesorado. Trad. J. A. Bravo. Barcelona: Martinez Roca, 1988.

DARLING-HAMMOND, L.; NEWTON, X.; WEI, R. C. Evaluating teacher education outcomes: a study of the Stanford Teacher Education Programme. Journal of Education for Teaching, v. 36, n. 4, p. 369-388, 2010.

DOURADO, L. F. Políticas e gestão da educação básica no Brasil: limites e perspectivas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 921-946, out. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300014

ESTEVES, M. Análise de conteúdo. In: LIMA, J. A; PACHECO, J. A. (Org.). Fazer investigação: contributos para a elaboração de dissertações e teses. Porto: Porto Editora, 2006.

FLORES, M. A. Teacher education curriculum. In: LOUGHRAN, J; HAMILTON, M. L. (Ed.). International handbook of teacher education. Dordrecht: Springer Press, 2016.

FRANCO, M. A. S. Práticas pedagógicas de ensinar-aprender: por entre resistências e resignações. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 3, p. 601-614, jul./set. 2015.

FRANCO, M. A. S.; PIMENTA, S. G. (Org.). Pesquisa em educação: Possibilidades investigativas/formativas da pesquisa-ação. São Paulo: Loyola, 2008.

GIROUX, H. A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

HABERMAS, J. Teoría de la acción comunicativa: racionalidad de la acción y racionalización social. Version de Manuel Jimenez Redondo. Madrid: Taurus, 1987a.

HABERMAS, J. Técnica e ciência como ideologia. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1987b.

HABERMAS, J. Teoría y práxis: estudios de filosofia social. Trad. Salvador Mas Torres y Carlos Moya Espí. 4. ed. Madrid: Tecnos, 2000.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. 2. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HABERMAS, J. Verdade e justificação: ensaios filosóficos. Tradução de Milton Camargo Mota. São Paulo: Loyola, 2004.

MAINARDES, J. Abordagem do Ciclo de Políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302006000100003

MAINARDES, J.; MARCONDES, M. I. Entrevista com Stephen J. Ball: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 303-318, jan./abr. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302009000100015

PANTALEÃO, E. Formar formando-se nos processos de gestão e inclusão escolar. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2009.

PARO, V. H. A gestão da educação ante as exigências de qualidade e produtividade da escola pública. São Paulo: Ed. Vozes, 1998.

PEREIRA, J.E.D. A pesquisa dos educadores como estratégia para construção de modelos críticos de formação docente. In: PEREIRA, J.E.D.; ZEICHNER, K.M. (Org.). A pesquisa na formação e no trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

PORTUGAL. Ministério da Educação. Decreto-Lei n. 54/2018, de 6 de julho. Diário da República, n. 129/2018, Série I, 2018

SACHS, J. Aprender para melhorar ou melhorar a aprendizagem: o dilema do desenvolvimento profissional contínuo dos professores. In: FLORES, M. A.; SIMÃO, A. M. V. (Org.). Aprendizagem e desenvolvimento profissional de Professores: contextos e perspectivas. Mangualde: Edições Pedago, 2016.

SILVA, A. M. C. A formação contínua de professores: uma reflexão sobre as práticas e as práticas de reflexão em formação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 21, n. 72, p. 89-109, ago. 2000. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302000000300006

ZEICHNER, K. M. Para além da divisão entre professor-pesquisador e pesquisador acadêmico. In: GERALDI, C.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. M. A. (Org.). Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

Publicado

01/05/2021

Como Citar

ALMEIDA, M. L. de; QUEIROZ, R. C.; FLORES, M. A.; PEREIRA, D. A. R. A pesquisa-ação crítica no desenvolvimento de políticas de formação continuada para profissionais da educação. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp2, p. 1199–1214, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16iesp2.15121. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15121. Acesso em: 5 ago. 2021.