Prosódia na Libras – um estudo do Corpus do Enem-2017

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i3.15133

Palavras-chave:

Prosódia, Entonação, Língua de sinais

Resumo

As articulações faciais refletem subcomponentes prosódicos das línguas orais e sinalizadas. Trata-se de uma pesquisa de natureza aplicada, documental, de caráter descritivo-exploratória, através do método observacional. Objetiva-se compreender quais movimentos faciais de manifestação prosódica de entonação na Libras e suas significações em contexto narrativo. Como procedimento metodológico, optou-se por uma revisão bibliográfica sobre a American Sign Language (ASL) e a Língua de Sinais israelense, e pela análise de uma questão da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2017 – primeira edição em Libras. Como resultados, foram criadas tabelas sobre os movimentos dos elementos faciais superiores e suas significações, verificando-se a relevante contribuição da pesquisa para a legitimação linguística da Libras, para estudos sobre ensino e aprendizagem das línguas de sinais, para a significação, compreensão e produção da linguagem. Evidencia-se, portanto, a necessidade de novos olhares e pesquisas acerca da linguística da Libras, devido à escassez de estudos publicados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rúbia Carla da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis – SC

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística.

Ana Paula de Oliveira Santana, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis – SC

Professora Associada no Curso de Fonoaudiologia e no Programa de Pós-Graduação em Linguística. Doutorado em Linguística (UNICAMP).

Referências

BRASIL. Lei n. 10.436/2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 14 maio 2021.

BRASIL. Decreto n. 5.626/2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF: Presidência da República, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: 14 maio 2021.

BRASIL. Lei n. 13.146/2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 14 maio 2021.

CHRISTMANN, K. E. et al. O software ELAN como ferramenta para transcrição, organização de dados e pesquisa em aquisição da língua de sinais. In: ENCONTRO DO CELSUL, 9., 2010, Palhoça. Anais [...]. Palhoça, SC: UNISUL. 2010.

DUARTE, R. L.; MESQUITA, R. Considerações acerca do code-bleding ou sobreposição de línguas e suas relações com o code-switching. Revista Sinalizar, v. 1, n. 1, p. 37-47, jan./jun. 2016.

FENLON, J.; BRENTARI, D. (toappear). Sign language prosody. In: QUER, J.; PFAU, R.; HERRMANN, A. (Eds.), Routledge Handbook of Theoretical and Experimental Sign Language Research. 2018.

GOES, A. K. S. Marcadores prosódicos da Libras: o papel das expressões corporais. 2019. 65 f. Dissertação (mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2019. Disponível em: http://www.repositorio.ufal.br/bitstream/riufal/5869/1/Marcadores%20pros%c3%b3dicos%20da%20libras%20o%20papel%20das%20express%c3%b5es%20corporias.pdf. Acesso em: 14 maio 2021.

HORA, D.; MATZENAUER, C. L. (org.) Fonologia, fonologias: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2017. 192 p.

MASSINI-CAGLIARI, G.; CAGLIARI, L. C. Fonética. In: MUSSALIM, F; BENTES, A C. (org.). Introdução à Linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001. v. 1-2, p. 105-146.

SANDLER, W. Visual prosody. In: PFAU, R.; STEINBACH, M.; WOLL, B. (Eds.). Sign Language. Na International Handbook. Berlin: Mouton de Gruyter, 2012. p. 55-76.

SANTOS, R. F. A autoria na interpretação de Libras para o Português: aspectos prosódicos e construção de sentidos na perspectiva verbo-visual. 2018. 212 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/192733/SANTOS%20Ricardo%20Ferreira%202018%20%28disserta%c3%a7%c3%a3o%29%20PUC%20SP.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 14 maio 2021.

SOUZA, D. T. A constituência prosódica da Língua Brasileira de Sinais (Libras): as expressões não manuais. 2020. 179 f. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/217373/001121124.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 14 maio 2021.

Downloads

Publicado

01/07/2021

Como Citar

SILVA, R. C. da; SANTANA, A. P. de O. Prosódia na Libras – um estudo do Corpus do Enem-2017. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 3, p. 1963–1978, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i3.15133. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15133. Acesso em: 25 out. 2021.