A universidade multicampi na região integrada de desenvolvimento Petrolina-Juazeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i2.15746

Palavras-chave:

Desenvolvimento local, RIDE, Universidade Multicampi

Resumo

O objetivo do presente artigo é identificar os impactos provocados pela Universidade Multicampi no desenvolvimento social, cultural e econômico na Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE) de Petrolina (PE) - Juazeiro (BA). Inicia apresentando as teorias voltadas ao desenvolvimento local/regional do final da década de 1980, com a valorização das atividades econômicas, sociais e culturais desenvolvidas pelos sujeitos em seu próprio espaço caracterizando assim o paradigma do desenvolvimento endógeno aliada ao modelo de acumulação flexível, fugindo aos postulados keynesiano de desenvolvimento regional inseridas na macroeconomia. Trata-se de um estudo qualitativo baseado na revisão de literatura, as quais assinalam que as Universidades do Estado da Bahia (UNEB), de Pernambuco (UPE) e a do Vale do São Francisco (UNIVASF), universidades multicampi, criadas com o objetivo de levar o ensino superior ao interior dos Estados, têm contribuído, nas últimas duas décadas, tanto para a consolidação da Região como centro de excelência em Fruticultura Irrigada, como também, polo universitário de excelência nas mais variadas áreas do conhecimento promovendo o acesso a todos/as aqueles/aquelas das classes populares e que vivem distante dos grandes centros urbanos. O estudo conclui que a Universidade Multicampi vem contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento local/regional da RIDE, não apenas na dimensão econômica, mas, também, nas dimensões política, social, cultural e inclusiva quando promove o ingresso de atores sociais que antes não tinham a oportunidade de acesso ao ensino superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo José Fernandes Nunes, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Salvador – BA – Brasil

Professor Adjunto. Departamento de Educação. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGFDUC). Doutorado em Análise Geográfica Regional pela Universidade de Barcelona.

Tarcísio Fulgêncio Alves da Silva, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE – Brasil

Professor Associado. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Doutorado em Ciências da Saúde pela PUC (PR).

Paulo Cesar Marques de Andrade Santos, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE – Brasil

Professor Adjunto do Colegiado de Pedagogia. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Doutorado em Educação (UFBA).

Referências

ALMEIDA, R. O papel das Universidades no Desenvolvimento Regional. In: MENEZES NETO, P. E.; CASTRO, J. F. (org.). A Universidade e o Desenvolvimento Regional. Fortaleza – CE: Edições UFC, 1980.

UNEB. Anuário UNEB em dados 2019 – Base 2018. Salvador: UNEB, 2019

AMARAL FILHO, J. Celso Furtado e a economia regional. In: SABOIA, J.; CARVALHO, F. J. C. (org.). Celso Furtado e o Século XXI. São Paulo: Editora Monole, 2007.

BECKER, D. F. A economia política do (des)senvolvimento regional contemporâneo. In: BECKER, D. F.; WITTMANN; M. L. Desenvolvimento Regional: abordagens interdisciplinares. Santa Cruz do sul: EDUNISC, 2003.

BOAVENTURA, E. M. A construção da universidade baiana: Objetivos, Missões e Afrodescendência. Salvador: EDUFBA, 2009.

BRASIL. Lei complementar n. 113, de 19 de setembro de 2001. Autoriza o Poder Executivo a criar a Região Administrativa Integrada de Desenvolvimento do Pólo Petrolina/PE e Juazeiro/BA e instituir o Programa Especial de Desenvolvimento do Pólo Petrolina/PE e Juazeiro/BA. Brasília, DF: Presidência da República, 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp113.htm. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. Decreto n. 4.366, de 9 de setembro de 2002. Regulamenta a Lei Complementar no 113, de 19 de setembro de 2001, que autoriza o Poder Executivo a criar a Região Administrativa Integrada de Desenvolvimento do Pólo Petrolina/PE e Juazeiro/BA e instituir o Programa Especial de Desenvolvimento do Pólo Petrolina/PE e Juazeiro/BA, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4366.htm. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. Plano de Ação Integrada e Sustentável para a RIDE Petrolina-Juazeiro: Relatório final. Brasília, DF: Ministério da Integração Nacional, Terragraph, 2010.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: Capitalismo e Esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2009.

FIALHO, N. H. Universidade Multicampi: modalidade organizacional, espacialidade e funcionamento. 2000. 393 f. Tese (Doutorado Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2000.

HAESBAERT, R.; BRUCE, G. A desterritorialização na obra de Deleuze e Guattari. Revista GEOgraphia, Niterói, v. 4, n. 7, p. 7-31, 2002. Disponível em: https://periodicos.uff.br/geographia/article/view/13419. Acesso em: 12 abr. 2021.

LAUXEN, S. L. Universidade multicampi. In: MOROSINI, M. C. Enciclopédia de Pedagogia Universitária. Glossário. Brasília: Inep/MEC, 2006.

MARTINELLI, D.; JOYAL, A. Desenvolvimento local e o Papel das pequenas e médias empresas. Barueri, SP: Manole, 2004.

SAQUET, M. A.; SPOSITO, E. S. (org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. 1. ed. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2009.

SILVA, B. C. et al. (org.). Univasf em números 2012-2019: dados e ações da Gestão Universitária. 1. ed. Petrolina, PE: UNIVASF, 2020.

SANTOS, B. S. Toward an Aesthetics of the Epistemologies of the South. Manifesto in Twenty-Two Theses. In: SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (org.). Knowledges Born in the Struggle: Constructing the Epistemologies of the Global South. New York and London: Routledge, 2020. p. 117-125.

Publicado

01/04/2022

Como Citar

NUNES, E. J. F.; SILVA, T. F. A. da; SANTOS, P. C. M. de A. A universidade multicampi na região integrada de desenvolvimento Petrolina-Juazeiro. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 2, p. 1370–1386, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i2.15746. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15746. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos