Ensino superior e o empoderamento feminino

Percursos possíveis em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17iesp.2.16985

Palavras-chave:

Empoderamento feminino, Ensino superior, UFMS, UFG

Resumo

Esse artigo tem como objetivo refletir sobre as mulheres no Ensino Superior, apontando a contribuição do feminismo nas rupturas e continuidades da inclusão de gênero. Para tal, se analisam as possibilidades de inclusão e manutenção das ações em torno das mulheres em duas instituições do centro oeste do Brasil em tempos de pandemia de SARS-COV-19. Assim, se propõe uma análise sobre os diálogos possíveis nos aportes teóricos acerca das ondas feministas no Brasil e no Ensino Superior, as abordagens sobre igualdade de gênero, e os exemplos da busca pela manutenção e empoderamento das mulheres no Ensino Superior no período pandêmico. Metodologicamente apresentam-se as abordagens do movimento feminista, os diálogos sobre Ensino Superior brasileiro e mulheres, os percalços diante da pandemia e as ações desenvolvidas na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Universidade Federal de Goiás, no centro oeste.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Aparecida Martins Zarbato, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande – MS – Brasil.

Professora titular do Departamento de História. Pós-doutorado em História.

Lucinéia Scremin Martins, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia – GO – Brasil

Professora Associada II na Faculdade de Ciências Sociais. Doutorado em Educação (UFG). Pós-Doutorado (ISCTE-IUL).

Referências

AGRELLO, D. A.; GARG, R. Mulheres na física: Poder e preconceito nos países em desenvolvimento. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 31, n. 1, 1305, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbef/a/xv9Y7DvT9mnyZrx6JL38ZnS/abstract/?lang=pt. Acesso em: 03 out. 2021.

ARTES, A. Dimensionando as desigualdades por sexo e cor/raça na pós-graduação brasileira. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, e192454, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698192454

BARRETO, A. A mulher no ensino superior: Distribuição e representatividade. Cadernos do GEA, Rio de Janeiro, n 6, p. 1-46, jul./dez. 2014. Disponível em: https://flacso.org.br/files/2016/04/caderno_gea_n6_digitalfinal.pdf. Acesso em: 07 ago. 2021.

BLAY, E. A. Violência contra a mulher e políticas públicas. Estudos Avançados, v. 17, n. 49, p. 87-98, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/ryqNRHj843kKKHjLkgrms9k/?format=html. Acesso em: 15 jul. 2021.

BRASIL. Parecer CNE/CEB n. 19/2009. Brasília, DF: CEB, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb019_09.pdf. Acesso em: 14 nov. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n. 329, de 11 de março de 2020. Institui o Comitê Operativo de Emergência do Ministério da Educação - COE/MEC, no âmbito do Ministério da Educação. Brasília, DF: MEC, 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-329-de-11-de-marco-de-2020-247539570. Acesso em: 02 jun. 2021.

COSTA, A. A. A. O movimento feminista no Brasil: Dinâmicas de uma intervenção política. Revista Gênero, v. 5, n. 2, p. 1-20, 2005. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistagenero/article/view/31137/18227. Acesso em: 02 jun. 2021.

DUARTE, C. L. Feminismo: uma história a ser contada. In: HOLLANDA, H. B. (org.). Pensamento feminista brasileiro: Formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HERBETTA, A. F. Políticas de inclusão e relações com a diferença: Considerações sobre potencialidades, transformações e limites nas práticas de acesso e permanência da UFG. Horiz. Antropol, v. 24, n. 50, jan./abr. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/qTpNY8bpMDPWpSLgdt4cjwM/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 set. 2020.

LEWIS, H. The Coronavirus is a disaster for feminism. The Altantic, 2020. Disponível em: https://www.theatlantic.com/international/archive/2020/03/feminism-womens-rights-coronavirus-covid19/608302/. Acesso em: 03 abr. 2021.

LOURO, G. L. Mulheres na sala de aula. In: PRIORE, M. (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997.

MACHADO, C. Crise de gênero ou do mercado de trabalho. Folha de São Paulo, São Paulo, 4 ago. 2020, Mercado Coronavírus, p. 18. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/cecilia-machado/2020/08/uma-crise-de-generos-ou-do-mercado-de-trabalho.shtml. Acesso em: 14 abr. 2021.

ONU. Organização das Nações Unidas. Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher - CEDAW. Assembléia Geral das Nações Unidas, 18 dez. 1979. Disponível em: https://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2013/03/convencao_cedaw1.pdf. Acesso em: 12 jun. 2021.

ORDÓÑEZ, J. M. Ética y Sociedad. Cuenca: Universidad del Azuay, 2008. Disponível em: https://etica.uazuay.edu.ec/sites/etica.uazuay.edu.ec/files/public/%C3%89tica%20y%20Sociedad%20%28libro%29.pdf. Acesso em: 12 jun. 2021.

PARENT IN SCIENCE. Produtividade acadêmica durante a pandemia: Efeitos de gênero, raça e parentalidade. Porto Alegre: Parent in Science, 2020. Disponível em: https://bit.ly/2ApPHl0. Acesso em: 30 nov. 2021.

PEDRO, J. M. O feminismo de “segunda onda”: Corpo prazer e Trabalho. In: PINSKY, C. B.; PEDRO, J M. (org.). Nova História das mulheres no Brasil. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2020.

PINTO, C. R. J. Feminismo, história e poder. Revista de Sociologia e Política, v. 18, n. 36, p. 15-23, jun. 2010. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/rsp/article/view/31624/20159. Acesso em: 30 jun. 2021.

PITANGUY, J. Advocacy e Direitos Humanos. In: BARSTED, L. L.; PITANGUY, J. (coord.). O Progresso das Mulheres no Brasil: 2003-2010. Brasília, DF: CEPIA; ONU Mulheres, 2011. Disponível em: https://onumulheres.org.br/wp-content/themes/vibecom_onu/pdfs/progresso.pdf. Acesso em: 12 jun. 2021.

PORTO, L. Mulheres ainda são minoria em cargos de direção na UFG. Jornal do Professor, Goiânia, ano 7, n. 54, fev./mar. 2019. Disponível em: https://www.adufg.org.br/files/fevereiro-marco-2019-563800.pdf. Acesso em: 12 jun. 2021.

ROSEMBERG, F. Educação. Mulheres educadas e a educação de mulheres. In: PINSKY, C. B.; PEDRO, J. M. (org.). Nova História das mulheres no Brasil. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2020.

SCOTT, J. Gênero: Uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade. v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721. Acesso em: 22 maio 2021.

TELLES, M. A. A. Breve história do feminismo no Brasil e outros ensaios. São Paulo: Alameda Casa Editorial, 2018.

UFG. Universidade Federal de Goiás. Resolução Consuni n. 29/2008. Cria o Programa “UFGInclui” na Universidade Federal de Goiás e dá outras providências. Goiânia, GO: Conselho Universitário da Universidade Federal de Goiás, 2008. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/90/o/Resolucao_CONSUNI_2008_0029.pdf. Acesso em: 17 out. 2021.

UFG. Universidade Federal de Goiás. Resolução Consuni n. 31/2012. Altera a Resolução CONSUNI Nº 29/2008, modificada pelas Resoluções 20/2010 e 18/2011, que dispõem sobre o Programa UFGInclui na UFG. Goiânia, GO: Vice-Reitor, no exercício da Reitoria da Universidade Federal De Goiás, 2012. Disponível em: https://sistemas.ufg.br/consultas_publicas/resolucoes/arquivos/Resolucao_CONSUNI_2012_0031.pdf. Acesso em: 14 out. 2021.

UFMS. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Resolução n. 31, de 18 de junho de 2015. Campo Grande, MS: Presidência do Conselho Universitário, 2015. Disponível em: https://etica.ufms.br/files/2013/08/RESOLUCAO-COUN-COC_RTR-n-31-de-18-06-2015.-1.pdf. Acesso em: 17 nov. 2021.

UFMS. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Mulheres respondem por metade da força de trabalho em ensino e produção científica na UFMS. Campo Grande, MS: UFMS, 2017. Disponível em: https://www.ufms.br/mulheres-respondem-por-metade-da-forca-de-trabalho-em-ensino-e-producao-cientifica-na-ufms/. Acesso em: 17 nov. 2021.

UFMS. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Resolução n. 37, de 29 de abril de 2020. Aprova o Plano de Biossegurança da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em decorrência da Pandemia da Covid-19. Campo Grande, MS: Presidência do Conselho Universitário, 2020. Disponível em: https://esan.ufms.br/files/2020/05/Plano-de-Biosseguran%C3%A7a-da-UFMS.pdf. Acesso em: 17 nov. 2021.

Publicado

30/06/2022

Como Citar

ZARBATO, J. . A. M.; MARTINS, L. . S. Ensino superior e o empoderamento feminino: Percursos possíveis em tempos de pandemia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp.2, p. 1132–1149, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17iesp.2.16985. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16985. Acesso em: 30 nov. 2022.