Educação, corporeidade e a pessoa com deficiência visual

Um diálogo necessário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i4.17371

Palavras-chave:

Educação, Corpo, Corporeidade, Deficiência visual

Resumo

O corpo traz em si diferentes linguagens e significados, por meio dele se estabelecem relações nas quais estão envolvidas outras pessoas, outros seres, as coisas que se encontram no entorno, o mundo. Diante disso, o estudo tem como objetivo compreender as concepções de corpo de alunos com deficiência visual de escolas públicas de Santarém-PA, à luz da abordagem da corporeidade. Optou-se pela pesquisa descritiva de cunho qualitativo. A estrutura teórico/metodológica baseia-se nos pressupostos do fenômeno da corporeidade. Utilizou-se questionário de caracterização do participante e entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados a partir da Elaboração e Análise de Unidades de Significado. Os resultados possibilitaram compreender que as pessoas com deficiência visual possuem concepções de corpo que apresentam diferentes sentidos e significados, transitando entre conceitos biologistas e mecânicos, mas também que se aproximam da abordagem da corporeidade, que considera o corpo como a existência e experiência do ser no mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Karoline Santana Teixeira, Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Santarém – PA – Brasil

Mestrado em Educação.

Hergos Ritor Fróes de Couto, Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Santarém – PA – Brasil

Docente. Doutorado em Educação (UNINOVE).

Referências

AMIRALIAN, M. L. T. M. Compreendendo o cego: Uma visão psicanalítica da cegueira por meio de desenhos-estórias. São Paulo: Casa do psicólogo, 1997.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC, 2008. http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 17 fev. 2022.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Assembleia Nacional, 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 17 fev. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 jan. 2022.

CORREA, Y.; MORO, T. B.; VALENTINI, C. B. Tecnologia assistiva na educação inclusiva. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp. 4, p. 2963-2970, dez. 2021. e-ISSN: 1982-5587. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16060. Acesso em: 10 set. 2022.

COUTO, H. R. F.; RIBEIRO, F.; TEIXEIRA, A. K. S. Corpo, corporeidade e educação: Reflexões no âmbito acadêmico da Amazônia In: COLARES, M. L. I. S.; CALIXTO, H. R. S. (org.). Curso de Pedagogia: Leituras formativas. Santarém, PA: Rosivan Diagramação & Artes Gráficas, 2021.

GALLO, S. Corpo ativo e a filosofia. In: MOREIRA, W. W. (org). Século XXI: A era do corpo ativo. Campinas, SP: Papirus, 2006.

GIORGI, A. A psicologia como ciência humana: Uma abordagem de base fenomenológica. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.

LE BRETON, D. A sociologia do corpo. 6. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

LE BRETON, D. Antropologia dos sentidos. Rio de Janeiro: Vozes, 2016.

LOZANO, D.; PRADO, I. T.; JUNGO, B. G. A inclusão sob a ótica do censo da educação básica: Uma análise dialética com as leis. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp. 1, p. 0825-0843, mar. 2022. e-ISSN: 1982-5587. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15855. Acesso em: 10 out. 2022.

MARTINS, B. A.; CHACON, M. C. M. Estar presente é estar incluído? Análise de situações em que a inclusão escolar não acontece. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp. 2, p. 1339-1355, jun. 2022. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17001. Acesso em: 10 set. 2022.

MARTINS, J.; BICUDO, M. A. V. A pesquisa qualitativa em psicologia: Fundamentos e recursos básicos. São Paulo: PUC-SP, 1989.

MASINI, E. F. S. O perceber de quem está na escola sem dispor da visão. São Paulo: Cortez, 2013.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da Percepção. 5. ed. Tradução: Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 2018.

MOREIRA, W. W. Corpo presente num olhar panorâmico. In: MOREIRA, W. W. (org.). Corpo presente, corpo pressente. Campinas, SP: Papirus, 1995.

MOREIRA, W. W. et al. Corporeidade aprendente: A complexidade do aprender viver. In: MOREIRA, W. W. (org.). Século XXI: A era do corpo ativo. Campinas, SP: Papirus, 2006.

MOREIRA, W. W.; SIMÕES, R. Educação física, esporte e corporeidade: Associação indispensável. In: MOREIRA, W. W.; PICCOLO, V. L. N. (org.). Educação física e esporte no século XXI. Campinas, SP: Papirus, 2016.

MOREIRA, W. W.; SIMÕES, R.; PORTO, E. Análise de conteúdo: Técnica de elaboração e análise de unidades de significado. R. bras. Ci e Mov., v. 13, n. 4, p. 107-114, 2005. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-524584. Acesso em: 28 ago. 2021.

MOTA, M. G. B. A comunicação e a relação interpessoal com o aluno deficiente visual. Brasília, DF: Secretaria de Educação Especial; MEC, 2003.

NISTA-PICCOLO, V. L. et al. As inteligências expressas na corporeidade vivida no cotidiano escolar. Revista educação e cultura contemporânea, Rio de Janeiro, v. 16, n. 44, p. 369-393, 2019. Disponível em: http://revistaadmmade.estacio.br/index.php/reeduc/article/viewArticle/3459. Acesso em: 07 jun. 2022.

NÓBREGA, T. P. A atitude fenomenológica: o corpo sujeito. In: NÓBREGA, T. P.; CARMINHA, I. O. (org.). Merleau- Ponty e a Educação Física. São Paulo: Liber Ars, 2019.

NÓBREGA, T. P. Uma fenomenologia do corpo. São Paulo: Livraria da Física, 2010.

PEREIRA, A. H. M. É Gol, que felicidade? Educação, futebol profissional e Corporeidade na Amazônia. 2020. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/494. Acesso em: 15 out. 2021.

PORTO, E. T. R. A corporeidade do cego: Novos olhares. 2002. Tese (Doutorado em Educação Física) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

PORTO, E. T. R. A corporeidade do cego: Novos olhares. São Paulo: UNIMEP, 2005.

RODRIGUES, M.; BERNARDINO, J. L. F.; MOREIRA, M. V. Barreiras atitudinais: A exclusão que limita a acessibilidade de pessoas com deficiência. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 2, p. 1311-1326, abr./jun. 2022. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15058. Acesso em: 10 set. 2022.

SÁ, E. D. Atendimento educacional especializado para alunos cegos e com baixa visão. In: MANTOAN, M. T. E. (org.). O desafio das diferenças nas escolas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

SANTIN, S. Educação física: Uma abordagem fenomenológica da corporeidade. 2. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2003.

SANTOS, L. A. M. Diálogos entre o pensamento de Merleau-Ponty e o campo educacional: reflexões sobre a corporeidade nas aulas de Educação Física escolar. In: Merleau-ponty e a Educação Física. Orgs: Terezinha Petrúcia de Nóbrega e Iraquitan de Oliveira Caminha. –São Paulo: Liber Arts, 2019. 208 p.

Publicado

30/12/2022

Como Citar

TEIXEIRA, A. K. S.; COUTO, H. R. F. de. Educação, corporeidade e a pessoa com deficiência visual: Um diálogo necessário. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 4, p. 2987–3008, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i4.17371. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17371. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos