Perspectivas da educação permanente em saúde

Autores

  • Fernanda de Oliveira Sarreta
  • Iris Fenner Bertani

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v4i3.2765

Resumo

A Educação Permanente em Saúde (EPS) é uma estratégia político-pedagógica reconhecida mundialmente para consolidar os sistemas públicos de saúde, uma vez que a formação dos profissionais está voltada para as demandas do mercado capitalista e não atende as necessidades de saúde da população. A difusão da EPS pela Organização Pan-Americana de Saúde e Organização Mundial de Saúde tem como base o processo de trabalho e a valorização das vivências e das experiências dos sujeitos sociais. No Brasil a educação foi considerada um elemento funcional do Sistema Único de Saúde (SUS) e a EPS ganhou regulamento de política pública em 2004. A articulação intersetorial entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação, no sentido de discutir e orientar mudanças na graduação das profissões da área da saúde, para implementação de diretrizes curriculares nacionais e renovação dos projetos pedagógicos dos cursos, apresenta a intenção de adequar a formação profissional e o desenvolvimento de recursos humanos em saúde, para que estejam vinculados aos princípios da integralidade da atenção e respondam às necessidades dos serviços. Ao seguir os princípios e as diretrizes organizacionais do SUS, a EPS visa fortalecer o modelo de atenção, a promoção e prevenção em saúde, para que a atenção integral seja a referência do trabalho visando a autonomia dos sujeitos na produção da saúde. Para tanto, busca a formação de um profissional crítico, criativo, com capacidade para “aprender a aprender”, e que considere a realidade social para oferecer atendimento ético, humanizado e de qualidade.

Downloads

Publicado

10/06/2010

Como Citar

SARRETA, F. de O.; BERTANI, I. F. Perspectivas da educação permanente em saúde. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 4, n. 3, p. 398–408, 2010. DOI: 10.21723/riaee.v4i3.2765. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/2765. Acesso em: 2 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos