A (re)invenção de si no entrelaçar das enunciações de gays, travestis e transexuais

Deise Azevedo Longaray, Paula Regina Costa Ribeiro

Resumo


O presente artigo tem, como objetivo, investigar a constituição de sujeitos, os quais autoidentificam-se como gays, travestis e transexuais, problematizando algumas enunciações envolvidas nos seus processos de subjetivação. Para tanto, analisamos narrativas desses sujeitos, a partir de algumas ferramentas propostas por Michel Foucault. Tais narrativas foram produzidas através da metodologia da História Oral. No processo de análise empreendido neste trabalho, destacamos três cenas enunciativas – a busca de uma explicação natural para a homossexualidade; o desejo pelo/a outro/a como marcador dessa subjetividade e as questões de gêneros atreladas a esse processo de reconhecimento como gays, travestis e transexuais. Tais cenas enunciativas se entrelaçam e constituem o enunciado que nomeamos a constituição da homossexualidade dos sujeitos que participaram desse estudo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v10i6.8328



Direitos autorais 2016 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.