Espaço escolar: possibilidades para práticas de atividades físicas da comunidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v23i2.12653

Palavras-chave:

Saúde na escola, Atividade física, Participação comunitária, Educação em saúde.

Resumo

A intencionalidade deste estudo é identificar nas escolas Públicas Estaduais de Tempo Integral da Cidade de Juazeiro do Norte – CE, os espaços para a prática de atividades físicas pela comunidade escolar em momentos extra-aula. Realizou-se uma pesquisa qualitativa de análise de discurso, de campo e experimental, em que foram utilizadas entrevistas a fim de seguir um roteiro com quatro gestores, nos quais se enfatizou a atividade física na escola como possibilidade de mudança de hábitos saudáveis, bem como os recursos disponíveis na escola para a prática de atividade física. Concluiu-se que é de primordial importância o uso dos espaços escolares para prática de atividades físicas pela comunidade e que a escola tem um poder de mudança de hábitos porque é lá que se desenvolve todo o intelecto e não dissociando corpo e mente, podemos também entender que esse espaço pode contribuir com uma cultura de saúde.

Biografia do Autor

Francisco Marcelo Catunda de Oliveira, Centro Universitário Dr. Leão Sampaio (UNILEÃO)

Mestre em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares pela Universidade de Pernambuco (UPE), Campus, Petrolina - PE. Com especialização em Gestão Educacional Pela Universidade Cândido Mendes (UCAM), MG, 2015. Possui Graduação em Educação Física – Licenciatura Plena pela Universidade estadual vale do Acaraú (UVA, 2004). Professor do Centro Universitário Dr. Leão Sampaio

Paulo Adriano Schwingel, Universidade de Pernambuco

Mestre e Doutor em Medicina e Saúde (PPgMS) na Faculdade de Medicina da Bahia (FMB) da Universidade federal da Bahia. Professor Adjunto no Colegiado de Nutrição. Graduado em Educação Física na escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor permanente e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI) da Universidade de Pernambuco (UPE). Professor Permanente no Programa de Pós-Graduação em ciências da Saúde (PPGCS) da UPE Campus Santo Amaro. Professor Colaborador no Programa de Pós-Graduação em Ciências: Química da Vida e Saúde (PPGQVS) da UFRGS, e participa como especialista convidado no Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Líder do Grupo de Pesquisa em Desempenho Humano, pesquisando no Laboratório de Pesquisa em Desempenho Humano (LAPEDH).

Pergentina Parente Jardim Catunda, Universitário Dr. Leão Sampaio

Mestra em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares pela Universidade de Pernambuco (UPE), Campus, Petrolina - PE. Com especialização em Gestão Educacional Pela Universidade Cândido Mendes (UCAM), MG, 2015. Possui Graduação em Educação Física – Licenciatura Plena pela Universidade estadual vale do Acaraú (UVA, 2004). Professora do Centro Universitário Dr. Leão Sampaio

José de Caldas Simões Neto, Centro Universitário Dr. Leão Sampaio

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Cariri (URCA), Juazeiro do Norte-CE. Com especialização em Prática Docente do Ensino Superior, pela Universidade Integradas de Patos, 2013. Possui Graduação em Educação Física – Licenciatura pelo Centro Universitário Dr. Leão Sampaio (UNILEÃO, 2012). Professor do Centro Universitário Dr. Leão Sampaio

Referências

BARBOSA FILHO, V. C. Intervenção voltada à Promoção da Atividade Física em estudantes de Escolas Públicas De Fortaleza, Ceará: Efeito e Variáveis Mediadoras. Florianópolis. Tese de Doutorado em Educação Física. Universidade Federal de Santa Catarina, 2016.

BARBOSA FILHO, V. C. et al. Atividade Física e Ambiente Escolar: Discutindo práticas e percepção na adolescência. Curitiba: Appris, 87 p, 2016.

BRASIL. Secad - Educação Continuada. Ministério da Educação (Comp.). Programa Saúde nas Escolas. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/expansao-da-rede-federal/194-secretarias-112877938/secad-educacao-continuada-223369541/14578-programa-saude-nas-escolas. Acesso em: 23 ago. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Prazo de adesão para Escola em Tempo Integral vai até o dia 25. Site oficial. 2014. Disponível: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/40361>. Acesso em 15 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

CEARÁ. Escolas Regulares em Tempo Integral na Rede Estadual de Ensino. Secretaria De Educação do Estado do Ceará, 2016. Disponível: http://www.seduc.ce.gov.br/index.php/projetos-e-programas?id=10229:escolas-regulares-em-tempo-integral-na-rede-estadual-de-ensino. Acesso em 17 de jun. 2018.

CEDAC. O que revela o espaço escolar? Um livro para diretores de escola. Comunidade Educativa CEDAC, 2. Ed. São Paulo: Moderna, 2017.

FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Manifesto Mundial da Educação Física. Paraná, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa nacional de saúde do escolar: Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

LORENZATO, S. coord. O laboratório do ensino de matemática na formação de professores. Autores Associados, São Paulo, 2010.

MARQUES, A. T; GAYA, A. Atividade física, aptidão física e educação para a saúde: estudos na área pedagógica em Portugal e no Brasil. Revista Paulista de Educação Física, v. 13, n. 1, p. 83-102, 1999.

MATTOS, M. G.; ROSSETO JÚNIOR, A. J.; BLECHER, S. Teoria e prática da metodologia da pesquisa em educação física: construindo sua monografia, artigo científico e projeto de ação. Phorte, 2004.

OLIVEIRA, F. M. C. A escola pública como recurso da comunidade para prática de atividade física. 2018. 109 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares, Universidade de Pernambuco - UPE, Petrolina, 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE [OMS]. Global health

risks: mortality and burden of disease attributable to selected major

risks. Geneva: World Health Organization, 2009.

PORTAL BRASIL. Metade dos brasileiros está com excesso de peso. 2015. Disponível: http://www.brasil.gov.br/saude/2015/04/metade-dos-brasileiros-esta-com-excesso-de-peso. Acesso em 15 de maio. 2019.

RAAB, Y. S. Escola Para Quê?: Reflexões sobre a função da Escola Pública Estadual Paulista. Piracicaba. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade Metodista de Piracicaba, 2016.

RIOS, T. A. O espaço físico da escola é um espaço pedagógico. Revista Nova Escola, 2011. Disponível em: https://gestaoescolar.org.br/ onteúdo/476/o-espaco-fisico-da-escola-e-um-espaco-pedagogico. Acesso em 17 de maio 2019.

SPOHR, C. et al. Atividade física e saúde na Educação Física escolar: efetividade de um ano do projeto “Educação Física”. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 19, n. 3, p. 300, 2014.

Publicado

09/06/2019

Como Citar

Oliveira, F. M. C. de, Schwingel, P. A., Catunda, P. P. J., & Simões Neto, J. de C. (2019). Espaço escolar: possibilidades para práticas de atividades físicas da comunidade. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 23(2), 466–478. https://doi.org/10.22633/rpge.v23i2.12653

Edição

Seção

Dossiê Temático / Thematic dossier

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)