Convivência escolar como política pública no estado de São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26iesp.3.16952

Palavras-chave:

Educação, Escola, Conviva, Política pública, Violência

Resumo

Este artigo tem por objeto de estudo as relações escolares na Educação Básica e está embasado na psicologia histórico cultural e na pedagogia histórico crítica. O objetivo é analisar um programa de governo implementado na Rede Pública Paulista, intitulado conviva, voltado para a melhoria da qualidade da convivência escolar. Este programa foi concebido para atender as necessidades dos educadores da rede estadual paulista no tratamento dos conflitos, das violências e promover a melhoria do clima relacional e segurança das escolas. Mas a análise dos documentos realizada até esse momento, ressalta a influência das políticas neoliberais, implementadas nas últimas décadas sobre o programa, alterando o foco das suas ações para homogeneizar os comportamentos e promover o controle social, passando a tratar de saúde mental de estudantes e professores, contribuindo para a patologização da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Maria Fodra, Universidade de São de Paulo (USP), São Paulo – SP – Brasil

Doutoranda no Programa de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano.

Marilene Proença Rebello de Souza, Universidade de São de Paulo (USP), São Paulo – SP – Brasil

Professora Titular. Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano.

Referências

CECCON, C. et al. Conflitos na escola: Modos de transformar. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Referências técnicas para a atuação de psicólogas(os) na educação básica. Brasília, DF: CFP, 2019. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2019/08/educacaobasica_web.pdf. Acesso em: 20 nov. 2021.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

JARES, X. R. Pedagogia da convivência. São Paulo: Palas Athena, 2008.

LEAL, Z. F. R. G.; FACCI, M. G. D.; SOUZA, M. P. R. Adolescência em foco: Contribuições para a psicologia e para a educação. Maringá: SciELO – EDUEM, 2014.

MARX, K. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

OLIVEIRA, D. A. Nova gestão pública e governos democrático populares: Contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Educ. soc., Campinas, v. 36, n. 132, p. 625-646, jul./set. 2015. disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/nvqbjcqwfmxgrflctr3clcj/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 nov. 2021.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: Histórias de submissão e rebeldia. 5. ed. São Paulo: Intermeios, 2015.

PEREIRA, L. C. B. Uma reforma gerencial da administração pública no Brasil. Revista do Serviço Público, v. 49, n. 1, p. 5-42, jan./mar. 1998. disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/rsp/article/view/360. Acesso em: 20 nov. 2021.

RISTUM, M. Violência na escola, da escola e contra a escola. In: ASSIS, S. G. (org.). Impactos da violência na escola: Um diálogo com professores. Rio de Janeiro: Ministério da Educação; Editora Fiocruz, 2010.

SÃO PAULO (Estado). Resolução n. 48, de 1 de outubro 2019. Institui o CONVIVA SP – Programa de melhoria da convivência e proteção escolar no âmbito da rede estadual de educação. São Paulo: Secretário de Estado da Educação, 2019a. Disponível em: http://www.educacao.sp.gov.br/lise/sislegis/detresol.asp?strato=201910010048. Acesso em: 10 mar. 2020.

SÃO PAULO (Estado). Plano Estratégico 2019 a 2022. São Paulo: SEDUC-SP, 2019b. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1y_11kktemg7mfqw7pxbitcknuxyktqjh/view?usp=sharing. Acesso em: 10 jan. 2022.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: Primeiras aproximações. Campinas, SP: Editora autores associados, 2011.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Editora autores associados, 2013.

SOUZA, M. P. R. Prontuários revelando bastidores: Do atendimento psicológico à queixa escolar. In: SOUZA, B. P. (org.). Orientação à queixa escolar. São Paulo: Casa do psicólogo, 2007.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1991.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2018.

VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. Estudos sobre a história do comportamento: Símios, homem primitivo e criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

VINHA, T.; TOGNETTA, L. P. Construindo a autonomia moral na escola: Os conflitos interpessoais e a aprendizagem dos valores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 9, n. 28, p. 525-540, set./dez, 2009. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=189114443009. Acesso em: 24 jan. 2022.

Publicado

01/07/2022

Como Citar

FODRA, S. M. .; DE SOUZA, M. P. R. . Convivência escolar como política pública no estado de São Paulo. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. esp.3, p. e022092, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26iesp.3.16952. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/16952. Acesso em: 11 ago. 2022.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.