A implementação de um programa de convivência para escolas

Bases e desafios de ponta a ponta

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26iesp.3.16951

Palavras-chave:

Ética, Escola, Juventude, Políticas públicas

Resumo

Tratar da temática dos problemas de convivência na escola, já presentes antes da pandemia e potencializados por ela, parece ser uma das mais destacadas discussões para se concretizar objetivos educacionais tão pretendidos como a formação de pessoas autônomas e éticas. Neste sentido, este artigo teórico tem como objetivo apresentar brevemente a descrição da implementação de um Programa de Convivência junto à rede pública de educação de São Paulo, suas dificuldades e aprendizagens para aqueles que ainda esperam concretizar, no Brasil, a construção de políticas públicas que garantam o tema da convivência como condição à educação brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciene Regina Paulino Tognetta, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara-SP – Brasil

Professora do Departamento de Psicologia da Educação (FCLAr/UNESP). Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano.

Maria de Fátima Barbosa Abdalla, Universidade Católica de Santos (UNISANTOS), Santos – SP – Brasil

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação.

Referências

ABDALLA, M. F. B. O senso prático de ser e estar na profissão. São Paulo: Cortez, 2006.

ABDALLA, M. F. B. Relações de incerteza e exclusão: É possível pensar em estratégias para a educação em tempos de pandemia? Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 24, p. 1-10, e-15972.048, 2021. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/15972/209209214306. Acesso em: 22 out. 2021.

ALTET, M. Análise das práticas dos professores e das situações pedagógicas. Porto: Porto Editora, 2000.

ARROYO, M. Vidas ameaçadas: Exigências-respostas éticas da educação e da docência. Petrópolis: Vozes, 2019.

AVILÉS MARTÍNEZ, J. M. Bullying: Intimidación y maltrato entre el alumnado. Bilbao: Stee-Eilas, 2003.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Tradução: Mariza Corrêa. Campinas: Papirus Editora, 1997.

CANÁRIO, R. Centros de Formação das Associações de Escola: Que futuro? In: AMIGUINHO; A.; CANÁRIO, R. (org.). Escolas e Mudanças: O papel dos Centros de Formação. Lisboa: Educa, 1994.

CASASSUS, J. A reforma educacional na América Latina no contexto de globalização. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 7-28, nov. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/G84F35T35zrRSv9drSJc6Dz/?format=html. Acesso em: 12 jun. 2021

CHILE. Política Nacional de Convivência Escolar. Chile: Ministerio de Educación, 2019. Disponível em: https://convivenciaparaciudadania.mineduc.cl/wp-content/uploads/2019/04/Politica-Nacional-de-Convivencia-Escolar.pdf. Acesso em: 14 mar. 2021.

COLÔMBIA. Guía Pedagógica para la Convivencia Escolar. Bogotá, D.C.: Ministerio da Educación Nacional, 2014. Disponível em: https://redes.colombiaaprende.edu.co/ntg/men/pdf/Guia%20No.%2049.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

DEBARBIEUX, E. A violência na escola francesa: 30 anos de construção social do objeto (1976-1997). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 163-193, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/hvTPxbVrdZxqksQBvsbXN5h/?lang=pt. Acesso em: 14 set. 2021.

DEBARBIEUX, E. Violência na escola: Um desafio mundial? Lisboa: Instituto Piaget, 2007.

DELORS, J. “Os 4 pilares da Educação” de Jacques Delors. Brasília, DF: MEC; UNESCO, 2003

DÍAZ-AGUADO, M. J. Da violência escolar à cooperação na sala de aula. Americana, SP: Adonis, 2015.

DOURADO, L. F.; SIQUEIRA, R. M. Trabalho e formação de professores/as: Retrocessos e perdas em tempos de pandemia. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 14, n. 39, p. 842-857, set./dez. 2020. Disponível em: htttp://retratosdaescola.ennuvens.com.br/rde. Acesso em: 07 maio 2020.

DUBET, F. Quando o sociólogo quer saber o que é ser professor. Revista Brasileira de Educação, n. 5-6, p. 222-231, 1997. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-24781997000200018&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 11 dez. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

JARES, X. R. Educacion y conflicto: Guia de educacion para la convivencia. Madrid: Popular, 2001.

JARES, X. R. Pedagogia da Convivência. São Paulo: Palas Athena, 2008.

LA RUSSO, M.; SELMAN, R. Early adolescente health risk behavior, conflict resolution strategies and school climate. Journal of Applied Developmental Psychology, v. 32, n. 6, p. 354-362, 2011. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0193397311000712?via%3Dihub. Acesso em: 15 mar. 2021.

LAHR, T. B. S.; TOGNETTA, L. R. P. Proteção e bem-estar na escola: um emaranhado de nós para desatar em contextos pós-pandêmicos. Tópicos Educacionais, v. 27, n. 1, p. 62-78, jun. 2021. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/topicoseducacionais/article/view/250506. Acesso em: 08 fev. 2022.

OLWEUS, D. Bullying at school. What we know and what we can do. Blackwell: Oxford and Cambridge, 1993.

RETUERT ROE, G.; CASTRO, P. J. Teorías subjetivas de profesores acerca de su rol en la construcción de la convivencia escolar. Polis, Santiago, v. 16, n. 46, p. 321-345, abr. 2017. Disponível em: http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-65682017000100321&lng=es&nrm=iso Acesso em: 20 jul. 2021.

RODRIGUES, A.; ESTEVES, M. A análise de necessidades na formação de professores. Porto: Porto Editora, 1993.

SANTOS, B. S. A gramática do tempo: Para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

SANTOS, N. C. P. A descrição da construção coletiva do Programa Antibullying em uma rede de ensino: Para que a convivência ética seja valor. 2021. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2021. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/213976/santos_ncp_me_arafcl.pdf?sequence=7&isAllowed=y. Acesso em: 09 jan. 2022.

TOGNETTA, L. R. P. A construção da solidariedade e a educação do sentimento na escola: Uma proposta de trabalho com as virtudes numa visão construtivista. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003.

TOGNETTA, L. R. P. Violência na escola x violência da escola. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DA PUCPR–EDUCERE, 8.; CONGRESSO IBERO–AMERICANO SOBRE VIOLÊNCIAS NAS ESCOLAS–CIAVE, 3., 2008, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2008.

TOGNETTA, L. R. P. Quando a preocupação é compartilhada: Intervenções aos casos de bullying. Americana, SP: Editora Adonis, 2020.

TOGNETTA, L. R. P. (coord.). A convivência como valor nas escolas públicas: Implantação de um Sistema de Apoio entre Iguais. São Paulo: FCC; FIS, 2022. Disponível em: https://www.itausocial.org.br/wp-content/uploads/2022/05/pesquisa-itau-social-anos-finais-451.pdf. Acesso em: jan. 2022.

TOGNETTA, L. R. P.; VINHA, T. P. Até quando? Bullying na escola que prega a inclusão social. Educação (UFSM), v. 35, n. 3, p. 449-464, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2354. Acesso em: 10 fev. 2021.

TOGNETTA, L. R. P; VINHA, T. P. É possível superar a violência na escola? Campinas, SP: Editora do Brasil, 2012.

TOGNETTA, L. R. P.; FODRA, S. BONI, L. G. Os grandes ataques em escolas: O que sabemos? In: TOGNETTA, L. R. (org.). Bullying e convivência em tempos de escolas sem paredes. Americana: Editora Adonis, 2020.

TWEMLOW, S. W. et al. A School climate intervention that reduces bullying by a focus on the bystander audience rather than the bully and victim. In: JIMERSON, S. R.; SWEARER, S. M.; ESPELAGE, D. L. (eds.). Handbook of bullying in schools: An international perspective. London: Routledge, 2009.

URUÑELA, P. M. N. Trabajar la convivencia en los centros educativos. Aula de innovación educativa, n. 221, p. 36-40, 2013. Disponível em: https://www.grao.com/es/producto/trabajar-la-convivencia-en-los-centros-educativos. Acesso em: 14 maio. 2021

URUÑUELA, P. Por qué debemos trabajar la convivencia en los centros educativos?. In: ABAD, J. (coord.). Aprender a convivir, aprender a transformar. Bracelona: Graó, 2017.

VILLALBA, J. La convivencia escolar en positivo. Revista Educación y Humanismo, v. 18, n. 30, p. 92-106, 2016. Disponível em: http://revistas.unisimon.edu.co/index.php/educacion/article/view/2379/2271. Acesso em: 07 nov. 2021.

VINHA, T. P.; NUNES, C. A. A. O desafio da convivência: Ao tratar da mesma forma indisciplina e violência, escola perde oportunidade de agir de forma reflexiva e transformadora. Cadernos Globo, Rio de Janeiro, v. 14, p. 70-79, nov. 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/330703049_O_desafio_da_convivencia_Ao_tratar_da_mesma_forma_indisciplina_e_violencia_escola_perde_oportunidade_de_agir_de_forma_reflexiva_e_transformadora. Acesso em: 12 jun. 2021.

VINHA, T. P.; NUNES, C. A. A. As agressões do aluno ao professor: Cenários e possibilidades de intervenção na escola. Educação Unisinos, v. 24, p. 1-13, 2020. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2020.241.33. Acesso em: 11 mar. 2019.

VIVALDI, F. M. C. A função social da escola: A implantação de um projeto institucional para a convivência ética. 2020. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP, 2020. Disponível em: https://bv.fapesp.br/pt/publicacao/186601/a-funcao-social-da-escola-a-implantacao-de-um-projeto-insti/. Acesso em: 05 dez. 2020.

Publicado

01/07/2022

Como Citar

PAULINO TOGNETTA, L. R. .; BARBOSA ABDALLA, M. de F. . A implementação de um programa de convivência para escolas: Bases e desafios de ponta a ponta. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. esp.3, p. e022091, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26iesp.3.16951. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/16951. Acesso em: 11 ago. 2022.