Sobre as mudanças no ensino médio: algumas (in)certezas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v23i3.12943

Palavras-chave:

Ensino médio, Políticas públicas, Organização curricular.

Resumo

A descontinuidade das políticas públicas no EM é um fato e pode ser observado nas últimas duas ou três décadas, nos diferentes projetos lançados para esta etapa. Recentemente uma onda reformista vem propondo modificações no EM. Contudo, sabendo que as regras formais podem até direcionar as ações e orientar algumas propostas práticas, nos pautamos em Ball (1994) para afirmar que é a partir das regras informais que a política se adapta à realidade vivenciada. Partindo dessa premissa, consideramos que muitas são as incertezas a partir desta nova proposta para o EM, sobretudo a partir da estruturação curricular e da organização do ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Shirlei de Souza Corrêa, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí – SC

Doutorado em Educação, vinculado ao grupo de Políticas Públicas de Currículo e Avaliação. Mestrado em Educação pela mesma instituição. Pós-graduação pela UFSC. Dedico-me a pesquisas sobre questões curriculares: as teorias, as políticas públicas e os contextos práticos, com especial atenção aos movimentos que se constituem a partir da efetivação da formação humana integral.

Verônica Gesser, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí – SC – Brasil.

Pos-Doutorado em Educação: Currícullo e Ensino - pela Barry University, FLORIDA, USA (Fianciamento:CAPES).. Doutora em Educação - Currículo e ensino - pela Florida International University, USA. Mestrado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Líder do Grupo de pesquisa de Políticas e Práticas de Currículo e Gestão cadastrado no CNPQ. Diretora da Escola de Educação (Centro de Educação) da UNIVALI . Professora e Vice-Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Educação (Mestrado e Doutorado) da Universidade do Vale do Itajaí. i. Ampla experiência na área de Educação Básica e Superior, com ênfase em: Politicas Publicas, Teoria Geral de Planejamento e Desenvolvimento Curricular. Suas pesquisas estão focadas nos temas: Políticas Públicas, Currículo, e Avaliação Educacional. Faz parte do Banco de Avaliadores do INEP, atuando ativamente nos Atos e Processos Regulatórios de Avaliação do Ensino Superior da Educação Brasileira, tanto na modalidades presenciais quanto na Educação à Distância.

Referências

BALL, S. J. Educational reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994.

BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. Reforming education & changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado, 2006.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm . Acesso em: 15 jun. 2017.

BRASIL. Decreto no 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2208.htm . Acesso em: 04 jan. 2018.

BRASIL. Decreto no 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Brasília, 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2004/decreto/d5154.htm . Acesso em: 15 jun. 2017.

BRASIL. Projeto de Lei nº 6840 de 2013. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=602570 Acesso em: 02 abr. 2018.

BRASIL. 45ª Nota Pública Sobre a Medida Provisória relativa ao ensino médio. Fórum Nacional de Educação. 2016. Disponível em http://contee.org.br/contee/index.php/2016/09/fne-divulga-nota-contra-a-mp-do-ensino-medio/ Acesso em 13 fev. 2018.

BRASIL. Lei nº 13415, de 16 de fevereiro de 2017. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=602570 Acesso em: 30 mar. 2018.

CANÁRIO, R. O que é a Escola? Porto: Porto Editora, 2005.

CZERNISZ, E. C. S. As novas diretrizes para o ensino médio e os “antigos” desafios escolares. Roteiro, [S.l.], v. 38, n. 2, p. 257-272, jul. 2013. ISSN 2177-6059. Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/roteiro/article/view/2348. Acesso em: 01 Jun. 2017.

COSTA. G. L. M. O ensino médio no Brasil: desafios à matrícula e ao trabalho docente. R. bras. Est. pedag., Brasília, v. 94, n. 236, p. 185-210, jan./abr. 2013.

DEMO, P. Cidadania menor: algumas indicações quantitativas de nossa pobreza política. Petrópolis: Vozes, 1997.

FRIGOTTO, G. Possibilidades e desafio na organização do currículo integrado. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (orgs). Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

FRIGOTTO, G. A reforma do Ensino Médio do (des)governo Temer. 2016. Disponível em http://www.anped.org.br/news/reforma-de-ensino-medio-do-des-governo-de-turno-decreta-se-uma-escola-para-os-ricos-e-outra. Acesso 30 mar. 2017.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. A formação do cidadão produtivo: a cultura de mercado no ensino médio técnico. Brasília. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2006. Disponível em: http://www.publicacoes.inep.gov.br/portal/download/434. Acesso em: 03 dez. 2017.

GOODSON, I. O currículo em mudança. Porto: Porto Editora, 2001.

GRIKE, F. Concepções de interdisciplinaridade: o programa ensino médio inovador. Dissertação (Mestrado em Educação.) – Universidade Federal do Paraná, Faculdade de Educação. Disponível em: http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/1738. Acesso em 22 mar 2017.

ISLEB, V. O Programa Ensino Médio Inovador e sua relação com os dados de fluxo escolar. Dissertação (Mestrado em Educação.) – Universidade Federal do Paraná, Faculdade de Educação. 2014. 171 f. Disponível em http://www.observatoriodoensinomedio.ufpr.br/wp-content/uploads/2014/04/Vivian-Isleb-disserta%C3%A7%C3%A3o-final-2014.pdf Acesso em 5 abr. 2018.

LOPES, A. C. Discursos nas políticas de currículo. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 33-52, julho/dezembro 2006.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade. Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006.

MOEHLECKE, S. O ensino médio e as novas diretrizes curriculares nacionais: entre recorrências e novas inquietações. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 49, p. 39-50, 2012.

MONTAÑO. C. E. O projeto neoliberal de resposta à “questão social” e a funcionalidade do “terceiro setor”. Lutas Sociais (PUCSP), PUC - São Paulo, v. 8, p. 53-64, 2001.

MORAIS, L. P. As políticas públicas de economia solidária (ESOL): avanços e limites para a inserção sociolaboral dos grupos-problema. 2013. 263 p. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas, SP. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000905687. Acesso em: 1 abr. 2018.

NASCIMENTO, M. N. Ensino Médio no Brasil: determinações históricas. Publ. UEPG Ci. Hum., Ci. Soc. Apl., Ling., Letras e Artes, Ponta Grossa, 15 (1) 77-87, jun. 2007.

PACHECO, J. A. Políticas Curriculares: referencias para análise. Porto Alegre: Artmed, 2009.

PINTO, J. M. de R. O Ensino Médio. In: OLIVEIRA, Romualdo Portela; ADRIÃO, Theresa. (Org.). Organização do Ensino no Brasil. 1 ed. São Paulo: Xamã, p 51­76. 2002

SAVIANI, D. Palestra: A última do "Ensino Médio". Evento: Contrarreformas Neoliberais e os caminhos da Esquerda. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=TnpnRq21Iuc. Acesso em 15 fev. 2017.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE SANTA CATARINA. Princípios de uma educação integral. Uma parceria entre a Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina e o instituto Ayrton Senna. Caderno II, 2017. Disponível em www.sed.sc.gov.br Acesso em: 13 abr. 2017.

SILVA, M. R. Políticas educacionais para o Ensino Médio e sua gestão no Brasil contemporâneo. Entrevista. Dialogia, São Paulo, n. 23, p. 17-29, jan./jun. 2016. Disponível em http://www4.uninove.br/ojs/index.php/dialogia/article/viewFile/6504/3198. Acesso em: 30 mar. 2018.

SILVA, M. R.; KRAWCZYK, N. Pesquisadoras “conversam” com PL 6.840 de reforma do Ensino Médio. Carta Capital na Escola. Opinião. Edição de 21 de julho de 2015. Disponível em http://www.cartaeducacao.com.br/opiniao/pesquisadoras-conversam-com-pl6-840-de-reforma-do-ensino-medio. Acesso em: 28 mar. 2018.

YOUNG, M. F. D. Bringing knowledge back in: from social constructivism to social realism in the sociology of education. London: Routledge, 2007.

Publicado

15/08/2019

Como Citar

CORRÊA, S. de S.; GESSER, V. Sobre as mudanças no ensino médio: algumas (in)certezas. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 23, n. 3, p. 680–695, 2019. DOI: 10.22633/rpge.v23i3.12943. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/12943. Acesso em: 16 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos