Percepções dos estudantes de licenciatura acerca do conceito de currículo: implicações da cultura e cultura escolar na educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v23i1.11970

Palavras-chave:

Currículo, Cultura, Cultura escolar, Licenciatura em pedagogia.

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar as representações que os estudantes de um Curso de Licenciatura em Pedagogia de um Instituto Federal (IFs) do estado de Santa Catarina possuem em relação a compreensão do conceito de currículo e suas implicações nas políticas curriculares da Educação Básica. Nesta pesquisa de caráter qualitativo, utilizou-se como método a entrevista semiestruturada com perguntas abertas como instrumento de coleta de informações, as quais foram realizadas com 08 estudantes de licenciatura do 7º e 8º semestre do referido curso. Os resultados evidenciam que as percepções dos licenciandos estão fundamentadas na compreensão do currículo como instrumento de transformação, onde por meio dos conhecimentos escolares, planejamento, currículo ação, oculto e avaliado são representados aos estudantes os elementos da cultura escolar, da política curricular nacional, ou seja, faz parte do currículo todos os elementos de um desenvolvimento curricular, os quais são imbricados pela cultura.

Biografia do Autor

Andressa Graziele Brandt, Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Camboriú - SC.

Doutora em Educação pelo PPGE da Universidade Federal de Santa Catarina, Linha de Pesquisa: Ensino e Formação de Professores. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Integrante do grupo de estudos e Pesquisas: Formação de Professores e Práticas de Ensino - FOPPE (UFSC/CNPq) e Integrante do Grupo de Pesquisas Interdisciplinares: Educação, Saúde e Sociedade (UEMA/CNPq). Pedagoga- Supervisora Educacional e Professora da área de Pedagogia do Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú – IFC. E-mail: andressabrandt@hotmail.com; andressa.brandt@ifc.edu.br

Filomena Lucia Gossler Rodrigues da Silva, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Camboriú, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de São Miguel do Oeste (1997), mestrado em Educação pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de Joaçaba (2009) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014). Atualmente é professora nos cursos de licenciatura e no Programa de Pós-graduação em Educação Lato Sensu do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Camboriú. Atua principalmente nos seguintes temas: Políticas Públicas, Educação Profissional e Formação de professores. Membro e vice-líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Formação de Professores e Processos Educativos do Instituto Federal Catarinense, membro do Grupo de Pesquisa Ensino Médio em Pesquisa e membro do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (OIIIIPe). Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação Lato Sensu do Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú. Coordenadora pro tempore do Curso de Mestrado em Educação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Camboriú

Sonia Regina de Souza Fernandes, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Catarinense - IFC - Campus Camboriú.

Graduação em Pedagogia pela Universidade do Planalto Catarinense/UNIPLAC(1992)/SC. Mestrado(2001) e Doutorado(2008) em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos/UNISINOS/RS. Doutoramento sanduíche na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto/UP/Portugal. Professora e pesquisadora com experiência na área de Educação Básica e Superior. Linha de Pesquisa: Políticas e Processos Pedagógicos em Educação e Formação de Professores. Experiência em processos de formação continuada de professores da Educação Básica e Superior. Foi coordenadora institucional do PIBID/IFC. É docente no Instituto Federal Catarinense/Campus de Camboriú. Foi coordenador o setor de Ensino Superior (2012-2015). Foi coordenadora da Câmara de Ensino do Conif (2016-2017). Membro da Câmara de Desenvolvimento Institucional. Membro Conselho Consultivo do Programa de Aperfeiçoamento dos Processos de Regulação e Supervisão da Educação Superior/CC-PARES (representando o Conif). Membro do Fórum Nacional de Educação/FNE (representando o Conif). Docente do ProfEPT (Mestrado Profissional). Atualmente, é reitora do Instituto Federal Catarinense (2016-2019)

Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís – MA – Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. Mestre em Educação pela Universidade Federal do Piauí - UFPI. Líder do GRUPO DE PESQUISAS INTERDISCIPLINARES: Educação, Saúde e Sociedade (CNPq/UEMA). Participou de um Estágio do Doutorado em Educação no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa - UL. Especialista em Coordenação Pedagógica pela UEMA e Avaliação Educacional pela UFPI, Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA. Professora Adjunto I do Departamento de Educação da UEMA do Centro de Estudos Superiores de Caxias - CESC. Trabalhou como Coordenadora Pedagógica de Educação à Distância durante 12 anos junto a UemaNet no CESC/UEMA. Trabalha como Coordenadora Pedagógica e Formadora na Secretaria Municipal de Educação, Ciências e Tecnologia de Caxias - SEMECT. É também Avaliadora de Avaliação Externa do MEC/INEP/SINAES, para autorização de cursos de graduação, passando a integrar o Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior ? BASis, Portaria nº 487, de 7 de junho de 2018. Pesquisas concluídas, em andamento, apresentadas e publicadas em eventos nacionais e internacionais. É Relatora do Comitê de Ética e Pesquisa Portaria n. 116/2018 - GR/UEMA. Experiências nas áreas de formação, desenvolvimento profissional, profissionalização docente, Pedagogia, saberes docentes, autismo e avaliação da aprendizagem.

Nadja Regina Sousa Magalhães, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Pelotas na Linha de Pesquisa Currículo, Profissionalização e Trabalho Docente. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC na linha de Pesquisa: Ensino e Formação de Educadores. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, com especialização em Supervisão Escolar pela Universidade Cândido Mendes-RJ e especialização em Gestão Educacional pela Faculdade de Teologia Integrada - PE. É participante do grupo de Pesquisa INTERDISCIPLINAR: Educação, Saúde e Sociedade? da Universidade Estadual do Maranhão. Realiza estudos referentes à Educação Integral em Tempo Integral. Possui experiência na área de coordenação pedagógica e formação de professores e Educação a Distância.

Joelson de Sousa Morais, Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP

Doutorando em Educação pela Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP. Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN (2015). Possui Especialização em Psicologia da Educação pela Universidade Estadual do Maranhão-UEMA (2016) e Graduação em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão-FACEMA (2012). É pesquisador do "Grupo de Pesquisas Interdisciplinares: Educação, Saúde e Sociedade", e do "GEPRGE-Grupo de Estudos e Pesquisas, Políticas Públicas, Regulação e Gestão Educacional", ambos da UEMA e certificados pelo CNPQ. Tem experiência e desenvolve investigações nas áreas de: Formação de Professores; Cotidiano Escolar; Saberes, Identidade e Desenvolvimento Profissional Docente; Professores/as Iniciantes; Epistemologia da Complexidade; Currículo e Pesquisa Narrativa. E-mail: joelsonmorais@hotmail.com

Referências

ANDRÉ, M. E. D. de. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, PT: 70, 2009.

BARROSO, J. (Org.). O Estudo da Escola. Porto: Porto Editora, 1996.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Ed. Bertrand Brasil S.A. Rio de Janeiro. 1989, (159p).

BOURDIEU, P. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Textos fundantes de educação. Tradução de Reynaldo Bairão; revisão de Pedro Banjamim Garcia e Ana Maria Baeta. 7ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CHAUÍ, M. A ideologia da competência. André Rocha (org). Belo Horizonte: Autêntica Editora; São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2014.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação. Porto Alegre, n. 2, p. 177-229, 1990.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

FORQUIN, J. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Tradução: Guacira Lopes Louro. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

GHIRALDELLI Jr., P. História da educação. 4. ed. rev. São Paulo: Cortez, 2009.

HALL, S. The centrality of culture: notes on the cultural revolutions of our time. In: THOMPSON, Kenneth (ed.). Media and cultural regulation. London, Thousand Oaks, New Delhi: The Open University; SAGE Publications, 1997. (Cap. 5) Publicado em Educação & Realidade com a autorização do autor. Tradução e revisão de Ricardo Uebel, Maria Isabel Bujes e Marisa Vorraber Costa.

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. 13. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2003.

LIMONTA, S. V. Currículo e formação de professores: um estudo da proposta curricular do curso de pedagogia da universidade estadual de Goiás. 2009. 332 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Goiás. Programa de Pós-Graduação em Educação, 2009.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. Rev. Bras. Educ. [online], n. 23, p. 156-168. 2003. ISSN 1413-2478. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782003000200012. Acesso em: 18 jun. 2017.

MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. Currículos, disciplinas escolares e culturas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

PACHECO, José Augusto. Currículo: Teoria e Práxis. 3 ed. Porto: Porto Editora, 2001.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, J. L. O que é cultura. São Paulo: Brasiliense, 2003.

SOUZA, E. M. M. Cultura brasileira – figuras da alteridade. São Paulo: Hucitec, 1996.

VIÑAO-FRAGO, A. El espacio y el tiempo escolares como objeto histórico. In: Warde, M. J. (org). Contemporaneidade e Educação. Temas de História da Educação. Rio de Janeiro: Instituto de Estudos da Cultura da Educação, 2000.

VIÑAO-FRAGO, A. Tiempos Escolares, Tiempos Sociales. Barcelona: Editorial Ariel, 2001.

Publicado

02/01/2019

Como Citar

Brandt, A. G., Silva, F. L. G. R. da, Fernandes, S. R. de S., Nascimento, F.-L. S. C. do, Magalhães, N. R. S., & Morais, J. de S. (2019). Percepções dos estudantes de licenciatura acerca do conceito de currículo: implicações da cultura e cultura escolar na educação. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 23(1), 175–201. https://doi.org/10.22633/rpge.v23i1.11970

Edição

Seção

Artigos