Formação de professores e o atendimento ao público-alvo da Educação Especial

Desafios e fragilidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26i00.15906

Palavras-chave:

Educação Especial, Formação de professores, Inclusão

Resumo

El trabajo en cuestión se desarrolló a partir de una encuesta de carácter exploratorio - donde matrices curriculares y programas de estudio relacionadas con Educación Especial y / o Educación Inclusiva, Lengua de Signos Brasileña (Libras) y prácticas en Educación Especial y / o Educación Inclusiva de IES en el Estado de Río de Janeiro - y los relatos de experiencia de un maestro de Educación Especial. Buscamos comprender cómo la formación inicial, a un nivel superior, ha preparado a los futuros profesores de educación básica para trabajar con estudiantes con discapacidad. Entendiendo la asistencia escolar a clases regulares como un derecho de este público, atendiendo a sus necesidades específicas, merece atención la preparación de los profesionales que los recibirán en las escuelas públicas. A través de las experiencias presentadas, reflexionamos y hacemos recomendaciones sobre el proceso de formación docente y los desafíos que enfrentan estos profesionales para brindar asistencia educativa al público objetivo de Educación Especial. Los resultados apuntan a una formación aún deficiente de los futuros docentes en esta área, aunque ya estén actuando durante la graduación como mediadores de estos estudiantes en la educación básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Prado de Oliveira, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro – RJ – Brasil

Professor Adjunto no Departamento de Fundamentos da Educação e Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (PUC-Rio).

Maria Alice M. Ramos, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro – RJ – Brasil

Professor Adjunto no Departamento de Fundamentos da Educação. Doutorado em Educação (UFF).

Luciana Angrizani, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro – RJ – Brasil

Graduação em Pedagogia.

Referências

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 22 jun. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: MEC, 2015a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17719-res-cne-cp-002-03072015&category_slug=julho-2015-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 20 jun. 2021.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: Presidência da República, 2015b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/L13146.htm. Acesso em: 25 jun. 2021

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, DF: MEC, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=135951-rcp002-19&category_slug=dezembro-2019-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 jun. 2021.

GLAT, R.; FERNANDES, E. M. Da educação segregada à educação inclusiva: Uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira. Revista Inclusão, v. 1, n. 1, p. 35-39, 2005. Disponível em: http://forumeja.org.br/br/sites/forumeja.org.br/files/Da%20Educação%20Segregada%20à%20Educação%20Inclusiva.pdf. Acesso em: 11 jun. 2021.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Summus, 2015.

MENDES, E. G.; VILARONGA, C. A. R.; ZERBATO, A. P. Ensino Colaborativo como apoio à inclusão escolar: Unindo esforços entre educação comum e especial. São Carlos: EdUFSCar, 2018.

PAIVA, L. R. A. O impacto das políticas públicas educacionais na formação de professores da educação básica para a garantia do direito à educação de alunos com deficiência. 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) – Escola de Educação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2021.

PIRES, R. R. C. (org.). Implementando desigualdades: Reprodução de desigualdades na implementação de políticas públicas. Rio de Janeiro: Ipea, 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34743. Acesso em: 06 jun. 2021

SOUZA, I. C. Protagonistas, coadjuvantes ou figurantes: O papel de orientadores educacionais na implementação de políticas de inclusão de estudantes com deficiência. 2021. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2021.

Publicado

30/09/2022

Como Citar

OLIVEIRA, A. C. P. de; RAMOS, M. A. M.; ANGRIZANI, L. Formação de professores e o atendimento ao público-alvo da Educação Especial: Desafios e fragilidades. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. 00, p. e022126, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26i00.15906. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15906. Acesso em: 4 dez. 2022.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.