A gestão escolar e a materialização da política de Educação Especial nos Estados Unidos na voz de uma diretora de escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26i00.15528

Palavras-chave:

Educação, Gestão, Educação especial

Resumo

O presente artigo tem como objetivo destacar aspectos da materialização da política de Educação Especial nos Estados Unidos e as relações de interdependência dos profissionais de educação. Utilizamos a entrevista como recurso metodológico para a produção dos dados, com uma diretora de escola de ensino fundamental II no Estado de Massachusetts (MA). Este texto se constitui parte dos resultados de uma pesquisa de doutorado que utiliza como metodologia o estudo comparado, com foco nos Estados Unidos e Brasil. A entrevista, realizada em fevereiro de 2021, seguiu um roteiro de 12 perguntas semiestruturadas que abordaram assuntos relacionados à Educação Especial. Os resultados indicam a importância da gestão escolar observada na relação entre a gestão e as diversas partes que formam a modalidade como o coordenador de Educação Especial, professores especialistas, serviços fornecidos aos estudantes da Educação Especial e especialmente o poder de decisão dos pais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Lopes dos Santos, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória – ES – Brasil

Doutorando em Educação (PPGE).

Cybele Barbosa Brahim, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória – ES – Brasil

Mestre em Educação (PPGE).

Edson Pantaleão, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória – ES – Brasil

Professor do curso de Pedagogia e no Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE). Doutorado em Educação (Ufes).

Referências

LOURENÇO FILHO, M. B.; MONARCHA, C.; LOURENÇO FILHO, R. Educação comparada. Brasília, DF: Inep/MEC, 2004.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: Abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1994.

MANZINI, E. J. Uso da entrevista em dissertações e teses produzidas em um programa de pós-graduação em educação. Revista Percurso, Maringá, v. 4, n. 2, p. 149-171, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/114753. Acesso em: 12 out. 2020.

MONDADA, L. A entrevista como acontecimento interacional: Abordagem lingüística e interacional. RUA, v. 3, n. 1, p. 59-86, 1997. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8640619. Acesso em: 16 nov. 2020.

SOBRINHO, R. C. et al. Estudo Comparado Internacional: Contribuições para o Campo da Educação Especial. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 21, n. 4, p. 335-348, out./dez. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/a/Rptc5HtMYTfxnXy3dshTqLH/abstract/?lang=pt. Acesso em: 28 out. 2020.

Publicado

30/09/2022

Como Citar

SANTOS, F. L. dos; BRAHIM, C. B.; PANTALEÃO, E. A gestão escolar e a materialização da política de Educação Especial nos Estados Unidos na voz de uma diretora de escola. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. 00, p. e022122, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26i00.15528. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15528. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

Entrevistas

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.