Efeitos da BNC-Formação no curso de Pedagogia

Em defesa da gestão escolar e das infâncias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26i00.17222

Palavras-chave:

Curso de pedagogia, BNC-formação, Gestão e infâncias

Resumo

No contexto de alteração na política da formação de professores(as), o artigo focaliza aspectos da BNC-Formação no curso de Pedagogia. Com metodologia de análise documental e pesquisa do tipo bibliográfica, analisa as Resoluções nº 2/2019 e n.1/2020 e problematiza a formação de pedagogas(os) no contexto bibliográfico. Objetiva analisar como se constitui a concepções de Gestão na Educação Infantil nas diretrizes para formação de professores(as). Sustenta as análises com referencial teórico freireano e bakhtiniano a partir dos conceitos de polissemia, historicidade, forças centrípetas e centrífugas. Os dados informam a necessidade de defender a permanência do curso de formação inicial voltado para a formação de pedagogos(as), realizado em instituições de educação superior. Conclui com o argumento de manter com o caráter de formação plena dos(as) pedagogos(as), sem dissociar a concepção de docência integral e articulada, conforme tratam as Resoluções de CNE/CP nº 01/2006 e nº 02/2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kallyne Kafuri Alves, Faculdade de Música do Espírito Santo (FAMES), Vitória – ES – Brasil

Professora no Departamento de Música, Educação e Humanas. Doutorado em Educação (UFES).

Ana Lucia Cunha Duarte, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís – MA – Brasil

Professora no Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais. Departamento de Educação e Filosofia. Doutorado em Educação (UnB).

Referências

ALBINO, Â. C. A.; SILVA, A. F. BNCC e BNC da formação de professores: Repensando a formação por competências. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, p. 137-153, jan./maio 2019. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/966. Acesso em: 27 set. 2021.

ARANHA, M. L. A. História da Educação. 2. ed. São Paulo: Moderna, 1996.

ALVES, K. K.; VIEIRA, M. N. A. Educação infantil em tempos de pandemia: contribuições das pedagogias da autonomia e da infância para a formação humana. Educere et educare, v. 16, p. 247-265, 2021. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/view/25726. Acesso em: 03 jun. 2021

BAKHTIN, M. M. Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

BRASIL. Lei n. 10172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2001. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 02 ago. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, DF: CNE, 2006. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CNE_rcp0106.pdf?query=LICENCIATURA. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: CNE, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 2 mar. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Brasília, DF: CNE, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/base-nacional-comum-curricular-bncc. Acesso em: 10 jul. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, DF: CNE, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=135951-rcp002-19&category_slug=dezembro-2019-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 21 abr. 2021.

BRASIL. Matriz Nacional Comum de Competências do Diretor Escolar. Brasília, DF: MEC, 2021. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=170531-texto-referencia-matriz-nacional-comum-de-competencias-do-diretor-escolar&category_slug=fevereiro-2021-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 21 maio 2021.

BRZEZINSKI, I. Pedagogia, pedagogos e formação de professores: Busca e Movimento. Campinas, Sp: Papirus, 1996.

CARDOSO, L. R.; PIRES, M. A. BNC para formação docente: Um avanço às políticas neoliberais de currículo. Série-Estudos, Campo Grande, v. 25, n. 55, p. 73-93, set./dez. 2020. Disponível em: https://serieucdb.emnuvens.com.br/serie-estudos/article/view/1463/1116. Acesso em: 23 jul. 2021.

CARDOSO, N. S.; FARIAS, I. M. S. Qual o conceito de docência? Entre resistências e investigações. Formação em Movimento, v. 2, n. 4, p. 395-415, jul./dez. 2020. Disponível em: http://costalima.ufrrj.br/index.php/FORMOV/article/view/612/898. Acesso em: 15 jun. 2021.

COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE PEDAGOGIA. Diretrizes curriculares para o curso de pedagogia. Brasília, DF: MEC/ SESU, 1999.

COSTA, E. M. et al. Implicações da BNC-formação para a Universidade Pública e Formação docente. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp. 1, p. 896-909, mar. 2021. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14924/10561. Acesso em: 12 mar. 2022.

DOURADO; L. F.; SIQUEIRA, R. M. A arte do disfarce: BNCC como gestão e regulação do currículo. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 35, n. 2, p. 291-306, maio/ago. 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/vol35n22019.95407/53884. Acesso em: 23 maio. 2021.

DUARTE, A. L. C. Formação do pedagogo: Entre velhos desafios e novos compromissos. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica de Brasília. 2008. Disponível em: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/bitstream/123456789/899/1/Texto%20completo%20Ana%20Lucia%20-%202008.pdf. Acesso em? 03 jun. 2021.

FERREIRA, V. L. Curso de pedagogia no Brasil: História e formação com pedagogos primordiais. Resenhas. Cadernos de Pesquisa, v. 42, n. 145, p. 298-329, abr. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/p3BzbbfqjHJF5gpyJbSmLMy/?lang=pt. Acesso em: jun. 2021.

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: Em três artigos que se completam. 12. ed. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1986.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 19. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Política e educação: Ensaios. 5. ed. São Paulo, Cortez, 2001. v. 23.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FREITAS, H. C. L. Universidades do RJ lançam o Fórum de Mobilização e Defesa dos Cursos de Pedagogia. Formação de Professores, abr. 2021. Disponível em: https://formacaoprofessor.com/2021/04/15/universidades-do-rj-lancam-o-forum-de-mobilizacao-e-defesa-dos-cursos-de-pedagogia/. Acesso em: 21 jun. 2021.

GALVÃO, A. C. et al. (org.). Foi golpe! O Brasil de 2016 em análise. Campinas, SP: Pontes Editores, 2019. Disponível em: https://literaturaeeducacao.ufes.br/sites/grupoliteraturaeeducacao.ufes.br/files/field/anexo/foi_golpe_-_versao_pdf.pdf. Acesso em: 28 jun. 2021.

GONÇALVES, S. R. V.; MOTA, M. R. A.; ANADON, S. B. A resolução CNE/CP n. 2/2019 e os retrocessos na formação de professores. Formação em Movimento. v. 2, i. 2, n. 4, p. 360-379, jul./dez. 2020. Disponível em: http://costalima.ufrrj.br/index.php/FORMOV/article/view/610/896. Acesso em: 10 jun. 2021.

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos, para quê? São Paulo: Cortez, 1998.

MARQUES, N. L. R. et al. Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica: Avanços ou retrocessos? Educar Mais, v. 5, n. 3, p. 637-349, 2021. Disponível em: http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/educarmais/article/view/2409/1772. Acesso em: 08 jun. 2021.

NOGUEIRA, A. L.; BORGESA, M. C. BNC-Formação e a formação continuada de professores. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 1, p. 188-204, jan./abr. 2021. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/13875/10353. Acesso em: 21 jul. 2021.

REBUÁ, E. et al. (org.). (Neo)fascismos e educação: Reflexões críticas sobre o avanço conservador no Brasil. Rio de Janeiro: Mórula Editorial, 2020. Disponível em: https://morula.com.br/wp-content/uploads/2020/12/Neofascismos.pdf. Acesso em: 06 jun. 2021.

ROMANELLI, O. O. História da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2005.

SAITO, H. T. I. et al. Âncora nebulosa da formação inicial de professores para a infância: Como enfrentaremos? Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 3, p. 2047-2066, 2021. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13467. Acesso em: 9 nov. 2021.

SAVIANI, D. Pedagogia: O espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 130, p. 1-16, jan./abr. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/6MYP7j6S9R3pKLXHq78tTvj/abstract/?lang=pt. Acesso em: 16 out. 2021.

SAVIANI, D. A pedagogia no Brasil: História e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SCHEIBE, L. Diretrizes nacionais para os cursos de pedagogia: Da regulação à implementação. In: DALBEN, A. I. L. F.; DINIZ, J.; LEAL, L.; SANTOS, L. Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

SILVA, C. S. B. Curso de Pedagogia no Brasil: História e Identidade. São Paulo: Autores Associados, 1999.

ZANOTTO, M.; SANDRI, S. Avaliação em larga escala e BNCC: Estratégias para o gerencialismo na educação. Temas & Matizes, Cascavel, v. 12, n. 23, p. 127-143, jul./dez. 2018. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/temasematizes/article/view/21409. Acesso em: 19 jul. 2021.

Publicado

30/09/2022

Como Citar

ALVES, K. K.; DUARTE, A. L. C. Efeitos da BNC-Formação no curso de Pedagogia: Em defesa da gestão escolar e das infâncias. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. 00, p. e022132, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26i00.17222. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/17222. Acesso em: 4 dez. 2022.