Os desafios ao tornar-se professor/a: uma análise da profissionalidade docente na educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v25i3.15399

Palavras-chave:

Profissionalidade docente, Educação infantil, Profissão docente

Resumo

O texto consiste em discutir, a partir de uma pesquisa com professores/as da Educação Infantil, os desafios ao tornar-se professor/a, vislumbrando a profissionalidade docente. Assim, essa investigação examinou fatores sociodemográficos relacionados a faixa etária, vínculo empregatício e formação. Foi realizada com as professoras que atuam nessa etapa da educação, em dois Centros de Referência em Educação Infantil-CREI, a partir de entrevista semiestruturada. Contou com a participação de 20 docentes da Rede Pública Municipal de Ensino de João Pessoa - Paraíba. Na análise dos dados obtidos, utilizamos a análise de conteúdo, com a técnica da análise temática. Os resultados evidenciaram que os/as docentes apresentam satisfação com a formação profissional inicial, e que um dos maiores desafios após a graduação é retornar à academia para estudar e manter-se ativo num processo de formação permanente. Com os resultados, pode-se pensar na ampliação das vagas ofertadas nos cursos de pós-graduação na área da educação, bem como o incentivo aos estudantes egressos da graduação, no sentido da sua permanência enquanto profissionais pesquisadores/as.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Rodrigues Palhano, Universidade Federal da Paraíba (UBPB), João Pessoa – PB

Professora de Filosofia da Educação do Centro de Educação da UFPB e Docente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE). Pós-Doutorado em Educação (UNICAMP) e Doutorado em Educação (UFPB).

Lindinalva de Alcântara Correia, Universidade Federal da Paraíba (UBPB), João Pessoa – PB

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Elidiana Oliveira das Neves, Universidade Federal da Paraíba (UBPB), João Pessoa – PB

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

BARBOSA, M. C. S. Culturas infantis: contribuições e reflexões. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 14, n. 43, p. 645-667, set./dez. 2014. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/1870. Acesso em: 07 out. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 1977.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/constituição/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 26 jul. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB. Brasília, DF: Senado Federal, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov .br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 27 jul. 2021.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI). Brasília, DF: Ministério da Educação/ Secretaria da Educação Básica, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Governo Federal. Base Nacional Comum Curricular: BNCC: Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Governo Federal. Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica: BNC-Formação. Brasília, DF: MEC, 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 46. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra,2013.

GATTI, A. B. et al. Para uma política nacional de formação de professores. São Paulo: Editora UNESP, 2013.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2011.

KOHAN, W. O. Filosofia para crianças. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/e fundamental. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 6, p. 797-818, 2006.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

MOREIRA, D. A. O método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thonson, 2002.

NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

RAMALHO, B. L; NUÑEZ, I. B.; GAUTHIER, C. Formar o Professor, profissionalizar o ensino: perspectivas e desafios. Porto Alegre, RS: Sulina, 2004.

SARMENTO, M. J. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. Braga: Instituto de Estudos da Criança / Universidade do Minho, 2003.

Downloads

Publicado

08/12/2021

Como Citar

PALHANO, T. R.; CORREIA, L. A.; NEVES, E. O. . das. Os desafios ao tornar-se professor/a: uma análise da profissionalidade docente na educação infantil. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 3, p. 2393–2407, 2021. DOI: 10.22633/rpge.v25i3.15399. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15399. Acesso em: 24 maio. 2022.