Educação e pandemıa: o ensıno fundamental anos fınaıs em um sıstema de ensıno

Autores

  • Fernando Damião de Paula Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE), Universidade de São Paulo (USP/ESALQ), Piracicaba – SP https://orcid.org/0000-0003-4300-3538
  • Marcos Cesar Rodrigues de Miranda Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE), Universidade de São Paulo (USP/ESALQ), Piracicaba – SP https://orcid.org/0000-0002-4442-9971

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v25i3.15492

Palavras-chave:

COVID-19, Educação híbrida, Tecnologias educacionais, Objetos digitais de aprendizagem, Plataformas digitais

Resumo

O presente trabalho destaca as alterações geradas nos processos educacionais, de ensino e aprendizagem por meio do isolamento social provocado pela pandemia da COVID-19, assim como as evidências de novos processos adotados para garantir a qualidade educacional em um sistema de ensino da rede privada que conta com mais de 800 escolas parceiras na educação básica tendo este trabalho o foco nos Anos Finais da Ensino Fundamental. Sendo assim, a pesquisa tem por objetivo geral descrever e analisar dentro do processo educacional os procedimentos gerados por parte do sistema de ensino para conceder aos professores e alunos condições necessárias de ensino e aprendizagem frente aos desafios deste período pandêmico. A metodologia utilizada foi uma pesquisa documental. No processo de fundamentação do trabalho foi analisado o andamento das ações do sistema de ensino durante este o período em apoio as unidades de escolas parceiras. Fomentou-se pesquisar sobre o planejamento pedagógico diante do cenário pandêmico, o alinhamento a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e as práticas pedagógicas de ensino e aprendizagem durante o ensino remoto, gestão do ensino híbrido e metodologias ativas aplicadas dentro deste contexto visando promover aprendizagem de qualidade, satisfação de usabilidade e engajamento sobre os recursos digitais. O resultado deste trabalho averiguou que o ano de 2019 e 2020 tivemos baixo engajamento e de utilização do todo ecossistema digital do sistema de ensino e que foi necessário ter uma curva de aprendizagem para que professores e alunos tivessem mais autonomia e empoderamento para aumentarem a utilização de forma exponencial no ano de 2021.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Damião de Paula, Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE), Universidade de São Paulo (USP/ESALQ), Piracicaba – SP

Especialização em Gestão Escolar (PECEGE/USP/ESALQ).

Marcos Cesar Rodrigues de Miranda, Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE), Universidade de São Paulo (USP/ESALQ), Piracicaba – SP

Pesquisador Associado. Mestrado em Química (UFSCAR).

Referências

BRASIL. Lei n. 9394 de 20 de dezembro de 1996. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p. 27833, col. 1, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Secretária de Educação. Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília, DF: MEC/SEB/DICEI, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parecer CNE/CEB 30/2000. Brasília, DF: MEC/SEB, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pceb030_00.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano nacional de educação PNE 2014-2024: Linha de base. Brasília, DF: INEP, 2015. 404 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Secretários de Educação. União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação infantil e ensino fundamental. Brasília, DF: MEC/CONSED/UNDIME, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/implementacao/praticas/caderno-de-praticas/ensino-fundamental-anos-finais/. Acesso em: 06 set. 2021.

CARVALHO, M. T. Desafios da gestão educacional no pós-pandemia. In: COSTIN, C. et al. A escola na pandemia: 9 visões sobre a crise do ensino durante o Coronavírus. Porto Alegre, RS: Ed. do Autor, 2020. p. 11-14.

CORDEIRO, K. M. A. O impacto da pandemia na educação: A utilização da tecnologia como ferramenta de ensino. 2020. Disponível em: http://repositorio.idaam.edu.br/jspui/handle/prefix/1157. Acesso em: 06 set. 2021

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 50. ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 2011.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre, RS: Penso, 2015.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. São Paulo, SP: Cortez, 2011.

MORAN, J. Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação hoje. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre, RS: Penso, 2015. p. 27-45.

MOREIRA, J. A.; SCHLEMMER, E. Por um novo conceito e paradigma de educação digital online. Revista UFG, v. 20, n. 26, p. 1-35, 2020. Disponível: https://www.revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/63438. Acesso em: 10 jan. 2021.

OLABUENAGA, J. I. R.; ISPIZÚA, M. A. La descodificacion de la vida cotidiana: métodos de investigacion cualitativa. Universidad de deusto, Bilbao, 1989.

ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração universal dos direitos humanos de 1948. 2020. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-universal-dos-direitos-humanos. Acesso em: 12 dez. 2020.

PEARSON Education do Brasil S.A. Manual de Orientações Gerais. Editora São Paulo, SP, 2020.

PEARSON Education do Brasil S.A. Manual Pedagógico. Editora São Paulo, SP, 2020.

PEARSON Education do Brasil S.A. Manual de Orientações Gerais. Editora São Paulo, SP, 2021.

PEARSON Education do Brasil S.A. Manual Pedagógico. Editora São Paulo, SP, 2021.

SANTOS, E. EAD, palavra proibida. Educação online, pouca gente sabe o que é. Ensino remoto, o que temos. Revista Docência e Cibercultura, Rio de Janeiro, ago. 2020. ISSN: 2594-9004. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/announcement/view/1119. Acesso em: 08 maio 2021.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

Downloads

Publicado

08/12/2021

Como Citar

PAULA, F. D. de; MIRANDA, M. C. R. de. Educação e pandemıa: o ensıno fundamental anos fınaıs em um sıstema de ensıno. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 3, p. 2098–2116, 2021. DOI: 10.22633/rpge.v25i3.15492. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15492. Acesso em: 24 maio. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)