A importância da avaliação formativa em feiras de ciências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v24i1.13097

Palavras-chave:

, Divulgação científica, Ensino fundamental, Mostra de ciências, Trabalho em equipe, Autonomia do aluno.

Resumo

A Avaliação Formativa [AF] é decorrente da pedagogia formativa e busca abrir novos caminhos para a educação, sendo uma concepção de ensino a qual considera que o aprender é um processo longo onde o aluno reestrutura seu conhecimento a partir das atividades que realiza. As Feiras de Ciências [FC] podem ser aliadas da AF nas escolas por serem consideradas atividades de educação não formal, com a finalidade de promover o desenvolvimento da cultura científica. O presente estudo procurou analisar os efeitos da AF em uma FC com alunos do Ensino Fundamental nos anos finais. Partiu-se de uma análise documental sobre o percurso dos alunos durante o projeto intitulado como FC. A AF fica evidenciada em várias etapas do processo. O projeto pesquisado foi formativo, pois ajudou os alunos a aprenderem a se desenvolver, participando das regulações das aprendizagens e do desenvolvimento no sentido de um projeto educativo dentro da escola.

Biografia do Autor

Soraia da Silva Victorio, Associação de Educação e Cultura São Paulo (ESP)

MBA em Gestão Escolar - PECEGE/ESALQ/USP/ Piracicaba, SP - 2019

Mestre em Biologia Vegetal - UNESP/Rio Claro, SP - 2009

Graduação em Ciências Biológicas - UNESP/Rio Claro, SP - 2006

 

Marcos Cesar Rodrigues de Miranda, Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas (PECEGE)/USP

Mestre em Ensino de Química - UFSCar

MBA em Gestão Escola PECEGE/USP

Pedagogo - Universidade Anhembi Morumbi

Ciências Exatas e Tecnológicas com Hab em Biologia - FIMI 

Rosebelly Nunes Marques, Universidade de São Paulo (USP)

Possui graduação em Química pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993), Bacharel em Química e Licenciada em Química pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993), mestrado em Química Analítica pelo Instituto de Química da Unesp/Araraquara (1996) e doutorado em Química Analítica pelo Instituto de Química da Unesp/Araraquara (2002) e doutorado em Educação pela Faculdade de Ciências e Letras da Unesp/Araraquara (2012). Atualmente é professora, RDIDP, da Universidade de São Paulo (USP), na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), em Piracicaba/SP, do Departamento de Economia, Administração e Sociologia. Atua nas seguintes áreas: Formação inicial e continuada de professores de Ciências Agrárias e da Natureza, Ensino de Ciências/Química, Processos de ensino-aprendizagem. Metodologias Ativas de Ensino. É docente cadastrada no Programa de Pós -Graduação - Ecologia Aplicada (Interunidades) do CENA/USP e Programa de Pós-graduação em Química da UFSCar, com ênfase em Ensino de Química.

Referências

BARDIN. L. Analise de conteúdo. 1ª ed. Editora Edições 70, Lisboa, Portugal. 1977.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências da Educação Básica - Fenaceb. Brasília, DF, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular [BNCC]. Brasília, DF, 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio. Acesso em junho de 2019.

DIAS-DA-SILVA, M. H. G. F. Passagem sem rito: as 5ªs séries e seus professores. Editora Papirus, Campinas, SP, Brasil. 1997.

GARUTTI, S. Discutindo a Avaliação Formativa nas Disciplinas de Ciências e Biologia. Revista Uniandrade, 11: 37-52, 2010.

GREGO, S. M. D. A Avaliação Formativa: Ressignificando Concepções e Processos. In: Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Graduação. (Org.). Caderno de Formação: Formação de Professores Avaliação Educacional e Escolar. 1ed. São Paulo: Cultura Acadêmica: Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Graduação 03: 92-110, 2013.

LUCKESI, C. C. Planejar, executar e avaliar. p. 119-137. In: LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22ª edição. Editora Cortez, São Paulo, SP, Brasil. 2011.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regularização das aprendizagens: entre duas lógicas. 1ª ed. Editora Artmed, Porto Alegre, RS, Brasil. 1999.

SANTOS, A. B. Feiras de Ciência: Um incentivo para desenvolvimento da cultura científica. Revista Ciência em Extensão, 08 (2): 155-166, 2012.

VILLAS BOAS, B. M. F. 2008. Virando a escola do avesso por meio da avaliação. Editora Papirus, Campinas, SP, Brasil.

Publicado

06/01/2020

Como Citar

Victorio, S. da S., Miranda, M. C. R. de, & Marques, R. N. (2020). A importância da avaliação formativa em feiras de ciências. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 24(1), 210–223. https://doi.org/10.22633/rpge.v24i1.13097

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)