A Convivência digital e seus problemas

Um estudo com adolescentes de escolas públicas paulistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26iesp.3.16957

Palavras-chave:

Convivência virtual, Convivência Empatia, Pandemia, Internet

Resumo

As formas de convivência são atravessadas por múltiplas variáveis, de modo que os atuais aparatos tecnológicos marcam não apenas as interações entre as pessoas como constroem formas diferenciadas de relações na contemporaneidade. Desse modo, ambientes físicos e virtuais se fundem, configurando em possibilidades de convivências reais que impactam nas relações entre as pessoas, sobretudo nos tempos pandêmicos no qual se potencializou sobremaneira as relações interpessoais mediadas pelas plataformas virtuais. Reconhecendo essa realidade, urge refletir: Como ocorre a convivência entre adolescentes nos ambientes virtuais? Quais são as maiores dificuldades da convivência que não inclui o contato físico? Objetivando refletir acerca de tais indagações, realizou-se um estudo descritivo a respeito da ciberconvivência/ciberagressão buscando identificar como estão caracterizados os comportamentos e as interações ocorridas nos ambientes virtuais. O instrumento de coleta de dados foi um questionário estruturado, contendo 15 questões em torno da temática, aplicado de forma virtual através de um formulário via Google Forms. Os participantes do estudo compuseram uma amostra de 1.923 adolescentes, estudantes das duas diretorias da rede de ensino público estadual paulista: a DRE “Leste 3” na região metropolitana de São Paulo com 1.056 respondentes e a DRE de Taquaritinga, no interior paulista, com 867 adolescentes. Encontramos uma amostra de quase 40% das alunas e dos alunos respondendo já terem sido insultados nas interações virtuais, experimentando dor e sofrimento nessa forma de convivência.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Issa de Barros Farhat, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP – Brasil

Mestranda em Educação Escolar.

Catarina Carneiro Gonçalves, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife – PE – Brasil

Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino. Doutorado em Educação.

Referências

ALAMILLO, R.; PÉREZ, M. Chaves para prevenir o bullying e o "cyberbullying": Melhorando a convivência e a "cibercoexistência" em ambientes escolares. Participação Educativa, v. 5, n. 8, p. 129-143, 2018. Disponível em https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6785346. Acesso em: 05 abr. 2022.

AVILÉS, J. Pandemia y convivencia escolar: Incertidumbres y retos. Revista Tópicos Educacioais, v. 27, n. 1, p. 1-21, 2021. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/6727/672770961001/672770961001.pdf. Acesso em: 10 dez. 2021.

AVILÉS, J. M. M. Bullying: Guia para educadores. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013.

BANDURA, A. Moral disengagement in the perpetration of inhumanities. Personality and Social Psychology Review, v. 3, n. 3, p. 193-209, 1999. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1207/s15327957pspr0303_3. Acesso em: 10 maio 2021.

BAUMAN, Z. A sociedade individualizada: Vidas contadas e histórias vividas. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

DEMPSEY, A. G. et al. Has Cyber Technology Produced a New Group of Peer Aggressors? Cyberpsychology, Behavior, and Social Networking, v. 14, n. 5, 2011. Disponível em: https://www.liebertpub.com/doi/abs/10.1089/cyber.2010.0108. Acesso em: 23 ago. 2021.

GARAIGORDOBIL, M. et al. Cyberaggression in Adolescents of Bolivia: Connection with Psychopathological Symptoms, Adaptive and Predictor Variables. International Journal of Environmental Research and Public Health, n. 17, n. 3, 1022, 2020. Disponível em: https://www.mdpi.com/1660-4601/17/3/1022. Acesso em: 15 jul. 2021.

LÉVY, P. O que é o virtual? São Paulo: Editora 34, 2011.

LIVINGSTONE, S. Risco online, danos e vulnerabilidade: Reflexões sobre a base de evidências para a política de segurança da Internet infantil. Zer, v. 18, n. 35, p. 13-28, 2013. Disponível em: https://ojs.ehu.eus/index.php/Zer/article/view/10667. Acesso em: 12 dez. 2021.

SIBILIA, P. O show do eu: A intimidade como espetáculo. 2. ed. Rio Janeiro: Contraponto, 2016

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: Pnad Contínua. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101705_informativo.pdf. Acesso em: 14 fev. 2021.

TIC KIDS ONLINE. Pesquisa sobre o uso da internet por crianças e adolescentes no Brasil: 2018. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2019.

Publicado

01/07/2022

Como Citar

FARHAT, F. I. de B. .; GONÇALVES, C. C. . A Convivência digital e seus problemas: Um estudo com adolescentes de escolas públicas paulistas. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. esp.3, p. e022097, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26iesp.3.16957. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/16957. Acesso em: 11 ago. 2022.