A ancestralidade como epistemologias indigenas e decolonial na formação do professor atuante nas licenciaturas interculturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v27iesp.1.17929

Palavras-chave:

Formação de professores indígenas, Epistemologias Indígenas, Interculturalidade, Ancestralidade indígena

Resumo

O presente artigo objetiva discutir as epistemologias indígenas, como caminhos alternativos a interculturalização do conhecimento na formação de professores indígenas, analisa a concepção de formação, presente nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC) de Licenciaturas Interculturais Indígenas Pitakajá e Kuaba que envolvem as quatorze etnias indígenas do Ceará sendo coordenados pela Universidade Federal do Ceará. Os respectivos cursos são resultantes das lutas dos povos originários por uma política de formação de professores para escola diferenciada indígena. A análise teórica apoia-se nos conceitos de ancestralidade indígena, interculturalidade, epistemologias do Sul, ecologia de saberes e formação de professores, para fundamentar o que chamamos de epistemologia indígenas e decolonial. A pesquisa tem uma abordagem qualitativa e recorre a análise documental dos PPCs, os quais apresentam uma concepção de formação de professores fundamentada na ecologia de saberes tradicionais e científicos, que reconhecem a ancestralidade indígena como potencialidade intercultural e decolonial de saberes em seus processos formativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virgínia Célia Cavalcante de Holanda, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Professora Associada do Curso de Geografia. Doutorado em Geografia (USP).

Rejane Maria Gomes da Silva, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Professora Adjunta do Curso de Pedagogia. Doutorado em Ciências da Educação (UFSCAR).

Gisane Monteiro de Andrade, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia.

Referências

APINAJÉ, J. K. R. Processo de educação intercultural: Possíveis reflexões. In: LANDA, M. B.; HERBETTA, A. F. (org.). Educação indígena e interculturalidade: Um debate epistemológico e político. Goiânia: Editora da Imprensa Universitária, 2017. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/688/o/ebook_educacao_indigena.pdf. Acesso em: 30 jan. 2022.

BANIWA, G. L. A inclusão da temática indígena na escola: Desafios para a educação. In: RUSSO, K.; PALADINO, M. (org.). Ciências, tecnologias, artes e povos indígenas no Brasil: Subsídios e debates a partir da Lei 11.645/2008. Rio de Janeiro: Garamond, 2016. Disponível em: http://www.promovide.febf.uerj.br/biblioteca/nepie/ciencia_tecnologia_indigena_ebook.pdf. Acesso em: 31 jan. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 16 jun. 2022.

BRASIL. Referenciais para a formação de professores indígenas. Brasília, DF: MEC, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Livro.pdf. Acesso em: 15 nov. 2021.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2014. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 12 jun. 2022.

BRASIL. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores Indígenas em cursos de Educação Superior e de Ensino Médio e dá outras providências. Brasília, DF: MEC, 2015. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/pdf/CNE_RES_CNECPN12015.pdf. Acesso em: 16 nov. 2021.

BRUM, C. K. et al. Nosso modo de ser - Trajetórias de estudantes indígenas da UFSM. In: FREITAS, A. E. C. Intelectuais indígenas e a construção da universidade pluriétnica no Brasil: Povos indígenas e os novos contornos do programa de educação tutorial/ conexões de saberes. Rio de Janeiro: E-papers, 2015. Disponível em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2015/08/LIICUPBR001.pdf. Acesso em: 14 out. 2021.

CAMPANI, A.; SILVA, R. M. G.; SILVA, M. S. S. Inovação curricular no ensino superior: Desafios e possibilidades. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 23, n. esp. 1, p. 785-797, out. 2019. Disponível: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/13015. Acesso em: 02 fev. 2022.

CEARÁ. Resolução 382/2003. Dispõe sobre a criação e o funcionamento de escola indígena no Sistema de Ensino do Ceará e dá outras providências. Ceará: CEC, 2003. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CEE-CE_RES-0382-2003.pdf?query=credenciamento. Acesso em: 12 jun. 2022.

CRUZ, V. C. Geografia e giro descolonial: experiências, ideias e horizontes de renovação do pensamento crítico. In: CRUZ, V. C.; OLIVEIRA, D. A. (org.). Geografia e pensamento descolonial: notas sobre um diálogo necessário para a renovação do pensamento crítico. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/348714039_Geografia_e_pensamento_descolonial_notas_sobre_um_dialogo_necessario_para_a_renovacao_do_pensamento_critico. Acesso em: 05 out. 2021.

KRENAK, A. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. Disponível em: http://observatorioedhemfoc.hospedagemdesites.ws/observatorio/wp-content/uploads/2019/12/Ideias-para-adiar-o-fim-do-mundo-Krenak-Ailton.pdf. Acesso em: 29 jan. 2022.

KRENAK, A. Caminhos para a cultura do bem viver. Rio de Janeiro: CBL, 2020. Disponível em: http://observatorioedhemfoco.com.br/observatorio/caminhos-para-a-cultura-do-bem-viver-ailton-krenak-2020/. Acesso em: 29 jan. 2022.

LIMA, J. P. S. et al. Entrelaçando autobiografias formativas das relações étnico-raciais de docentes indígenas e afrocearense. In: VIEIRA, A. M. et al. Tecituras decoloniais da formação de professores. Fortaleza: UECE, 2021. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/358150183_E-book_Tecituras_Decoloniais. Acesso em: 29 jan. 2022.

MIGNOLO, W. Histórias locais / Projetos globais: Colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

MIRANDA, E. O. Corpo-território & educação decolonial: Proposições afro-brasileiras na invenção da docência. Salvador: EDUFBA, 2020. Disponível em: http://proex.uefs.br/arquivos/File/EBOOKcorpoterritorioeducacaodecolonialrepositorio.pdf. Acesso em: 30 jan. 2022.

PÕCUHTÔ, T. et al. Pedagogias em movimento: Rumos Mehi para a educação escolar Krahô. In: LANDA, M. B. Educação indígena e interculturalidade: Um debate epistemológico e político. Goiânia: Editora da Imprensa Universitária, 2017. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/688/o/ebook_educacao_indigena.pdf. Acesso em: 30 jan. 2021.

RODRIGUES, A. C. L. et al. Conhecendo a pedagogia da alternância. São Luís, MA: PROFEPT, 2020. Disponível em:https://profept.ifma.edu.br/wp-content/uploads/sites/57/2020/08/Anny-Camila-MANUAL_CONHECENDO_A_PEDAGOGIA_DA_ALTERN%C3%82NCIA.pdf. Acesso em: 12 out. 2021.

SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2009. Disponível em: http://professor.ufop.br/sites/default/files/tatiana/files/epistemologias_do_sul_boaventura.pdf. Acesso em: 02 fev. 2022.

SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2013.

SANTOS, B. S. O fim do império cognitivo: A afirmação das epistemologias do sul. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

SANTOS, C. F. A. I. et al. Só nasce da árvore quem é da raiz: Reflexões sobre práticas pedagógicas decoloniais e interculturais no ensino superior. In: FLEURI, R. M.; OKAWATI, J. A. A. (org.). Pedagogias e narrativas decoloniais. Curitiba, PR: CRV, 2021.

UFC. Universidade Federal do Ceará. Projeto Pedagógico do curso de Licenciatura Pitakajá(Licenciatura Intercultural Indígena das Etnias Pitaguary, Tapeba, Kanindé, Jenipapo-Kanindé e Anacé). Fortaleza: UFC, 2017. Disponível em: https://si3.ufc.br/sigaa/public/curso/ppp.jsf?lc=pt_BR&id=657519. Acesso em: 12 out. 2021.

UFC. Universidade Federal do Ceará. Projeto Pedagógico do curso Kuaba-Licenciatura Intercultural. Fortaleza: UFC, 2021. Disponível em: https://prograd.ufc.br/pt/cursos-de-graduacao/licenciatura-intercultural-indigena-kuaba/. Acesso em: 13 out. 2021.

Publicado

13/05/2023

Como Citar

HOLANDA, V. C. C. de; SILVA, R. M. G. da; ANDRADE, G. M. de. A ancestralidade como epistemologias indigenas e decolonial na formação do professor atuante nas licenciaturas interculturais. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 27, n. esp.1, p. e023016, 2023. DOI: 10.22633/rpge.v27iesp.1.17929. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/17929. Acesso em: 3 mar. 2024.