Inovação curricular no ensino superior: desafios e possibilidades

Adriana Campani, Rejane Maria Gomes da Silva, Maria do Socorro Sousa e Silva

Resumo


Concebemos as experiências de extensão universitária relevantes para a inovação pedagógica nos processos formativos na universidade, pois nelas há possibilidades de diálogos interculturais entre comunidades que lutam por reconhecimento e inclusão. Compreendemos que para haver inovação pedagógica é necessária a inovação curricular (Campani, Silva e Parente, 2018). Com base nos estudos de Santos (2008), Bondia (2002), Popkewitz (2001), Hall (2006) definimos inovação curricular como uma experiência intercultural reinventiva sustentada por uma epistemologia socialmente construída e corporificada por um currículo includente. Nesse artigo, objetivamos analisar a contribuição do Programa de Extensão Universitária, a Incubadora de Empreendimentos Econômicos Solidários – IEES, para o processo de inovação curricular da Universidade Estadual Vale do Acaraú. Esse Programa objetiva empoderar comunidades a empreenderem e trabalharem na economia solidaria. Ao analisar as falas dos docentes sobre suas experiências de extensão no Programa em estudo, identificamos que as mesmas, ao criarem formas diferenciadas de conhecer e se relacionar com o conhecimento em processos de interculturalidades e inclusão, tencionam rupturas com as regularidades científicas potencializando a inovação curricular.


Palavras-chave


Universidade; Inovação curricular; Extensão Universitária.

Referências


BALL, S. J. Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem fronteiras, Porto Alegre, v. 1 n. 2 p.99-116,jul./dez,2001.

BONDIA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação. n.19, p.20-28, jan/fev/mar/abr, 2002 . Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf

BRASIL. Plano Nacional de Educação 2014-2024 [recurso eletrônico] : Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Brasília : Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014.

CAMPANI, A.; SILVA,R.; PARENTE, P. Inovação pedagógica na universidade .Revista Educação e Fronteiras On-Line, Dourados/MS, v.8, n.22, p.18-34, jan./abr. 2018.

CONNELL, R. W. Justiça, conhecimento e currículo na educação contemporânea. In: Luiz H. da Silva e José C. de Azevedo (Orgs). Reestruturação curricular: teoria e prática no cotidiano da escola. Petrópolis: Vozes, 1995, p.11-35.

GIROUX, A. Henry, SIMON, Roger. Cultura popular e pedagogia crítica: a vida cotidiana como base para o conhecimento. In: SILVA, T. T., MOREIRA, A. F. B. (Org.). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo : Cortez, 1994. p. 93-124.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomás Tadeu da Silva, Guacira Lopes Louro. 11. ed. , Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MASETTO, Marcos Tarciso. Revista e-curriculum, São Paulo, v.7 n.2 AGOSTO 2011 http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum

POPKEWITZ, T. Reforma educacional: uma política sociológica poder e conhecimento em educação. Porto Alegre: Artes Médicas.1997.

SANTOS, B. S. Uma introdução a ciências pós moderna, Graal, 1993.

SANTOS, B. S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2000.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez 1996

SANTOS, B.S & FILHO, N. A. A universidade no século XXI: para uma universidade nova. Coimbra: Almedina Editora, 2008.

SILVA, M. S.S. A extensão universitária dos territórios: um estudo de caso na Universidade Estadual Vale do Acaraú. Dissertação (Mestrado em geografia) – Universidade Estadual Vale do Acaraú. 2019.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v23iesp.1.13015



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.