Reflexões sobre a diversidade na educação infantil: um olhar para a formação de professores

Fernanda Delai Lucas Adurens, Patricia Alzira Proscencio, Danielle Da Silva Pinheiro Wellichan

Resumo


O presente estudo tem como objetivo propor reflexões sobre a diversidade na Educação Infantil, considerando especificamente o público-alvo da Educação Especial. Inicialmente abordou-se o percurso da Educação Infantil desde o período assistencialista até o seu papel educacional associando os aspectos do cuidar e do educar. Em seguida, tratou-se do conceito de diversidade e suas implicações na educação, bem como sua importância no princípio da Educação Básica. Por fim, discutiu-se a respeito da formação dos professores para que seja possível viabilizar uma educação de qualidade para todos, com foco na valorização da diversidade. Concluiu-se que há número reduzido de pesquisas com a temática e que a formação de professores é um caminho fundamental para que se efetive a inclusão e se amplie o olhar, considerando a diversidade.


Palavras-chave


Diversidade; Educação infantil; Educação especial.

Texto completo:

PDF

Referências


ALJUSTREL, Vanessa Isabel Almeida. A relação com a família em contexto de creche e jardim de infância. 2017. 115 f. Dissertação (Mestrado em Educação Pré-escolar) – Instituto Politécnico de Setúbal, Escola Superior de Educação, 2017.

AMORIN, Gabriely Cabestré; LIMA, Elieuza Aparecida de; ARAÚJO, Rita de Cássia Tibério. Formação de professores da educação infantil: reflexões sobre a necessária instrumentalização teórica do profissional atuante com criança com ou sem deficiência. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v.12, n.1, p. 387-403, 2017.

ANDRÉ, Rita de Cássia Marinho de Oliveira. Creches: desafios e possibilidades. Uma proposta curricular para além do educar e cuidar. 2016. 185 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/18834/2/Rita%20de% 20C%C3%A1ssia%20Marinho%20de%20Oliveira%20Andr%C3%A9.pdf. Acesso em: 29 jul.2018.

ARAÚJO, Maria Antonieta Nascimento; GAMA, Fernanda Souza; SILVA, Urbiana. Creche de ontem e de hoje: o que os pais esperam dessa instituição? Revista Psicologia, Diversidade e Saúde, Salvador. v. 2, n. 1, p. 3-20, abr. 2013.

ÁVILA, Camila Ferreira de; TOCHIBANA, Miriam; VAISBERG, Tânia Maria José Aiello. Qual é o lugar do aluno com deficiência? O imaginário coletivo de professores sobre a inclusão escolar. Paidéia, v.18, n.39, p. 155-164, 2008.

BAHIA, Celi Costa; MOCIUTTI, Solange. A construção da relação creche-família no berçário: contribuição da pesquisa-formação. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v.12, n.1, p. 371-386, 2017.

BARBOSA, I. G. Prática Pedagógica na Educação Infantil. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. M. C.; VIEIRA, L. M. F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: Faculdade de Educação, 2010.

BERSCH, R.; MACHADO, R. Conhecendo o aluno com deficiência física. In: SCHIRMER, C. R.; BROWNING, N.; BERSCH, R.; MACHADO, R. Atendimento educacional especializado: Deficiência física. SEESP/SEED/MEC. Brasília, 2007. p.15-24.

BICHARA, Maria Auxiliadora Alves Cordaro. Considerações sobre a instituição creche e sua relação com a família. In: GAYOTTO, Maria Leonor Cunha et al. (Orgs). Creches: desafios e contradições da criação coletiva da criança pequena. São Paulo: Ícone, 1992. (p. 106-111).

BOSSI, Tatiele Jacques. Inclusão de bebê com deficiência física em creche: programa de acompanhamento para educadoras com base em conceitos winnicottianos. 2017. 82 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 05 out. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 29 jul.2018

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 20 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 28 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acesso em: 30 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria De Educação Básica. Conselho escolar, gestão democrática da educação e escolha do diretor. vol. 5. Brasília, DF: MEC; SEB, 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Consescol/ce_cad5.pdf. Acesso em: 29 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. vol. 1. Brasília, DF: MEC; SEB, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfparqualvol1.pdf. Acesso em: 31 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. vol. 2. Brasília, DF: MEC; SEB, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/paraqualvol2.pdf. Acesso em: 28 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF: MEC; SEB, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view= download&alias=9769-diretrizescurriculares-2012&category_slug= janeiro-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 28 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base nacional comum curricular: educação é a base. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 28 jul. 2018.

CATALDI, Maria Cristina Cunha. Modificações Sociais e a participação da mulher no mercado de trabalho. In: GAYOTTO, Maria Leonor Cunha et al. (Orgs). Creches: desafios e contradições da criação coletiva da criança pequena. São Paulo: Ícone, 1992. (p. 23-24).

CRESPIN, Graciela. À escuta das crianças na Educação Infantil. São Paulo: Instituto Langage, 2016.

DE VITTA, Fabiana C. F. de; EMMEL, Maria Luisa G. A dualidade cuidado x educação no cotidiano do berçário. Paidéia. Ribeirão Preto, v.14, n.28, p.177-189, 2004.

DIDONET, Vidal. Creche: a que veio...para onde vai... Revista Em aberto, Brasília, DF, v. 18, n. 73, p. 11-27, jun. 2001. Disponível em: http://emaberto.inep.gov.br/ index.php/emaberto/article/view/2133. Acesso em: 30 jul. 2018.

DINIZ, Margareth; FERRAZ, Cláudia Itaborahy. Diferença, diversidade e formação docente: contribuições da psicanálise à discussão da inclusão. Educação (Porto Alegre, impresso), v. 38, n. 2, p. 185-192, maio-ago. 2015.

GAYOTTO, Maria Leonor Cunha. Grupo como espaço de mudança. In: GAYOTTO, Maria Leonor Cunha et al. (Orgs). Creches: desafios e contradições da criação coletiva da criança pequena. São Paulo: Ícone, 1992. (p. 38-43).

JERUSALINSKY, Julieta. Enquanto o futuro não vem: a psicanálise na clínica interdisciplinar com bebês. Salvador, Bahia: Ágalma, 2002.

KRAMER. Sonia. Formação de profissionais de educação infantil: questões e tensões. In: MACHADO, M. L. A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2005.

KUPFER, Maria Cristina et al. Metodologia IRDI nas creches: um acompanhamento do desenvolvimento psíquico na primeira infância. In: KUPFER, Maria Cristina; SZEJER, Myriam (Orgs.). Luzes sobre a clínica e o desenvolvimento de bebês: novas pesquisas, saberes e intervenções. 2. ed. São Paulo: Instituto Langage, 2016. (p. 31-40).

MARANHÃO, Damaris Gomes; SARTI, Cynthia Andersen. Cuidado compartilhado: negociações entre famílias e profissionais em uma creche. Interface - Comunic, Saúde, Educ, v.11, n.22, p.257-70, maio/ago 2007.

MARANHÃO, Damaris Gomes; SARTI, Cynthia Andersen. Creche e família: uma parceira necessária. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 133, p. 171-194, jan./abr. 2008.

MARIOTTO, Rosa Maria Marini. Atender, cuidar e prevenir: a creche, a educação e a psicanálise. Estilos da Clínica, v. VIII, n. 15, p. 34-47, 2003. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/estic/v8n15/v8n15a03.pdf. Acesso em: 30 jul. 2018.

MARIOTTO, Rosa Maria Marini. Cuidar, educar e prevenir: as funções da creche na subjetivação de bebês. São Paulo: Escuta, 2009.

MONTE, Francisca Roseneide Furtada do. Inclusão na educação infantil: concepções e perspectivas de educadoras de creche. 2006. 119 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2006.

NONO, Maévi Anabel. Educar e cuidar nas creches e pré-escolas. UNIVESP, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2015. Disponível em: http://www.acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/230/1/01d12t04.pdf. Acesso em: 30 jul. 2018.

OLIVEIRA, A. A. S. O processo de inclusão no Brasil: políticas públicas para o educando com necessidades educacionais especiais. In: GENARO, K. F.; LAMÔNICA, D. A. C.; BEVILACQUA, M. C. O processo de comunicação: contribuição para a formação de professores na inclusão de indivíduos com necessidades educacionais especiais. São José dos Campos, SP: Pulso Editora, 2006, p. 255-276.

OLIVEIRA, Cinthya Campos de. Concepções de profissionais da Educação Infantil sobre a Educação Especial para crianças de zero a três anos. 2014.186 f. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal do Espirito Santo, Vitória, 2014.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes de et al. Creches: crianças, faz de conta e cia. 16 ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

OLIVEIRA, Zilma De Moraes Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2013.

PATTO, Maria Helena Souza. A escola transformadora: da escola que temos à escola que queremos. In: KUPFER, Maria Cristina Machado; PATTO, Maria Helena Souza; VOLTOLINI, Rinaldo. (Orgs.). Práticas Inclusivas em escolas transformadoras: acolhendo o aluno sujeito. São Paulo: Escuta: Fapesp, 2017. (p.67-89).

PEREIRA, Paulo Celso; MATSUKURA, Thelma Simões. Inclusão escolar e educação infantil: um estudo de caso. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 26, n. 45, p. 125-144, jan./abr. 2013.

RENDO, Alicia Devalle de; VEGA, Viviana. Una escuela en y para la diversidad: el entramado de la diversidad. Buenos Aires: Aique, 2006.

SANTOS, Lucíola Licínio de Castro Paixão. Formação docente: políticas e processos. In: Seminário redestrado: nuevas regulaciones en América Latina, 7, 2008, Buenos Aires. Anais eletrônicos... Buenos Aires: Redestrado, 2008. Disponível em: http://www.fae.ufmg.br/estrado/cdrom_seminario_2008/ textos/ponencias/Ponencia%20Luc%C3%ADola%20 Licinio%20Santos.pdf. Acesso em: 30 jul. 2018.

SILVA, Cristiane Ribeiro da; BOLSANELLO, Maria Augusta. No Cotidiano das creches o cuidar e o educar caminham juntos. Interação em Psicologia, v. 6, n. 1, p. 31-36, 2002. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/psicologia/article/view/3190. Acesso em: 30 jul. 2018.

VITTA, Fabiana Cristina Frigieri de. A inclusão de crianças com necessidades especiais na visão de berçaristas. Cadernos de Pesquisa, v.40, n.139, p.75-93, jan./abr. 2010.

VITTA, Fabiana Cristina Frigieri de; VITTA, Alberto de; MONTEIRO, Alexandra S. R. Percepção de professores de educação infantil sobre a inclusão da criança com deficiência. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 16, n. 3, p. 415-428, set./dez. 2010.




DOI: https://doi.org/10.30715/doxa.v20i2.11638

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.