O processo de institucionalização da disciplina Trabalho-Educação nas políticas de formação em Pedagogia nas universidades públicas do Rio de Janeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i2.10004

Palavras-chave:

Trabalho-Educação, Universidade, Ensino superior, Pedagogia.

Resumo

O presente artigo destina tem como objetivo identificar e compreender como as universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro organizam em suas grades curriculares, do curso de Pedagogia, o debate da discussão de Trabalho-Educação. Visa-se refletir sobre os rumos, as concepções e as fundamentações teóricas desta disciplina, bem como, verificar suas contribuições nessa formação. Assim, objetivamos: 1) refletir sobre as produções que contribuam com a temática desenvolvida na disciplina e, também, 2) analisar dos dados coletados no trabalho de campo realizado nas seguintes instituições públicas, no ano de 2008: UERJ (Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Faculdade de Educação), UFRJ, UFRRJ (Campus de Nova Iguaçu), UFF e UNIRIO. Dessa maneira, de um lado apresentamos os principais questionamentos e temáticas que constam nos estudos da área e que oferecem elementos para analisar o horizonte conceitual e a fundamentação teórica necessária na formação do pedagogo. De outro lado, destacamos as análises das ementas e os resultados do questionário semiestruturado com os professores que ministraram essa disciplina nas universidades a fim de discutir o processo de institucionalização desse debate Trabalho-Educação nos cursos de Pedagogia dessas universidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Jairo Vieira, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGE/UFRJ)

Professor Associado da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFRJ. Criador e Coordenador do Laboratório de Pesquisa em Desigualdade e Diversidade de Corpo, Raça e Gênero (LADECORGEN) da UFRJ (http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9825416585269352). Coordenador do GT Esporte, Cultura e Sociedade da Associação Nacional de Pós-Graduação em Ciências Sociais (ANPOCS - anos de 2002-2003-2004-2005-2007). Coordenador do GT Sociologia do Esporte e Lazer da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS - anos de 2003, 2005, 2009, 2011, 2013, 2015 e 2017). Coordenador do Gt de Sociologia do Esporte do Congresso Luso-Afro Brasileiro de Ciências Sociais (CONLAB),nos encontros de Salvador (2011), Portugal (2015). Possui duas graduações: uma em Educação Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1991) e outra em Ciências Sociais:Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), mestrado em Ciências do Esporte pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1995) e Doutorado em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro/IUPERJ (2001). Principais áreas de atuação e de orientação de IC, de mestrado e doutorado, Políticas de Acesso e Permanência no Ensino Superior; Movimentos Socais, Sociologia do Esporte; Corpo, Educação e Sociedade; Desigualdade e discriminação de gênero e raça, Esporte, Sociedade e Educação; Corpo, Gênero e Educação; Racismo e esporte; Estudos Econômicos, Educacionais, Sociais, Históricos e Estatísticos da Relações Raciais, temas em EaD.

Ana Paula Santos Guimaraes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Educação com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (CAPES), na linha de Pesquisa: Estado, Trabalho-Educação e Movimentos Sociais, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. No campo profissional atua como Orientadora Educacional da Prefeitura de Queimados, atualmente. Foi durante 3 anos Docente dos Anos Finais do I Segmento do Ensino Fundamental e Orientadora Educacional, na Prefeitura Municipal de Mesquita e por 2 anos atuou como conselheira do FUNDEB, da rede Municipal de Mesquita. Compôs até abril de 2015 o quadro funcional da Prefeitura Municipal de Quissamã, como Orientadora Educacional. Desenvolveu, como auxiliar, pesquisa no Núcleo Interdisciplinar de estudos do Espaço da Baixada Fluminense (NIESBF), UERJ-FEBF, com linha de pesquisa em Política Pública, Trabalho e História - Projeto: O Plano de Desenvolvimento da Educação nos municípios da Baixada Fluminense: concepções e práticas (FAPERJ), no ano de 2011. Participa do Laboratório de Pesquisa em Desigualdade e Diversidade de Corpo, Raça e Gênero (LADECORGEN) da UFRJ/FE.

Andrea Lopes da Costa Vieira, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado em Ciências Sociais: Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro - IUPERJ e doutorado em Ciências Sociais: Sociologia pelo Instituto de Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro - IUPERJ. É Professora Associada I no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde também integra o quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Memória Social (PPGMS). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: ações afirmativas, acesso e permanência no ensino superior, políticas sociais, desigualdades sociais, relações raciais e relações de gênero. Desenvolve ainda trabalhos na área de memória social, em especial, na inter-relação entre memória, identidade e espaço. Coordena o GT de Relações Raciais e Étnicas: Desigualdades e Políticas Públicas na Sociedade Brasileira de Sociologia (2016-2017)

Referências

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 7. ed., ver. ampl. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 2000.

BOMFIM, A. M. Há 21 anos “Educação e Trabalho” transformou-se em “Trabalho e educação”: da construção da identidade marxista aos desafios da década de 90 pelo GTTE da ANPED. GT: Trabalho e Educação, nº 09, 2007.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP Nº 1 de 15 de maio de 2006. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília, Seção I, p. 11, 16 de maio de 2006.

CARVALHO, J. H. (org.). O debate sobre a centralidade do trabalho. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2006.

CIAVATTA, M. Trabalho como princípio educativo na sociedade contemporânea. Disponível em: http://www.forumeja.org.br/files/programa%205.pdf. Acessado em: 10 maio 2008.

FERNANDES, F. Universidade Brasileira: reforma ou revolução? São Paulo, Alfa-Omega, 1975.

FRANCO, A. S., LIBÂNEO, J. C., PIMENTA, S. G. Elementos para a formulação de diretrizes curriculares para o curso de Pedagogia. Cadernos de Pesquisa, n. 1, jul, 2007.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva: um (re) exame das relações entre educação e estrutura econômica-social e capitalista. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2006.

KUENZER, A. Educação e trabalho no Brasil: o estado da questão. Brasília: INEP, 1991.

KUENZER, A. Ensino de 2º Grau: o trabalho como princípio educativo. São Paulo: Cortez, 1998.

KUENZER, A. A formação de educadores no contexto das mudanças no mundo do trabalho: novos desafios para as faculdades de educação. Educação & Sociedade, v.19, n. 63, Campinas, ago. 1998.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. RJ: Civilização Brasileira, 25. ed. V. I e II, 2008.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de educação, v. 12, n. 34, jan./abr. 2007.

SAVIANI, D. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 130, p. 99-134, jan./abr. 2007.

TITTON, M. O princípio educativo do trabalho e o trabalho enquanto princípio educativo: ampliando o debate com os movimentos de luta social. GT: Trabalho e Educação / nº 09, ANPED, 2008. Acessado em: 10 jun. 2010.

Publicado

01/01/2019

Como Citar

VIEIRA, J. J.; GUIMARAES, A. P. S.; VIEIRA, A. L. da C. O processo de institucionalização da disciplina Trabalho-Educação nas políticas de formação em Pedagogia nas universidades públicas do Rio de Janeiro. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 508–525, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i2.10004. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10004. Acesso em: 16 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.