Narrativas digitais: conceitos e contextos de letramento

Autores

  • Ana Lúcia Prado
  • Ellen Maira de Alcântara Laudares
  • Patrícia Peixoto Carneiro Viegas
  • Ilsa do Carmo Vieira Goulart

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.esp.2.10286

Palavras-chave:

Narrativas digitais. Letramento digital. Ciberespaço. Cibercultura.

Resumo

As atividades de leitura e escrita como práticas sociais ampliam sua esfera de apreensão e atuação em espaços virtuais; vistas além da presença do impresso, determinam modos distintos de agir e interagir nas relações interpessoais. Frente a isso emerge um contexto de múltiplas linguagens circulante nas mídias eletrônicas, o que se impacta diretamente nas relações de ensino-aprendizagem. Diante isso, este artigo assume como objetivo descrever diferentes perspectivas teóricas a respeito do conceito das narrativas digitais, com o propósito de delinear as principais reflexões teóricas da terminologia e da inserção no contexto das práticas de letramentos. Para isso, propõe-se uma reflexão teórica a partir das diferentes concepções sobre narrativas digitais, com base nas discussões de Pierre Lévy (1996, 1999), Walter Benjamin (1983), Almeida e Valente (2012) e Papert (1994), em diálogo com outros autores que discutem a temática. A discussão permite certa consonância entre a conceituação e a dinâmica da globalização, uma tendência que demarca significativamente o processo de construção de conhecimento do indivíduo e sua possibilidade de expressão social e cultural, uma vez que representa as características de um momento histórico, social e cultural.

Referências

ALMEIDA, M. E. B.; VALENTE, J. A. Integração currículo e tecnologias e a produção de narrativas digitais. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 3, p. 57-82, set./dez. 2012. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras>. Acesso em: 20 jan. 2017.

AZEVEDO, J. L. A. de. Trabalhando conceitos matemáticos com tecnologias informáticas por meio da elaboração de projetos de construção civil. 2008. 171f. Tese (Mestrado em Educação Matemática). Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, 2008. Disponível em: <http://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/91106/azevedo_jla_me_rcla.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 11 jan. 2017.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e yara Frateschi Vieira. 9. ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

BENJAMIN, W. Textos Escolhidos. Trad. de Modesto Carone et al. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

BRUNER, J. Actos de significado: para uma psicologia cultural. Lisboa: Edições 70, 1990.

BRUNER, J. A Cultura da Educação. Trad. M. A. G. Domingues. Porto Alegre: Artmed, 2001.

CARNEIRO, M. L. F.; GELLER, M.; PASSERINO, L. Navegando em ambientes virtuais: metodologias e estratégias para o novo aluno. Material elaborado para o Curso de Formação em Serviço de Professores e Informática na Educação Especial. PROINESP/UFRGS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

CARVALHO, G. S. (2008). As Histórias Digitais: Narrativas no Século XXI. O Software Movie Maker como Recurso Procedimental para a Construção de Narrações. Dissertação de Mestrado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo.

CHARTIER, R. (Org.) Práticas da leitura. Trad. Cristiane Nascimento. São Paulo: Estação da Liberdade, 1996.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Trad. Reginaldo de Moraes. São Paulo: UNESP, 1999.

CHARTIER, R. História cultural: entre práticas e representações. Trad. M. M. Galhardo. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

CUNHA, M. I. Aula universitária: inovação e pesquisa. In: LEITE, D., MOROSINI, M. (Org.) Universidade Futurante. Campinas: Papirus, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HIRSCHKOP, K. Bakhtin, discurso e democracia. In: Mikhail Bakhtin: Linguagem, Cultura e Mídia. São Carlos: Pedro e João Editores, 2010. 430 p.

LEMKE, J. L. Travels in hypermodality. Visual Communication, 2002.

LÉVY, P. O que é o virtual? São Paulo: Ed. 34, 1996.

LÉVY, P. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MURRAY, H. J. Hamlet no Holodeck. O futuro da narrativa no ciberespaço. Trad. E. K. Daher; M. F. Cuzziol. São Paulo: Itaú cultural: Unesp, 2011.

NUNES, S. da C.; SANTOS, R. P. dos. O Construcionismo de Papert na criação de um objeto de aprendizagem e sua avaliação segundo a taxionomia de Bloom. IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – IX ENPEC, 9., 2013, Águas de Lindóia, SP. Atas.... Disponível em: <http://www.nutes:.ufrj.br/abrapec/ixenpec/atas/resumos/R1200-1.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2017

OLIVÉ, L. El livro, la lectura y las bibliotecas em la sociedade del conocimiento. Lectura y vida, Buenos Aires, año 30, n. 3, 2009.

PAIVA, V. Narrativas multimídia de aprendizagem de língua inglesa: um gênero emergente. Anais do 4.º Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais, Tubarão: UNISUL, 2007.

PAPERT, S. A máquina das crianças. Porto Alegre: Artmed, 1994.

PAUL, N. Elementos das narrativas digitais. In: FERRARY, Pollyana (org), Hipertexto, hipermídia: as novas ferramentas da comunicação digital. São Paulo: Contexto, 2007.

PRADO, G. do V. T.; SOLIGO, R. Memorial de formação – quando as memórias narram a história da formação. In: PRADO, G. do V. T.; SOLIGO, R. Porque escrever é fazer história. (Orgs.). Campinas: Graf. FE, 2005, p.47-62.

RIBEIRO, A. E. Ler na tela / letramento e novos suportes de leitura e escrita. In: COSCARELLI, Carla; RIBEIRO, Ana Elisa. Letramento digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 3. ed. Belo Horizonte: Ceake; Autêntica Editora, 2014.

ROBIN, B. R. Digital Storytelling: A Powerful Technology Tool for the 21st Century Classroom. Theory Into Practice, 47(3), pp. 220-228, 2008.

ROBIN, B. R. The Educational Uses of Digital Storytelling. In: CRAWFORD, C. et al. (Eds.), Proceedings of Society for Information Technology & Teacher Education 125 International Conference, 2006. p. 709-716. Chesapeake, VA: AACE, 2014. Disponível em: <http://www.editlib.org/p/2212n9>. Acesso em: 29 jan. 2017.

SANTAELLA, L. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004.

SCHVAMBACH, K. K. Nos tempos antigos... contando nossa história: um projeto interdisciplinar envolvendo produção de narrativas e o uso de TDICs nos anos iniciais do ensino fundamental. 2016. 70. Trabalho de Conclusão de Curso, Especialização em Educação na Cultura Digital, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/169038/TCC_Schvambach.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 12 jan. 2017.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v23n81/13935.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2017.

SOARES, M. Alfabetização e Letramento: caminhos e descaminhos. Acervo Digital Unesp. fev., 2004. p. 96-100. Disponível em: <http://www.acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/40142/1/01d16t07.pdf>. Acesso em: 17 jan. 2017.

VALENTE, J.A. A espiral da espiral de aprendizagem: o processo de compreensão do papel das tecnologias de informação e comunicação na educação. 2005. Tese (Livre Docência) Departamento de Multimeios, Mídia e Comunicação, Instituto de Artes (IA), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000857072&opt=4>. Acesso em: 7 jan. 2017.

VALENTE, J. A.; ALMEIDA, M. E. B. (orgs.). Formação de educadores a distância e integração de mídias. São Paulo: Avercamp, 2007.

VALENTE, J. A.; ALMEIDA, M. E. B. As Tecnologias Digitais e os Diferentes Letramentos. Ano IV, n. 15. As diferentes dimensões do aprender, nov. 2000/ jan. 2001. Disponível pelo endereço: <http://www.revistapatio.com.br/sumario_conteudo.aspx?id=597>. Acesso em: 29 jan. 2017.

VASCONCELOS, D. C.; MAGALHÃES, H. As Narrativas Multimediáticas das Charges Animadas. Cultura Mediática: Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba. Ano III, n. 1, 2005.

WEBER, M. Professores contadores de histórias. In: FERREIRA, Jacques de Lima (org.). Formação de professores: teoria e prática pedagógica. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

XAVIER, A. C. dos S. Letramento digital e ensino. 2002. Núcleo de Estudos de Hipertexto e tecnologia Educacional NEHTE. Disponível em: http://www.ufpe.br/nehte/artigos/Letramento-Digital-Xavier.pdf>. Acesso em: 29 jan. 2017.

Downloads

Publicado

23/08/2017

Como Citar

PRADO, A. L.; LAUDARES, E. M. de A.; VIEGAS, P. P. C.; GOULART, I. do C. V. Narrativas digitais: conceitos e contextos de letramento. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. esp.2, p. 1156–1176, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n.esp.2.10286. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10286. Acesso em: 4 mar. 2021.