Reconhecimento de saberes: um estudo sobre o estado da arte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.10853

Palavras-chave:

Reconhecimento de saberes, Validação de saberes, IFSC-Florianópolis, CERTIFIC, Certificação profissional

Resumo

O texto é o resultado de estudos sobre “Reconhecimento de Saberes” iniciado pelas autoras no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), em 2014. Tal pesquisa surgiu da constatação da necessidade de um maior aprofundamento teórico sobre tema. O trabalho teve por objetivo traçar o delineamento do estado da arte do reconhecimento de saberes por meio de um mapeamento de artigos, teses e dissertações que abordam o tema. O universo de pesquisa ficou constituído de 8 artigos, 4 dissertações e uma tese, totalizando 13 documentos, produzidos de 2006 a 2016. Na análise dos documentos pode-se constatar que as políticas de certificação profissional e de reconhecimento de saberes ganharam destaque a partir das iniciativas para desenvolvimento e certificação de competências nos países europeus. Percebeu-se que as políticas implementadas de formação e certificação profissional são, em sua maioria, fortemente orientadas pela “teoria das competências” e pelas "necessidades do mercado de trabalho", em detrimento de uma concepção integral de educação. Concluiu-se que a implementação de dispositivos de reconhecimento de saberes não se dá sem tensões e comporta contradições que refletem as perspectivas dos grupos distintos que compõem a sociedade, desencadeando disputas que envolvem questões político-epistemológicas importantes. Se por um lado se fortalece a avaliação por competências, apoiada nos pressupostos da teoria do capital humano, fortemente voltado para uma concepção da educação para o mercado de trabalho, por outro, fortalecem-se, também, aqueles que tomam essas políticas como um mecanismo de justiça social, voltado para o atendimento das demandas históricas de movimentos sociais de direito à educação.

Biografia do Autor

Elenita Eliete De Lima Ramos, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Santa Catarina

Professora e pesquisadora do Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC

Licenciada em Matemática e doutora em Educação Científica e Tecnológica pela UFSC

Miriam de Cassia do Carmo Mascarenhas Mattos, Universidade Caxias do Sul

Doutoranda em Educação pela UDESC. Professora e pesquisadora desde 2008.

Referências

ALCOFORADO, L. M. Reconhecimento, validação e Certificação de saberes experienciais: desafios para a formação continuada e as relações de trabalho. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 23, n. 3, p. 13-30, set./dez., 2014.

ANÍBAL, A. A singularidade do Sistema Nacional de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências: génese, caraterização, situação atual e pistas para o futuro. Centro de investigação e estudo de sociologia. Relatório CIES e-Working Paper, n.º 149 - Portugal, 2013. Disponível em: < http://hdl.handle.net/10071/5005 >. Acesso em: 21 jul. 2016.

BARROS, R. A Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos (ANEFA): Um marco na europeização da agenda pública do setor. Revista Portuguesa de Educação, v. 26, n. 1, p. 59-86, 2013.

CAVALCANTE, E. A. Reconhecimento de saberes e Certificação profissional em tecnologia do pescado: um estudo de caso do Programa CERTIFIC no nordeste. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior). Universidade Federal do Ceará, 2014.

COSTA, R. C. D. Rede CERTIFIC: percursos e percalços na formulação da política de reconhecimento e Certificação de saberes dos trabalhadores. Tese (Doutorado em educação) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015.

CUNHA, D. M.; LIMA, N. V. Reconhecimento e Certificação de saberes construídos no ambiente de trabalho: uma análise comparada dos dispositivos inglês e brasileiro. Disponível em: < http://www.sbec.org.br/evt2012/trab11.pdf >. Acesso em: 24 set. 2014.

FERNÁNDEZ, F. S. Reconocimiento y validación de los aprendizajes adquiridos en la experiencia: la ley francesa de modernización social. Disponível em: < http://www2.uned.es/andresbello/documentos/florentino.pdf >. Acesso em: 21 jul. 2016.

FERNÁNDEZ, Ó. M.; FERNÁNDEZ, F. S. Los sistemas de reconocimiento y acreditación de los aprendizajes no formales e informales: referencias históricas, funciones socioeducativas y perspectiva teórica. Revista de Educación, n. 348, enero/abril, p. 253-281, 2009.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, n. 79, ago., 2002.

FISCHER, M. C. B.; GODINHO, C. F.; CAVALLI, Â. Beatriz. Aproximações entre as políticas de Certificação profissional no Brasil e em Portugal. R. Educ. Públ. Cuiabá, v. 20, n. 42, p. 71-89 jan./abr., 2011.

FISCHER, M. C. B.; FRANZOI, N. L. Formação Humana e Educação profissional. Diálogos possíveis. Educação, Sociedade e Culturas, n. 29, p. 35-51, 2009.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva. 9 ed. São Paulo: Editora Cortez, 2010.

HICKENBICK, C.; RAMOS, E. E. de L.; MATTOS, M. C.C.M. Processo de reconhecimento e Certificação de saberes escolares de trabalhadores: orientações teórico-metodológicas. Revista Percursos, v. 16, n. 31, 2015.

LIMA, N. V. Reconhecimento de saberes do trabalho e Certificação profissional: experiência da Inglaterra. Dissertação (Mestrado em Conhecimento e Inclusão Social em Educação) Universidade Federal de Minas Gerais, 2015.

MANACORDA. Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez, 2007.

MANFREDI, S. M. Uma política de Certificação profissional orientada para a inclusão social. Linhas Críticas, Brasília, v. 16, n. 30, p. 27-48, jan./jun., 2010.

MANFREDI, S. M. Educação Profissional no Brasil, São Paulo: Cortez: autores associados, 2002.

MARX, K. Processo de trabalho e processo de produção de mais valia. In: MARX, K. O Capital. 7 ed. Difitel, 1983, Disponível em: < www.marxistas.org/portugues/ marx/1867/ocapital-v1vol07.htm#topp >. Acesso em: 02 jan. 2016.

MORAES, C. S. V.; LOPES NETO, S. Educação, formação profissional e Certificação de conhecimentos: considerações sobre uma política pública de Certificação profissional. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 93, p. 1435-1469, set./dez., 2005.

RAMOS, E. E. de L.; HICKENBICK, C. Projeto formativo para a EJA: a integração entre processo educativo e prática social na educação profissional. Anais... CONGRESSO NACIONAL DE PROGRAMAS EDUCATIVOS PARA JOVENS, ADULTOS E IDOSOS. 1., 2015, Campos dos Goytacazes. Campos dos Goytacazes, 2015.

RAMOS, E. E. de L. Propondo práticas e desafiando certezas: um estudo em turma do Proeja numa perspectiva de Educação Matemática Crítica. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

RODRIGUES, C. B. Reconhecimento, avaliação e Certificação de aprendizagens e competências: experiências na educação profissional. Dissertação (Mestrado em educação). Universidade Católica de Brasília, 2013.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educ., Curitiba, v. 6, n.19, p.37-50, set./dez., 2006.

ROMANOWSKI, J. P. As licenciaturas no Brasil: um balanço das teses e dissertações dos anos 90. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

SILVA, M. J. L. F. da. Dimensões formativas dos processos de reconhecimento, validação e Certificação de competências desenvolvidos num centro novas oportunidades. Dissertação (Mestrado em Formação de Adultos e Desenvolvimento Local). Instituto Politécnico de Portalegre; Escola Superior de Educação de Portalegre. 2011.

STEFFEN, E. M. Sistema de Certificação de competências no Brasil e em Portugal. Trabalho & Educação, v. 18, n. , jan./abr., 2009.

Publicado

01/10/2018

Como Citar

DE LIMA RAMOS, E. E.; MATTOS, M. de C. do C. M. Reconhecimento de saberes: um estudo sobre o estado da arte. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 5, p. 1711–1725, 2018. DOI: 10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.10853. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10853. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos