Constituintes e desafios da profissionalização de docentes de língua inglesa para a infância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i2.11133

Palavras-chave:

Professores de língua inglesa, Infância, Profissionalização docente.

Resumo

Esta pesquisa objetivou analisar os constituintes da profissionalização de docentes de Língua Inglesa para a infância e elucidar os seus principais desafios. Nos procedimentos metodológicos, foram elencados dois instrumentos de geração de dados: memorial e entrevista narrativa com professores de inglês dos anos iniciais. Ressalta-se que esta é uma pesquisa qualitativa e (auto) biográfica. A partir da análise textual discursiva, destaca-se que há diversos fatores que interferem na construção da identidade profissional dos docentes. Estes são influenciados por constituintes sociais, como família, amigos, mestres, professores mais experientes e gestores, que operam tanto nas escolhas e na profissão como no fazer docente. Os desafios, por outro lado, estão relacionados à formação continuada e, principalmente, à formação inicial. Dessa forma, propõem-se reflexões curriculares a respeito da profissionalização do docente para atuar com as diferentes idades escolares.

Biografia do Autor

Andréa Cristina Gomes Monteiro, Mestre pela Universidade de Blumenau Professora do Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú

Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Educação pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Superior (GEPES-FURB) e graduada em Letras com habilitação em Português e Inglês (UNIVILLE). Atualmente, é Professora de Inglês do Instituto Federal Catarinense – Campus Camboriú (IFC).

Marcia Regina Selpa Heinzle, Professora da Universidade Regional de Blumenau. Orientadora da dissertação apresentada no artigo enviado.

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente é Professora e pesquisadora da Universidade Regional de Blumenau (FURB) no Programa de Pós Graduação em Educação. É coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Superior (GEPES-FURB). É orientadora da autora acima citada (Andréa Cristina Gomes Monteiro) e orientou a dissertação apresentada no artigo submetido.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. A Aventura (auto) biográfica: teoria e empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

AMBROSETTI, Neusa Banhara.; ALMEIDA, Patrícia Albieri de. A constituição da profissionalidade e professores de educação infantil. In: CORDEIRO, Aliciene Fusca Machado.; HOBOLD, Márcia Souza.; AGUIAR, Maria Aparecida Lapa de (Org.). Trabalho docente: formação, práticas e pesquisa. Joinville: Editora Univille, 2010. p. 187-205.

ARAÚJO, Cristina Carvalho de. Formação continuada no cotidiano dos(as) professores (as) dos anos iniciais: desafios e possibilidades. 2011. 142f. Dissertação (mestrado em Educação). Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2011.

ARROYO, Miguel Gonzáles. Oficio de mestre: imagens e auto-imagens. 13. ed. RJ: Vozes, 2011.

BARREIRO, Cristhianny Bento. Pesquisas narrativas, biográficas e autobiográficas: investigando conceitos nas pesquisas do V CIPA. In: ABRAHÃO, Maria elena Menna Barreto.; BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza.; ARAÚJO, Mairce da Silva (Org). Pesquisa (Auto) biográfica, fontes e questões. 1. ed. Curitiba: CRV, 2014. p.129-143.

BAUER, Martin.; GASKELL, George. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. Pesquisa qualitativa com texto: imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. Título original: Qualitative Researching with Text, Image and Sound: a Practical Handbook.

CUNHA, Renata Cristina da. Narrativas autobiográficas de professores iniciantes no ensino superior: trajetórias formativas de docentes do curso de Letras-Inglês. 2014. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2014.

IMBERNÒN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Tradução de Silvana Cobucci Leite. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011. Título original: Formarse para el cambio y la incertidumbre. (Coleção questões da nossa época, v.14).

MORAES, Roque.; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. 3.ed. rev. e ampl. Ijuí: Editora Unijuí, 2016.

MUNICÍPIO DE JOINVILLE. Constituição (2015). Lei nº 8043, de 02 de setembro de 2015. Aprova O Plano Municipal de Educacão - PME e dá outras providências. p. 01-22. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/plano-municipal-de-educacao-joinville-sc . Acesso em: 03 jan. 2017.

NÓVOA, António. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. In: Professores: Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009, p. 25-46.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 14. ed. RJ: Vozes, 2012.

ZEICHNER, Kenneth. Uma Análise Crítica Sobre a “Reflexão” Como Conceito Estruturante na Formação Docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, ago. 2008. Quadrimestral. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v29n103/12.pdf. Acesso em: 06 abr. 2016.

Publicado

01/01/2019

Como Citar

GOMES MONTEIRO, A. C.; SELPA HEINZLE, M. R. Constituintes e desafios da profissionalização de docentes de língua inglesa para a infância. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 586–600, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i2.11133. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11133. Acesso em: 6 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos