Percepção de discentes frente ao uso de roteiros de estudo em aulas práticas de neuroanatomia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.11496

Palavras-chave:

Anatomia, Manual, Aprendizagem, Ensino, Fisioterapia.

Resumo

O objetivo do estudo foi analisar a percepção de discentes do curso de fisioterapia, a partir do uso de roteiros didáticos em aulas práticas da disciplina de Neuroanatomia. Este foi do tipo qualitativo, através de relato de experiência, no qual realizou-se a análise de conteúdo dos discursos dos partícipes. Foi possível observar que os roteiros lhes facilitaram a compreensão do conceito do componente curricular aqui trabalhado, bem como se apresentou como um método norteador no processo de aprendizagem e foram dinâmicos e facilitadores na apreensão dos conteúdos estudados. Assim, inferimos que o uso de roteiros didáticos em aulas práticas da disciplina de neuroanatomia contribui no processo de ensino-aprendizagem, tornando o discente ativo na construção de seu conhecimento.

Biografia do Autor

Cristiane Torres Guimarães Menezes, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Graduada em Enfermagem na Universidade de Pernambuco - Campus Petrolina. Durante a graduação, foi monitora de Anatomia Humana e Neuroanatomia por 4 semestres. Participou como voluntária do projeto de monitoria intitulado "Elaboração de roteiros de aulas práticas, nas disciplinas de Anatomia Humana e Neuroanatomia na Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina." Como resultado desse projeto, foi publicado um livro "Manual Prático de Neuroanatomia: uma abordagem inovadora", sob ISBN 978-3-330-72644-4, do qual participou como colaboradora. Além deste projeto, participou de mais dois projetos de extensão: como bolsista (A importância da educação na promoção da doação de orgãos e tecidos) e como voluntária (Hábitos de vida saudáveis: integração do ensino superior da anatomia humana ao ensino médio). Realizou um estágio extracurricular na área de Saúde da Criança no Hospital Dom Malan/Imip durante 6 meses. A participação em eventos, minicursos e capacitações estão descritas mais adiante.

Edivaldo Xavier Silva Júnior, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Doutorando do Programa de Engenharia Biomédica da Faculdade de Ciência e Tecnologia (FCT) da Universidade Nova de Lisboa (UNL), o qual faz parte do Grupo de Pesquisa em Hemodinâmica Arterial em cadáver. Mestre em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista, lato sensu, em Análises Clínicas pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE). Graduado em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE). Atualmente é Professor Assistente de Anatomia Humana e Neuroanatomia da Universidade de Pernambuco-UPE, Campus Petrolina. Trabalha com o ensino-aprendizagem da anatomia humana nos ensinos fundamental, médio e superior, bem como anatomia descritiva e conservação cadavérica. Coordenador do Laboratório de Ensino de Anatomia Humana e do LABEPAH (Laboratório de Ensino e Pesquisa em Anatomia Humana). Coordenador do Curso de Pós-graduação (Lato sensu) em Análises Clínicas da UPE, Campus Petrolina. Coordenador do Curso de Especialização (Lato sensu) em Anatomia Funcional da UPE, Campus Petrolina. Representante do Conselho de Pós-graduação, lato sensu, no Conselho de Graduação Acadêmica da Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina. Docente da disciplina de Hematologia na Especialização em Análises Clínicas da UPE, Campus Petrolina. Docente convidado do Curso de Especialização em Psicopedagogia, gerido pela Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina. Co-orientador externo do Programa de Pós-graduação Ciências da Saúde e Biológicas da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Membro-sócio da Sociedade Brasileira de Anatomia Humana. Sócio-correspondente da Sociedade Anatómica Portuguesa (SAP) e Associação Anatómica Portuguesa (AAP). Tem experiência nas áreas de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia, Ciências Biológicas, Ensino-aprendizagem, Educação e atuação Psicopedagógica, e Psicopedagogia Hospitalar, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde; anatomia humana; neuroanatomia; hematologia clínica; citologia e ensino-aprendizagem, nos níveis básico e superior, da anatomia humana; e psicopedagogia hospitalar. Integrante do Grupo de Pesquisas em Desempenho Humano - UPE Campus Petrolina e do Grupo, e Linha de Pesquisa, Development of devices, sensors and non-invasive methods of assessment and intervention in human health with emphasis on Cardiovascular Diseases, Diabetes and Cancer da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. Desenvolve pesquisas e é professor convidado de Anatomia Humana na NOVA Medical School da Universidade Nova de Lisboa (UNL), através de convênio internacional de cooperação.

Gilberto Santos Cerqueira, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Farmácia e Licenciatura em Ciências Biológicas, Especialista em Hematologia clínica (UFC) e Análises Clínicas (FIJ), Título de Proficiência em Anatomia Macroscópica Humana, Sociedade Brasileira de Anatomia - SBA. Mestrado em Farmacologia Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos pela Universidade Federal da Paraíba (2005), Formação em Farmácia Clínica pela Universidad de Chile com educação de Paciente e, uso de anticoagulante oral. Doutor em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará. Possui experiência na área de Anatomia Humana , Ciências Morfológicas, Farmacologia, Toxicologia. Possui treinamento em Metodologia ativas: Problem-based learning (PBL) pela University of New Mexico School of Medicine. Possui Aprimoramento em Plastinação pela University of Toledo, Ohio, Estados Unidos. Atualmente vem trabalhando com Formação de professores e aluno em espaços não formais. Educação Popular em Saúde. Educação em Ciências Morfofuncionais. Mucosite oral e intestinal, sistema nervoso entérico, neuromudulação do trato gastrintestinal e técnicas morfométrica e de imunohistoquímica. Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Farmacologia do Trato Gastrointestinal e Inflamação, atuando principalmente nos seguintes temas: inflamação, úlcera gástrica, mediadores gasosos, produtos naturais e mucosite e Oxido Nítrico.

Referências

ALSAID, B.; BERTRAND, M. Student's memorization of anatomy, influence of drawing. Morphologie, v.100, n.328, p.02-06, 2016.

ANYANWU, E. G. Anatomy adventure: a board game for enhancing understanding of anatomy. Anatomical Science Education, v. 7, n. 2, p. 153-160, 2014.

ARAÚJO JÚNIOR, J. P.; GALVÃO, G. A. S.; MAREGA, P.; BAPTISTA, J. S.; BEBER, E. H.; SEYFERT, C. E. Desafio anatômico: uma metodologia capaz de auxiliar no aprendizado de anatomia humana. Revista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e do Hospital das Clínicas da FMRP, v. 47, n. 1, p. 62-68, 2014.

ARRUDA, R. M.; SOUSA, C. R. A. Aproveitamento Teórico-Prático da Disciplina Anatomia Humana do Curso de Fisioterapia. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 38, n. 1, p. 65-71, 2014.

ATTARDI, S. F.; ROGERS, K. A. Design and implementation of an online systemic human anatomy course with laboratory. Anatomical Sciences Education, v. 8, n. 1, p. 53-62, 2015.

BARRY, D. S.; TIERNEY, P.; O'KEEFFE, G. Anatomy education for the YouTube generation. Anatomical Sciences Education, v. 9, n. 1, p. 90-96, 2016.

BRAZ, P. R. P. Método didático aplicado ao ensino da anatomia humana. Anuário da produção acadêmica docente, v. 3, n. 4, p. 303-310, 2009.

BRITO, S. R.; SANTOS, T. L. T.; DA SILVA, A. S.; COSTA, K.; FAVERO, E. L. Automatizado à mediação da aprendizagem baseada em experimentos. RENOTE, v. 3, n. 2, p. 1-11, 2005. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/14033/7924. Acesso em: 10 abr. 2018.

CAVALCANTE, D. D.; SILVA, A. F. A. Modelos didáticos e professores: concepções de ensino-aprendizagem e experimentações. In: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química, 2008, Curitiba. Anais..., Paraná, UFPR, 2008. Disponível em: http://www.quimica.ufpr.br/eduquim/eneq2008/resumos/R0519-1.pdf. Acesso em: 10 abr. 2018.

COSTA, B. D. B.; BARRETO, S. D.; VERAS JÚNIOR, E. L.; VIEIRA, G. O.; LUCENA, E. E. S. Corpo humano real e fascinante: a extensão universitária como um elo integrador entre o ensino médio/profissionalizante e o superior. Extendere, v. 2, n. 1, 2013.

COSTA, G. B. F.; COSTA, G. B. F.; LINS, C. C. F. A. O Cadáver no Ensino da Anatomia Humana: uma Visão Metodológica e Bioética. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 33, n. 6, p. 369-373, 2012.

DA SILVA, C. K.; SANTANA, A. O.; DE MORAES, A. S. R. Quality and language of learning objects used in the teaching of human anatomy. International Journal of Morphology., v. 31, p. 455-460, 2013.

DE MENESES, R. D. B. Morfologia da morfologia humana. Revista Ciencias de La Salud, v. 8, n. 01, p. 87-93, 2010.

FALCÃO, J. G. B.; SANDES, A. A. G.; RODRIGUES, B. R.; NASCIMENTO, I. Y. M.; SCHWINGEL, P. A.; SILVA JÚNIOR, E. X. Neuroanatomical structures manufacture: an alternative in the practical teaching of neuroanatomy. Journal of Morphological Science, v. 33, n. 1, p. 17-21, 2016.

FARIA, J. W. V.; FIGUEIREDO, E. G.; BRITO, D. R.; TEIXEIRA, M. J. A evolução histórica do ensino da Neuroanatomia. Revista de Medicina, v. 93, n. 4, 146-150, 2014.

FAZAN, V. P. S. Métodos de ensino em anatomia: dissecção versus prossecção. Revista de Divulgação Científica da Sociedade Brasileira de Anatomia, Ano 2, v. 1, 2011.

FERREIRA, T. A. Estudo de neurofisiologia associados com modelos tridimensionais construídos durante o aprendizado. Bioscience Journal, v. 24, n. 1, p. 98-103, 2008.

FONTELLES, M. P.; CARVALHO, R. M.; PEREIRA, N.; JORGE, S. C.; MAIA, M. F. Dicionário de estruturas e termos anatômicos: versão bilíngue Português/inglês empregando multimídia em cd-rom. Revista Paraense de Medicina, v. 20, n. 2, p. 7-12, 2006.

FORNAZIERO, C. C.; GIL, C. R. R. Novas Tecnologias Aplicadas ao Ensino da Anatomia Humana. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 27, n. 2, p. 141-146, 2003.

FORNAZIERO, C. C.; GORDAN, P. A.; CARVALHO, M. A. V.; ARAÚJO, J. C.; AQUINO, J. C. B. O Ensino da Anatomia: Integração do Corpo Humano e Meio Ambiente. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 34, n. 2, p. 290–297, 2010.

FREITAS, I. C. M. Pesquisa Qualitativa em Saúde: um olhar inovador sobre a produção do conhecimento científico. Revista Baiana de Saúde Pública. v. 35, n. 4, p. 1001-1012, 2011.

FREITAS, L. A. M.; BARROSO, H. F. D.; RODRIGUES, H. G.; AVERSI-FERREIRA, T. A. Construção de modelos embriológicos com material reciclável para uso didático. Bioscience Journal, v. 24, n. 1, p. 91-97, 2008.

GRAY, H.; GOSS, C. M. Anatomia. 29. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

GUIRALDES, C. H.; ODDÓ, A. H.; ORTEGA, F. X.; OYARZO, M. P. Métodos computacionales y gráficos de apoyo al aprendizaje de la anatomia humana: vision de los estudiantes. Revista Chilena de Anatomia, v. 13, n. 1, p. 67-71, 1995.

HENNESSY, C. M.; KIRKPATRICK, E.; SMITH, C. F.; BORDER, S. Social media and anatomy education: using twitter to enhance the student learning experience in anatomy. Anatomical Sciences Education, v. 9, n. 6, p. 505-515, 2016.

INFANTOSI, A. F. C.; KLEMT, A. Visualização 3D da dissecação do crânio humano. Revista Brasileira de Engenharia Biomédica, v. 16, n. 1, p. 21-37, 2000.

JAFFAR, A.A. YouTube: An Emerging Tool in Anatomy Education. Anatomical Science Educational, v. 5, n. 3, p. 158–164, 2012.

JAFFAR, A.A. Exploring the Use of a Facebook Page in Anatomy Education. Anatomical Science Educational, v. 7, n. 3, p. 199-208, 2013.

KRAPAS, S.; QUEIROZ, G.; COLINVAUX, D.; FRANCO, S. Modelos: Uma análise de sentidos na literatura de pesquisa em ensino de ciências. Investigações em Ensino de Ciências. v. 2, n. 3, p. 185-205, 1997.

MATHIOWETZ, V.; YU, C. H.; QUAKE-RAPP, C. Comparison of a gross anatomy laboratory to online anatomy software for teaching anatomy. Anatomical Sciences Education, v. 9, n. 1, p. 52-59, 2016.

MCNULTY, J. A.; ESPIRITU, B. R.; HOYT, A. E.; ENSMINGER, D. C.; CHANDRASEKHAR, A. J. Associations between formative practice quizzes and summative examination outcomes in a medical anatomy course. Anatomical Sciences Education, v. 8, n. 1, p. 37-44, 2015.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MIRANDA, S. No fascínio do jogo: a alegria de aprender. Ciência Hoje, v. 28, n. 168, p. 64-66, 2001.

MORAES, G.N.B.; SCHWINGEL, P.A.; SILVA JÚNIOR, E.X. Uso de roteiros didáticos e modelos anatômicos, alternativos, no ensino-aprendizagem nas aulas práticas de anatomia humana. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 11, n.1, 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7305/5709. Acesso em: 18 jun. 2018.

MURAKAMI, T.; TAJIKA, Y.; UENO, H.; AWATA, S.; HIRASAWA, S.; SUGIMOTO, M.; KOMINATO, Y.; TSUSHIMA, Y.; ENDO, K.; YORIFUJI, H. An integrated teaching method of gross anatomy and computed tomography radiology. Anatomical Sciences Education, v. 7, n. 6, p. 438-449, 2014.

NASCIMENTO, I. Y. M. et al. Hands-on’: an active experience in manufacturing parasitized neuroanatomical models as a teaching and learning tool. International Journal of Development Research, v. 8, n. 5, p. 20377-20381, 2018. Disponível em: http://www.journalijdr.com/sites/default/files/issue-pdf/12732.pdf. Acesso em: 18 jun. 2018.

OLIVEIRA, P. S. et al. The teaching of human anatomy in Brazil: the reality of Northeast Brazil. International Journal of Anatomy and Research, v. 5, n. 4.2, p. 4623-4629, 2017.

ORLANDO, T. C. Planejamento, montagem e aplicação de modelos didáticos para abordagem de biologia celular e molecular no ensino médio por graduandos de ciências biológicas. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular, v. 1, n. 1, p. 1-17, 2009.

PRIGOL, S.; GIANNOTTI, S. M. A importância da utilização de práticas no processo de ensino-aprendizagem de ciências naturais enfocando a morfologia da flor. In: I Simpósio Nacional de Educação – XX Semana da Pedagogia, 2008, Cascavel. Anais..., Paraná, Unioeste, 2008. p.1-12. Disponível em: http://www.unioeste.br/cursos/cascavel/pedagogia/eventos/2008/1/artigo%2033.pdf. Acesso em: 19 abr. 2018.

REIS, C.; MARTINS, M. M.; MENDES, R. A. S.; GONSALVES, L. B.; FILHO, H. C. S.; MORAIS, M. R. Avaliação da percepção de discentes do curso médico acerca do estudo anatômico. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 37, n. 03, p. 350-358, 2013.

RIBEIRO, F. S. et al. Neurogame: an alternative and complementary method in the teaching and learning process of neuroanatomy. International Journal of Research & Methodolgy in Social Science, v. 3, n. 1, p. 62-71, 2017. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B2B2CwoNDenGZVQwYWxKN1VBNTg/view. Acesso em: 18 jun. 2018.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SALTARELLI, A. J.; ROSETH, C. J. Effects of synchronicity and belongingness on face-to-face and computer-mediated constructive controversy. Journal of Educational Psychology, v. 106, n. 4, p. 946-960, 2014.

SANTOS, M. C. et al. A Anatomia humana para a enfermagem: diálogos interdisciplinares no currículo. Revista de Educação, São Paulo, v. 7, n. 15, p. 181-190, 2011.

SANTOS, S. M. P. O Lúdico na Formação do Educador. Petrópolis: Vozes, 1999.

SANTOS, V. P. A.; SILVA, K. S.; NOVAIS, R. M.; MARCONDES, M. E. R. Modelos didáticos revelados nos discursos dos professores em formação. In: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química - XIV ENEQ, 2008, São Paulo. Anais..., São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.cienciamao.usp.br/dados/eneq/_modelosdidaticosrevelado.trabalho.pdf. Acesso em: 19 abr. 2018.

SCHLEMMER, E. Laboratórios digitais virtuais em 3d: anatomia humana em metaverso, uma proposta em immersive learning. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 3 p. 2119-2157, 2014.

SCHULTZ, E. S.; MULLER, C.; CÔRREA, S. M. M. Laboratório de aprendizagem: o lúdico nas séries iniciais. 2005. Disponível em: http://coperves.ufsm.br/prograd/downloads/File/Laboratóriodeaprendizagem.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

SHOEPE, T. C.; CAVEDON, D. K.; DERIAN, J. M.; LEVY, C. S.; MORALES, A. The ATLAS project: the effects of a constructionist digital laboratory Project on undergraduate laboratory performance. Anatomical Science Education, v. 8, n. 1, p. 12-20, 2015.

SILVA, C. F. et al. Análise da satisfação do uso de exames de imagem, como proposta complementar, no processo de ensino e aprendizagem da anatomia sistêmica. Revista Saúde & Ciência Online, v. 7, n. 1, p. 35-44, 2018. Disponível em: http://www.ufcg.edu.br/revistasaudeeciencia/index.php/RSC-UFCG/article/view/527/326. Acesso em: 18 jun. 2018.

SILVA JÚNIOR, E. X. et al. Elaboração de modelos anatômicos alternativos para o ensino-aprendizagem da disciplina de neuroanatomia humana, a partir de material de baixo custo. In: I Congresso Nacional de Educação - I CONEDU, 2014, Campina Grande. Anais..., Paraíba: Realize, v. 1, n. 1, p. 1-05, 2014a. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/Modalidade_1datahora_14_07_2014_19_51_54_idinscrito_3160_eec18973fabcaf6b30f5b526540557cc.pdf. Acesso em: 18 jun. 2018.

SILVA JÚNIOR, E. X. et al. Elaboração de roteiros para o ensino-aprendizagem nas aulas práticas das disciplinas de anatomia humana e neuroanatomia. In: CONEDU, 1., 2014, Campina Grande. Anais... Paraíba: Realize, p. 1-5, 2014b. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/Modalidade_1datahora_15_07_2014_22_59_18_idinscrito_3160_6ad18d13d81622ec0227b39630b0b40a.pdf. Acesso em: 18 jun. 2018.

SILVA, K. R. S.; BRITO, V. C. Manual de aula prática para o ensino de anatomia humana. In: XIII Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão – XIII JEPEX – UFRPE, 2013, Recife. Anais..., Pernambuco, 2013. p. 1-3. Disponível em: http://www.eventosufrpe.com.br/2013/cd/resumos/R0128-1.pdf. Acesso em: 10 jun. 2018.

SILVA, M. S. L.; MACHADO, H. A.; BIAZUSSI, H. M. Produção de Material Didático Alternativo para Aula Prática de Anatomia Humana. In: Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação, 2012, Palmas. Anais..., Tocantins, 2012. p. 1-7. Disponível em: http://propi.ifto.edu.br/ocs/index.php/connepi/vii/paper/viewFile/4211/1560. Acesso em: 20 mar. 2018.

SILVA, Y. A. et al. Confecção de modelo neuroanatômico funcional como alternativa de ensino e aprendizagem para a disciplina de neuroanatomia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 3, p. 1674-1688, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.21723/riaee.v12.n.3.8502. Acesso em: 18 jun. 2018.

SOARES, B. O. et al. Are corpses the best method for practical anatomy assessment, according to health course students? Journal of Morphological Science, v. 35, n. 1, p. 70-79 2018.

THIRY-CHERQUES, H. R. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de dimensionamento. Revista PMKT. v. 3, n. 4, p. 20-27, 2009.

TOBAR, F.; YALOUR, M. R. Como fazer teses em saúde pública: conselhos e ideias para formular projetos e redigir teses e informes de pesquisa. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.

YAMMINE, K. Evidence-based Anatomy. Clinical Anatomy, v. 27, n. 6, p. 847-852, 2014. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/ca.22397. Acesso em: 18 jun. 2018.

Publicado

02/09/2019

Como Citar

MENEZES, C. T. G.; SILVA JÚNIOR, E. X.; CERQUEIRA, G. S. Percepção de discentes frente ao uso de roteiros de estudo em aulas práticas de neuroanatomia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 4, p. 2244–2259, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i3.11496. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11496. Acesso em: 6 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.