Charge: gênero multimodal no letramento dos estudantes do segundo ciclo da Educação Fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i1.12676

Palavras-chave:

Educação fundamental, Gênero multimodal, Letramento

Resumo

O artigo publiciza resultados de uma pesquisa, realizada no âmbito do Programa de Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS), ofertado na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), campus de Sinop. A abordagem qualitativa pautou-se nos princípios da pesquisa ação e no planejamento de uma Sequência Didática (SD), com o propósito de trabalhar o gênero charge, a fim de motivar os estudantes para a leitura e letramento dos gêneros multimodais. A SD foi trabalhada em uma escola da rede pública, com estudantes do 5º ano da Educação Fundamental. A intervenção docente realizada suscitou debates e compreensões que propiciaram aos estudantes reflexões críticas, decorrentes da apropriação de diferentes níveis de letramentos, por meio do trabalho com o gênero charge.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisângela Renata Tomaz Denardin, Secretaria Municipal de Educação (SME), Lucas do Rio Verde – MT

Professora de Língua Portuguesa. Mestrado em Letras (UNEMAT).

Angela Rita Christofolo de Mello, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Juara – MT

Professora Adjunta na Faculdade de Educação e Ciências Sociais Aplicadas e Professora Permanente no Programa de Pós-Graduação em Letras. Doutorado em Educação (UNIMEP).

Referências

ACERVO O GLOBO. Charges e humor. Disponível em: https://acervo.oglobo.globo.com/charges-e-humor/. Acesso em: 2 abr. 2018.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BAZERMAN, C. Gênero, agência e escrita. Cortez, 2006. 144 p.

BAZERMAN, C. Teoria da ação letrada. Trad. Milton Camargo Mota, Angela Paiva Dionísio e Judith Chamblis Hoffnagel. São Paulo: Parábola, 2015.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa, área de linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/ SEF, 1998.

CHARLON, M. L. P. Os cadernos de campo de Roger Bastide. História: Questões & Debates, v. 53, n. 2, 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v0i53.24118

CHIRLAM. Volta às aulas 2013: charge. Educação. Blog: Informática & Educação = Diversão, 2013. Disponível em: https://chirlamjr.blogspot.com/2013/02/volta-as-aulas-2013-charge-educacao.html?m=0. Acesso em: 2 abr. 2018.

DOZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e para o escrito: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glais Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004.

DOZ, J.; SCHNEUWLY, B. Genres et progression em expression orale et écrite: elements de réflexions à propôs d’une expérience romande. Tradução provisória de Roxane Rojo Emjeux, 1996.

KLEIMAN, A. B. Letramento e suas implicações para o ensino de língua materna. Signo, v. 32, n. 53, p. 1-25, 2007. DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v32i53.242

KOCH, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2006.

MAGALHÃES, A. P. Sentido, história e memória em charges eletrônicas sobre o governo Lula: os domínios do interdiscurso. Orientação: Profa. Dra. Sônia Aparecida LopesBenites. 2006. 246 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual de Maringá, 2006.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo. Parábola editorial, 2008.

ROMUALDO, E. C. Charge jornalística: intertextualidade e polifonia. Maringá: Ed. dá UEM, 2000.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Ed Cortez, 2008.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

Publicado

02/01/2021

Como Citar

DENARDIN, E. R. T.; MELLO, A. R. C. de. Charge: gênero multimodal no letramento dos estudantes do segundo ciclo da Educação Fundamental. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 1, p. 20–36, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i1.12676. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12676. Acesso em: 18 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos