A dimensão estético-trágica do pensamento de Nietzsche e os desafios para a educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15i2.12840

Palavras-chave:

Dimensão Estético-trágica, Educação, EsDimensão estético-trágica, Espírito livre, Nietzsche, Transvaloração de todos os valores.

Resumo

O texto objetiva discutir a dimensão estético-trágica do pensamento de Nietzsche, pois suas ideias são provocativas e vão além do bem e do mal. Ao pensar dessa forma, ele elabora uma crítica ao conhecimento, que não ocorre por meio de uma perspectiva epistemológica, já que a ciência é colocada sob suspeita, pela possibilidade de ocultar o caos em meio à superabundância e escapar do pessimismo. Nietzsche, ao considerar a arte como o eixo central de sua filosofia, propõe a transvaloração dos valores morais. As concepções educacionais que se baseiam exclusivamente na racionalidade pressupõem que o mundo deve ser conhecido e decifrado, já que as dificuldades e os sofrimentos consistem em obstáculos. A educação estético-trágica, por outro lado, propõe que o caos inerente à vida seja considerado como um elemento que potencializa e fortalece o ser humano.

Biografia do Autor

Lucinéia Aparecida Ferreira, Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO), Guarapuava – PR

Mestranda em Educação.

Luciane Neuvald, Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO), Guarapuava – PR

Professora Doutora.

Referências

HARDT, L. S. A educação em Nietzsche e o enfrentamento das totalidades. Revista Educação, Porto Alegre (impresso), v. 36, n. 3, p. 344-351, set./dez. 2013.

MACHADO, R. Nietzsche e a Verdade. 3 ed. rev. Rio de Janeiro/ São Paulo: Editora Paz e Terra, 2017.

NIETZCHE, F. A gaia ciência. 2. ed. São Paulo: Editora Martin Claret, 2003.

NIETZCHE, F. A origem da tragédia. São Paulo: Centauro, 2004.

NIETZCHE, F. Além do Bem e do Mal: prelúdio de uma filosofia do futuro. 3. ed. São Paulo: Editora Escala, 2011.

NIETZSCHE, F. Vontade de Potência. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

SILVA, S. P. da. Pedagogia do Ressentimento: o otimismo nas concepções e nas práticas de ensino. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 92, n. 230, p. 107-125, jan./abr. 2011. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/article/view/2923. Acesso em: 10 abr. 2019.

VIESENTEINER, J. L. O homem como uma somatória unitária de Erlebnisse (vivências) em Nietzsche. Revista Filosofia e Educação: dossiê Nietzsche e a educação, Campinas, v. 6, n. 1, p. 76-94, fev. 2014. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8635386/3179. Acesso em: 15 mar. 2019.

Publicado

20/02/2020

Como Citar

FERREIRA, L. A.; NEUVALD, L. A dimensão estético-trágica do pensamento de Nietzsche e os desafios para a educação. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 2, p. 333–346, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v15i2.12840. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12840. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos