As concepções de educação ambiental dos(as) professores(as) nas Escolas Municipais de Matinhos, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i2.12908

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Formação de professores, Preferências ambientais

Resumo

Este artigo apresenta uma análise das concepções de Educação Ambiental de professores(as) das escolas municipais de Matinhos, no estado do Paraná, Brasil. A pesquisa foi de cunho quantitativo e qualitativo. No primeiro, foi elaborado um questionário, cujas questões se basearam em temas gerais da Educação Ambiental, considerando as relações entre o ser humano e o meio ambiente, em que houve a participação de 51 professores(as). A análise ocorreu através do levantamento estatístico. No segundo, foram realizadas entrevistas com 13 professores(as) que foram transcritas e analisadas através da técnica da Análise Textual Discursiva. Os resultados mostram aspectos preservacionistas/conservacionistas e uma compreensão de interdependência com a natureza, embora sem um grau de aprofundamento significativo. Também mostraram uma valorização do meio ambiente e compreensões das contradições existentes na atualidade, fazendo relações com diferentes áreas do conhecimento. Tais características dos resultados mostram o potencial dos(as) professores(as) em construir novas possibilidades de relacionamento com a natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruth Kellen Catão Chaves, Secretaria Municipal de Educação (SME), Matinhos – PR

Professora na Escola Municipal Wallace Tadeu de Mello e Silva. Mestrado em Rede para o Ensino das Ciências Ambientais (UFPR).

Emerson Joucoski, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Matinhos – PR

Professor do Ensino Básico e Tecnológico. Doutorado em Ciências (USP). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Christiano Nogueira, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Matinhos – PR

Professor no Programa de Pós-Graduação em Rede para o Ensino das Ciências Ambientais. Doutorado em Educação Ambiental (FURG).

Referências

ARDOIN, N. M.; CLARK, C.; KELSEY, E. An exploration of future trends in environmental education research. Environmental Education Research, v. 19, n. 4. 2013.

BOFF, L. Sustentabilidade: o que é e o que não é. Petrópolis, Editora Vozes, 2017.

BRASIL. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Tabelas dos Municípios - Estimativas 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-detalhe-de-midia.html?view=mediaibge&catid=2103&id=2279. Acesso em: 03 ago. 2020.

CANABARRO, C. L.; OLIVEIRA, C. T.; SILVA, M. F. S. Aproximações entre Paulo Freire e Educação Ambiental Emancipatória: uma análise partindo da ética, da estética, da política e da epistemologia. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 23, p. 385-393, jul./dez. 2009. DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v23i0.4567

CAPRA, F. Alfabetização ecológica. São Paulo: Cultrix; 2018.

CARDOSO, D.; CURA, S.; VIANA, W.; QUEIROZ, L.; COSTA, M. Espacialidades e ressonâncias do patrimônio cultural: reflexões sobre identidade e pertencimento. GOT - Revista de Geografia e Ordenamento do Território, Portugal, n. 11, n. 83-98, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.17127/got/2017.11.004

COSTA, C. S.; LOUREIRO, C. F. B. A interdisciplinaridade em Paulo Freire: aproximações político-pedagógicas para a educação ambiental critica. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 20, n. 1, p. 111-121, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1414-49802017.00100013

DIAS, G. F. Educação e gestão ambiental. São Paulo, Gaia, 2017.

DIEGUES, A. C. Territórios e comunidades tradicionais. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SUSTENTÁVEL, 1., 2015, Matinhos. Anais […]. Matinho, PR: Universidade Federal do Paraná, 2015.

GADOTTI, M. Pedagogia da terra. São Paulo: Peirópolis, 2017.

GUIMARÃES, M. Por uma Educação Ambiental Crítica. Revista Margens Interdisciplinar, v. 7, n. 9, 2013.

GUTIÉRREZ, F.; PRADO, C. Ecopedagogia e cidadania planetária. São Paulo: Cortez, 2013.

KEMPA, S. R. Políticas de currículo em Matinhos- PR: a voz dos professores. 2011. 190 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

LAYRAGUES, P. P. Para onde vai a educação ambiental: o cenário político-ideológico da educação ambiental brasileira e os desafios de uma agenda política crítica contra-hegemônica. Revista contemporânea de Educação, v. 7, n. 14, 2012.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez Editora, 2013.

LOUREIRO, C. F. B. Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em Educação Ambiental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 131-152, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302005000400020

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental transformadora. In: LAYRARGUES, P. P. (Coord.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 65-84.

LOUREIRO, C. F. B. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 11 n. 1, p. 53-71, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1981-77462013000100004

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Diretrizes para operacionalização do Programa Nacional de Educação. Brasília: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, 1996.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, Bauru, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132006000100009

MUNHOZ, D. Alfabetização Ecológica: de indivíduos às empresas do século XXI. In: LAYRARGUES, P. P. (Coord.). Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 141-155.

NETO, J. C. F. Projeto Litoral Nota CEM: conhecer para melhorar. Disponível em: http://www.litoralnotacem.com.br/textos.htm. Acesso em: 29 maio 2018.

NOGUEIRA, C. Contradictions in the concept of sustainable development: An analysis in social, economic, and political contexts. Environmental Development, v. 30, p. 129-135, 2019.

PENELUC, M. C., PINHEIRO, B. C. S., MORADILLO E. F. Possíveis confluências filosóficas e pedagógicas entre a educação ambiental crítica e a pedagogia histórico-crítica. Ciência & Educação, Bauru, v. 24, n. 1, p. 157-173, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1516-731320180010011

ROCHA, N. D.; ROCHA, J. M.; HAMMES, L. J. Educação ambiental transformadora: epistemologia e prática educativa. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 2, p. 268-285, 2016. DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v33i2.5707

RUSCHEINSKY, A. Educação Ambiental e Alguns Aportes Metodológicos da Ecopedagogia Para Inovação de Políticas Públicas Urbanas. In: PEDRINI, A. G.; SAITO, C. H. (Org.). Paradigmas Metodológicos em Educação Ambiental. Petrópolis: Editora Vozes, 2014. v. 1, p. 47-59.

SANTOS, J. R. V.; DAUTO, J. O. Sobre análise de conteúdo, análise textual discursiva e análise narrativa: investigando produções escritas em Matemática. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 5., 2012, Petrópolis. Anais […]. Petrópolis, RJ: V SIPEM, 2012

SAUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em educação ambiental. In: SATO, M.; CARVALHO, I. (Org.) Educação Ambiental: pesquisas e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 17-44.

STAHELIN, N.; ACCIOLY, I.; SÁNCHEZ, C. The promise and peril of the state in neoliberal times: implications for the critical environmental education movement in Brazil. Environmental Education Research, v. 21, n. 3, 2015.

TREIN, E. S. An argument for vindicating a Marxist ontology in environmental education research. Environmental Education Research, v. 24, n. 10, p. 1464-1475, 2018.

Publicado

16/09/2020

Como Citar

CHAVES, R. K. C.; JOUCOSKI, E.; NOGUEIRA, C. As concepções de educação ambiental dos(as) professores(as) nas Escolas Municipais de Matinhos, Brasil. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 2, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v16i2.12908. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12908. Acesso em: 9 mar. 2021.