Política da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé, no Amazonas, e as educações no contexto Amazônico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16iesp2.15124

Palavras-chave:

Contexto amazônico, Políticas pública, Educação não formal, Educação formal, Educação informal

Resumo

O artigo apresenta uma parte da pesquisa realizada no Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFAM, no período de 2017 a 2019, intitulada Políticas Públicas e Educação do Campo no Contexto Amazônico: Estudo na RDS do Tupé, na Comunidade de São João – Manaus/AM. Por ser fruto dessa pesquisa, este artigo recebeu o título Política da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé, no Amazonas, e as Educações no Contexto Amazônico, uma vez que faz referência a um dos objetivos específicos do estudo, que é examinar os documentos de criação dessa RDS e suas políticas públicas para educação. Os procedimentos metodológicos se basearam em estudos bibliográficos de vários autores: Brandão (2013), Caldart (2015), Freire (2003), Gohn (2020), Silva (2017), Muller (2019), Pinto (2010), Borges (2015). Também foram analisados os seguintes documentos: Constituição Federal de 1988; LDB n.º 9.394/96; Lei n.º 3.173, de 6 de junho de 1957; Decreto-Lei n.º 288, de 1967; Decreto 8.044/2005, de criação da RDS/SEMMA (04/11/2020); Plano de Gestão (2016). Ao longo do estudo foi possível constar que, nessa RDS, existem três educações: a não formal, a formal e a informal. Os dados obtidos revelam que, apesar da conquista de legislações que tratam das políticas públicas que atendam às comunidades ribeirinhas, no que se refere à educação formal, sobretudo à Educação Básica, a Comunidade de São João do Tupé ainda é atendida apenas por políticas paliativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloísa da Silva Borges, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus – AM

Professora no Departamento de Administração e Planejamento e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (UFAM).

Carlos Augusto da Silva, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus – AM

Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambientes e Sustentabilidade na Amazônia. Doutorado em Sociedade e Cultura na Amazônia (UFAM). Tem bolsa pelo Tribunal de Contas no Projeto que pesquisa sobre patrimônio amazônico.

Riulma Ventura Muller, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus – AM

Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

AGOSTINI, N.; SILVA, L. B. O. Educação e Formação Crítica na Atualidade. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp. 4, p. 1977-1992, dez. 2019. E-ISSN: 1982-5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.4.12922

BORGES, H. S. A política e aspectos legais na formação da educação brasileira. In: BORGES, H. S.; JÚNIOR, W. M. V. (Org.). Educação do Campo e as Políticas Sociais Públicas. Boa Vista: Editora da UFRR, 2015.

BRANDÃO, C. R. O que é Educação. São Paulo: Brasiliense, 2013. (Coleção Primeiros Passos)

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Decreto-Lei n. 288, de 28 de fevereiro de 1967. Altera as disposições da Lei número 3.173 de 6 de junho de 1957 e regula a Zona Franca de Manaus. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p. 2464, 28 fev. 1967.

BRASIL. Lei n. 3.173, de 6 de junho de 1957. Cria uma zona franca na cidade de Manaus, capital do Estado do Amazonas, e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p. 15285, 12 jun. 1957. PL 1310/1951

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, n. 248, p. 27833, 23 dez. 1996. PL 1258/1988

CALDART, R. S. Caminhos para transformação da escola. São Paulo. Editora Expressão Popular, 2015. v. 2.

CARDOSO NETO, O. F.; DE NEZ, E. Plano Municipal de Educação (PME): Valorização e Desafios da Carreira Docente. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. esp. 1, p. 796-809, maio 2020. e-ISSN: 1982-5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp.1.13350

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo. Editora Paz & Terra, 2019.

GOHN, M. G. Educação não formal e cultura política. São Paulo. Editora Cortez, 2020.

LEITE, S. R. M.; CARVALHO, A. B. Indústria Cultural, Currículo e Formação de Professores: A dimensão Ética como articuladora no Processo Pedagógico. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp. 4, p. 1899-1912, dez. 2019. E-ISSN: 1982-5587. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.4.12913

MANAUS. Decreto n. 8.044/2005, de criação da RDS/SEMMA. 2005.

MULLHER, R V. Políticas Públicas na RDS do Tupé: um estudo com base na concepção da educação do campo. Manaus. PPGE/UFAM, 2019.

PINTO, Á. V. Sete lições sobre a educação de adultos. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

PLANO DE GESTÃO RDS do Tupé. SEMMA. Manaus, 2016.

SILVA, C. A. A História das sociedades humanas: interação na área da zona leste de Manaus, Brasil, antes da viagem de Francisco de Orellana. Revista contracorrente, v. 9, 2017.

Publicado

21/05/2021

Como Citar

BORGES, H. da S.; SILVA, C. A. da; MULLER, R. V. Política da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé, no Amazonas, e as educações no contexto Amazônico. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp2, p. 1253–1266, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16iesp2.15124. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15124. Acesso em: 27 set. 2021.