Programa de treinamento para o uso da escrita alternativa: estudo de caso com um jovem com paralisia cerebral

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16iesp.4.16070

Palavras-chave:

Tecnologia assistiva, Recurso de escrita alternativa, Acesso ao computador, Paralisia cerebral, Educação especial

Resumo

Uma das atribuições do professor de educação especial é a implementação e ensino de recursos de Tecnologia Assistiva, portanto, está pesquisa teve como objetivo desenvolver e avaliar um programa de intervenção para um jovem com Paralisia Cerebral que o possibilitasse fazer uso de um recurso de Tecnologia Assistiva para escrita alternativa. Realizou-se um estudo quase experimental de sujeito único do tipo AB, o estudo considerou como Variável Dependente o desempenho de um rapaz de 18 anos com Paralisia Cerebral, em utilizar recursos computacionais para a escrita alternativa e a Variável Independente (VI) foi um programa de intervenção que envolveu o ensino de 13 habilidades que avançavam no grau de dificuldade. Para aferir a aprendizagem do participante utilizou-se quatro tipos de auxilio: Orientação Verbal, Demonstração, Dica Gestual e Ajuda Física. Durante a coleta de dados foram utilizados objetos e recursos para escrita convencional e alternativa; questionário de caracterização do participante; protocolo de registro descritivo e de registro de evento; e filmagens dos encontros. Os resultados mostraram-se positivos quanto aos procedimentos de aplicação do programa realizado pela professora e que o ensino foi eficaz para o alcance da autonomia por parte do participante para escrita alternativa no computador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Rodrigues Santos, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Especial. Docente da Educação Especial da Secretaria de Educação do Maranhão (SEDUC/MA) e da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SMECT).

Gerusa Ferreira Lourenço, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP

Docente do Departamento de Terapia Ocupacional e do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial. Terapeuta Ocupacional. Doutorado em Educação Especial (UFSCAR).

Referências

BRACCIALLI, L. M. P. et al. Acesso ao computador por crianças e jovens com paralisia cerebral. Educação, Formação & Tecnologias, Portugal, v. 9, n. 1, p. 72-84, jan./jun. 2016. Disponível em: http://eft.educom.pt/index.php/eft/article/view/516. Acesso em: 21. jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretária de Educação Especial. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília, DF: MEC; SEESP, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação Inclusiva. Brasília. DF: MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192. Acesso em: 07 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução C n. 04/ 2009/ MEC. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília. DF: MEC, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em 30 set. 2020.

BRASIL. Decreto n. 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 22 set. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF, 2015. Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 22 set. 2020.

COSBY, P. C. Métodos de pesquisa em ciências do comportamento. Trad. Paula Inez Cunha Gomide, Emma Otta. São Paulo: Atlas, 2003. 454 p.

FACHINETTI, T. A; GONÇALVES, A. G; LOURENÇO, G. F. Processo de Construção de Recurso de Tecnologia Assistiva para Aluno com Paralisia Cerebral em Sala de Recursos Multifuncionais. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 23, n. 4, p. 547-562, out./dez., 2017.

GUTIERRES DE QUEIROZ, F. M. M; BRACCIALLI, L. M. P. Funcionalidade de alunos com deficiência física nas atividades de escrita e de uso do computador. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. esp. 2, p. 1267-1286, ago. 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10295. Acesso em: 15 jan. 2021.

KOESTER, H.; SIMPSON, R.; MANKOWSKI, J. Software wizards to adjust keyboard and mouse settings for people with physical impairments. The Journal of Spinal Cord Medicine, v. 36, n. 4, p. 300-312, 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23820146/. Acesso em: 24 maio 2021.

MAN, D. W. K.; WONG, M-S. L. Evaluation of computer-access solutions for students with quadriplegic athetoid cerebral palsy. AJOT: The American Journal of Occupational Therapy, v. 61, p. 335-364, 2007. Disponível em: https://ajot.aota.org/article.aspx?articleid=1866966. Acesso em: 12 fev. 2021.

NORDSTRÖM, T. et al. Assistive technology applications for students with reading difficulties: special education teachers’ experiences and perceptions, Disability and Rehabilitation: Assistive Technology, v. 14, n. 8, p. 798-808, 2019. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30239256/. Acesso em: 13 mar. 2021.

PETRONI, N. N; BOUERI, I. Z; LOURENÇO, G. F. Introdução ao uso do tablete para comunicação alternativa por uma jovem com paralisia cerebral. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 24, n. 3, p. 327-342, jul./set. 2018.

ROCHA, A. N. D; DELIBERATO, D. Tecnologia assistiva para a criança com paralisia cerebral na escola: identificação das necessidades. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 18, n. 1, p. 71-92, jan./mar. 2012.

SAMPAIO, A. A. S. et al. Uma introdução aos delineamentos experimentais de sujeito único. Interação em Psicologia, Curitiba, v. 12, n. 1, p. 151-164, jan./jun. 2008.

SILVA, J. H.; YAMAGUTI, E. T. Revisão sistemática sobre tecnologia assistiva e deficiência física na área da educação. Revista Critica Educativa, Sorocaba, v. 6, p. 1-18, 2020.

SILVA, M. O.; MANZINI, E. J. Avaliação das habilidades motoras de alunos com paralisia cerebral: uso do ASPA-PC. Revista da Sobama, Marília, v. 14, n. 1, p. 9-16, jan./jun. 2013.

SVENSSON, I. et al. Effects of assistive technology for students with reading and writing disabilities. Disability and Rehabilitation: Assistive Technology, v. 16, n. 2, p. 196-208, 2021. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31418305/. Acesso em: 13. mar. 2021.

TEIXEIRA, I. O; GONÇALVES, A. G; AIELO, A. L. R. Ensino do uso de um dispositivo de entrada para computador a um adulto com paralisia cerebral. Revista Educação e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 17, n. 51, p. 374-394, 2020.

Publicado

30/12/2021

Como Citar

SANTOS, J. R.; LOURENÇO, G. F. Programa de treinamento para o uso da escrita alternativa: estudo de caso com um jovem com paralisia cerebral. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp.4, p. 3106–3121, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16iesp.4.16070. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16070. Acesso em: 5 dez. 2023.