Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação como ferramentas de ensino e aprendizagem de deficientes visuais

Uma revisão bibliográfica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.16754

Palavras-chave:

Ensino de Deficientes Visuais, TDIC, Educação

Resumo

Estima-se que existam 314 milhões de pessoas com deficiência visual no mundo. Logo, essa manifestação é classificada como de maior prevalência no Brasil, contemplando um total de 18,8%. Com o desenvolvimento das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC), a tecnologia assistiva vem sendo aplicada em novos ambientes. Esta revisão bibliográfica, de abordagem quantitativa, tem como objetivo compilar estudos desenvolvidos nas últimas décadas sobre a aplicação de TDIC no processo de ensino e aprendizagem de deficientes visuais. Foi aplicada a Estratégia PICo como norteadora da seleção dos artigos. A coleta dos artigos foi realizada por meio da pesquisa nos bancos de dados Google Scholar, Scielo, Periódicos CAPES, Science direct e NCBI. Leitores de telas e protótipos táteis são alguns exemplos de tecnologias desenvolvidas nos estudos encontrados. Com isso, é compreendido que estas TDICs são aplicadas em diversos locais, e que já é uma realidade que vem sendo estudada e colocada em prática com deficientes visuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Victor Alves de Pinho, Universidade Federal do Ceará

Mestrando em Ciências Morfofuncionais, Departamento de Morfologia (UFC).

Renata Souza e Silva , Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em Ciências Morfofuncionais, Departamento de Morfologia (UFC).

Luciana de Lima , Universidade Federal do Ceará

Professora Adjunta da Universidade Federal do Ceará, com lotação no Instituto Universidade Virtual (IUVI).

Gilberto Santos Cerqueira, Universidade Federal do Ceará

Professor Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação e professor do Programa de Pós-graduação em Ciências Morfofuncionais, Departamento de Morfologia (UFC).

Referências

ANDRADE, W. M. et al. Geogebra software applications for math education: an integrative review. International Journal of Development Research, v. 9 n. 11, p. 1–5, 2019. Disponível em: http://www.journalijdr.com/geogebra-software-applications-math-education-integrative-review. Acesso em: 26 nov. 2021.

BALLETTI, C.; BALLARIN, M.; GUERRA, F. 3D printing: State of the art and future perspectives. Journal of Cultural Heritage, v. 26, p. 172–182, 2017. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1296207416301698. Acesso em: 26 nov. 2021.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/20551-pessoas-com-deficiencia.html. Acesso em: 26 nov. 2021.

CARVALHO, L. V. et al. Construction of assistive technology as online course for the blind about hypertension. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 71, n. 4, p. 1970–1976, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/TX6ykDYzL37qg4DkYg7JGGS/?lang=en. Acesso em: 26 nov. 2021.

COSTA, L. C. P. et al. Accessible educational digital book on tablets for people with visual impairment. IEEE Transactions on Consumer Electronics, v. 61, n. 3, p. 271–278, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/282940387_Accessible_Educational_Digital_Book_on_Tablets_for_People_with_Visual_Impairment. Acesso em: 26 nov. 2021.

FERRI, D.; GIANNOUMIS, G. A.; O’SULLIVAN, C. E. Fostering accessible technology and sculpting an inclusive market through regulation. International Review of Law, Computer & Technology, v. 29, n. 2–3, p. 81–87, 2015. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13600869.2015.1055666. Acesso em: 26 nov. 2021.

JAEGER, P. T. Internet Justice: Reconceptualizing the Legal Rights of Persons with Disabilities to Promote Equal Access in the Age of Rapid Technological Change. Review of Disability Studies, v. 9, n. 1, p. 1–24, 2014. Disponível em: https://rdsjournal.org/index.php/journal/article/view/71. Acesso em: 26 nov. 2021.

LEMOS, S. M. A.; FERNANDES, G. P. Uso do aplicativo “Ciência Inclusiva” com estudantes deficientes visuais de escolas públicas de Juazeiro do Norte – CE. Revista Ibero-Americana de Estudos Em Educação, v. 15, n. 1, p. 50–65, 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12314. Acesso em: 26 nov. 2021.

LEÓN VALDEZ, R. B.; GARCÍA LÓPEZ, R. I.; CUEVAS SALAZAR, O. Nível de domínio de Tecnologias de Informação e Comunicação em professores de ensino fundamental privado. Revista Ibero-Americana de Estudos Em Educação, v. 16, n. 1, p. 820-834, 2021. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14917/10541. Acesso em: 26 nov. 2021.

MCCREATH, G.; CUTHBERTSON, J. Using digital technology to improve access to learning. International Congress Series, v. 1282, p. 956–959, 2005. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0531513105009040. Acesso em: 26 nov. 2021.

MENEZES, N. C.; RIBEIRO, S. F. AUDIOLIVRO: an important technological contribution to the visually impaired. Ponto de Acesso, v. 24, n. 2, p. 72–58, 2018. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/81858. Acesso em: 26 nov. 2021.

MOELLER, J. D.; SGANZERLA, M. A. R.; GELLER, M. Math Touch: tecnologia assistiva para o desenvolvimento de conceitos matemáticos básicos. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 6, n. 12, p. 448–469, 2018. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/235. Acesso em: 26 nov. 2021.

O’SULLIVAN, L. et al. A prototype audio-tactile map system with an advanced auditory display. International Journal of Mobile Human Computer Interaction, v. 7, n. 4, p. 53–75, 2015. Disponível em: https://www.igi-global.com/article/a-prototype-audio-tactile-map-system-with-an-advanced-auditory-display/132651. Acesso em: 26 nov. 2021.

PARANÁ. Deficiência Visual. Curitiba: Secretaria da Justiça, 2012Disponível em: https://www.justica.pr.gov.br/Pagina/Deficiencia-Visual Acesso em: 15 dez. 2021

RETORTA, M. S.; CRISTOVÃO, V. L. L. Visually-Impaired Brazilian Students Learning English with Smartphones: Overcoming Limitations. Languages, v. 2, n. 3, p. 12, 2017. Disponível em: https://www.mdpi.com/2226-471X/2/3/12#cite. Acesso em: 26 nov. 2021.

SANTOS, C. M. D. C.; PIMENTA, C. A. D. M.; NOBRE, M. R. C. A estratégia PICO para a construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 15, n. 3, p. 508-511, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rlae/a/CfKNnz8mvSqVjZ37Z77pFsy/?lang=pt. Acesso em: 26 nov. 2021.

SANTOS, C. P. et al. Projeto INFOACESSO- Informática para portadores de deficiência visual. Vivências: Revista Eletrônica de Extensão Da URI, v. 8, n. 14, p. 200–209, 2012. Disponível em: http://www2.reitoria.uri.br/~vivencias/Numero_014/artigos/artigos_vivencias_14/n14_19.pdf. Acesso em: 26 nov. 2021.

SCHNEIDER, C. Disability: A Sociological Introduction. International Sociology, v. 27, n. 2, p. 207–210, 2012. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0268580911427996c?journalCode=issa. Acesso em: 26 nov. 2021.

SINGHAL, R. et al. Design of an Audio Repository for Blind and Visually Impaired: A Case Study. Advances in Intelligent Systems and Computing, v. 702, p. 77–85, 2019. Disponível em: https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-981-13-0680-8_8. Acesso em: 26 nov. 2021.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102–106, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/eins/a/ZQTBkVJZqcWrTT34cXLjtBx/abstract/?lang=pt. Acesso em: 26 nov. 2021.

TRAVIS, C.; MURANO, P. A comparative study of the usability of touch-based and mouse-based interaction. International Journal of Pervasive Computing and Communications, v. 10, n. 1, p. 115–134, 2014. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/IJPCC-01-2014-0015/full/html. Acesso em: 26 nov. 2021.

VASHISTHA, A. et al. Educational content creation and sharing by low-income visually impaired people in India. In: ANNUAL SYMPOSIUM ON COMPUTING FOR DEVELOPMENT, 2014. Proceedings […]. [S. l.: s. n.], 2014. p. 63–71. Disponível em: https://dl.acm.org/doi/abs/10.1145/2674377.2674385. Acesso em: 26 nov. 2021.

VOJTECH, R. Digital Barriers in Educating Students with Visual Impairment. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 217, p. 935–940, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1877042816000835. Acesso em: 26 nov. 2021.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Blindness and visuion impairment. [S. l.]: WHO, 2021. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/blindness-and-visual-impairment. Acesso em: 15 dez. 2021.

Publicado

27/11/2023

Como Citar

PINHO, F. V. A. de; SILVA , R. S. e; LIMA , L. de; CERQUEIRA, G. S. Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação como ferramentas de ensino e aprendizagem de deficientes visuais: Uma revisão bibliográfica. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023108, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.16754. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16754. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos