A identidade das pedagogas formadoras da Rede Municipal de Ensino de Curitiba

Os sentidos das narrativas (auto)biográficas para o desenvolvimento profissional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.17102

Palavras-chave:

Identidade profissional, Pedagogo(a) formador(a), Pesquisa-formação, Narrativas (auto)biográficas, Desenvolvimento profissional

Resumo

Este artigo analisa a identidade profissional do(a) pedagogo(a) formador(a) de Núcleos Regionais de Educação de Curitiba, propõe situar e identificar os desafios pedagógicos, sociais e culturais presentes na sua formação e desenvolvimento profissional. A investigação realizada com oito pedagogas formadoras iniciou com procedimentos da pesquisa qualitativa de André e Gatti (2008) e requisitou a metodologia de narrativas (auto)biográficas, a partir de Josso (2007) e Souza (2014) foi desenvolvida em encontros de pesquisa-formação, com base nos Ateliês Biográficos de Projeto de Delory-Momberger (2006). Na análise da pesquisa, a identidade profissional se apresentou como processo contínuo e dinâmico, de transformação pessoal e profissional, levando em conta os processos culturais das escolas. Destacou-se, nesta dimensão, o sentido do trabalho mediador que desenvolvem com os(as) pedagogos(as) e professores das escolas a que atendem. Emergiram, das análises, referenciais a serem considerados no desenvolvimento profissional das participantes, visando a atuação das pedagogas na escola municipal contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Binotto, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Educação.

Regina Cely de Campos Hagemeyer, Universidade Federal do Paraná

Professora sênior colaboradora do PPGE, na linha de pesquisa: Cultura, Escola e Processos Formativos em Educação. Doutorado em Educação (USP).

Referências

ANDRÉ, M.; GATTI, B. A. Métodos Qualitativos de Pesquisa em Educação no Brasil: Origens e evolução. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO- ALEMÃO DE PESQUISA QUALITATIVA E INTERPRETAÇÃO DE DADOS, 2008, Brasília. Anais [...]. Brasília, DF: Faculdade de Educação da Universidade de Brasília, 2008.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 3, de 21 de fevereiro de 2006. Diretrizes curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. Brasília, DF: MEC, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pcp003_06.pdf. Acesso em: 04 jul. 2022.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 01 de julho de 2015. Diretrizes curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF; MEC, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=136731-rcp002-15-1&category_slug=dezembro-2019-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 04 jul. 2022.

BRZEZINSKI, I. Pedagogo: Delineando Identidade(s). Revista UFG, Goiânia, v. 13, n. 10, p. 120-132, jul. 2011. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48363. Acesso em: 04 jul. 2022.

CURITIBA. Caderno pedagógico: Subsídios à organização do trabalho pedagógico nas escolas da rede municipal de ensino de Curitiba. Curitiba, PR: Prefeitura Municipal; Secretaria Municipal da Educação, 2012.

DELORY-MOMBERGER, C. Formação e socialização: Os ateliês biográficos de projeto. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 359-371, maio/ago. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/GxgXTXCCBkYzdHzbMrbbkpM/?format=html&lang=pt. Acesso em: 02 maio 2020.

DOMINICÉ, P. O processo de formação e alguns dos seus componentes relacionais. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (org.). O método (auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus, 2010.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia como ciência da educação. Campinas, SP: Papirus, 2003.

GIROUX, H. A. Os Professores como Intelectuais. Porto Alegre: Artes médicas,1997.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: Formar-se para a mudança e a incerteza. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

JOSSO, M. C. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Revista Educação. Porto Alegre, v. 3, n. 63, p. 413-438, set./dez. 2007. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/gepiem/files/2008/09/a_tranfor2.pdf. Acesso em: 01 jul. 2022.

JOSSO, M. C. Experiências de vida e formação. 2. ed. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

MARCELO GARCIA, C. Desenvolvimento Profissional: Passado e futuro. Revista das Ciências da Educação, n. 08, p. 7-22, jan./abr. 2009. Disponível em: https://idus.us.es/bitstream/handle/11441/29247/Desenvolvimento_profissional_docente.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 03 jul. 2022.

MARCELO GARCIA, C. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista brasileira de pesquisa sobre formação docente, Belo Horizonte, v. 02, n. 03, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/17. Acesso em: 06 jul. 2022.

NÓVOA, A.; FINGER, M. O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

POOLI, J. P.; FERREIRA. V. M. R. Pedagogos construindo suas identidades: Entre adscrição e escolhas. Educar em Revista, Curitiba, ed. esp., n. 1, p. 19-37, jun. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/zmSqjyP7HfB8F6XxcLL8LNN/abstract/?lang=pt. Acesso em: 12 jul. 2022.

SOUZA, E. C. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Educação, Santa Maria, v. 1, n. 39, p. 39-50, jan./abr. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/11344/pdf. Acesso em: 10 jul. 2022.

VIÑAO FRAGO, A. Culturas escolares, reformas e innovaciones: Entre la tradición y el cambio. (Texto divulgado pelo autor e ainda não publicado), 2000.

Publicado

04/05/2023

Como Citar

BINOTTO, C.; HAGEMEYER, R. C. de C. A identidade das pedagogas formadoras da Rede Municipal de Ensino de Curitiba: Os sentidos das narrativas (auto)biográficas para o desenvolvimento profissional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023023, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.17102. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17102. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos