Trajetórias de vida de docentes negras da Universidade Federal de Uberlândia, MG, Brasil

Experiências com o racismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v19i00.17914

Palavras-chave:

Docentes Negras, Trajetórias de Vida, Racismo, UFU

Resumo

Esse artigo tem como objetivo refletir sobre aspectos das histórias de vida de professoras negras que atuam nos Cursos de Formação de Professores na Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Recorreu, como metodologia, a uma abordagem qualitativa, pois, permite aos pesquisadores(as) estabelecer uma linguagem para expressar suas descobertas sobre determinados fenômenos e processos. Foram entrevistadas sete professoras. Na realização da pesquisa, buscou-se produzir uma investigação centrada na construção da história de vida e profissional cotidiana das docentes mulheres entrevistadas. É um trabalho para performar a subjetividade, para reconhecer mulheres negras, particularmente docentes negras, como protagonistas. As narrativas revelaram as adversidades e preconceitos que as professoras, protagonistas da pesquisa, experienciaram durante a trajetória da vida escolar e/ou acadêmica. Explicitaram o racismo cotidiano vivenciado desde a infância que perpassa a vida escolar e profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Astrogildo Fernandes da Silva Júnior, Universidade Federal de Uberlândia

Professor da Faculdade de Educação (FACED/UFU).

Kelly Cristina Caetano Silva, Prefeitura Municipal de Uberlândia

Professora.

Referências

AKOTIRENE, C. O que é interseccionalidade. Coordenação Djamila Ribeiro. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

ALMEIDA, S. L. Racismo Estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro, São Paulo: Pólen, 2019.

ARRAES, J. Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis. São Paulo: Pólen, 2017.

BENTO, M. A. S. Cidadania em Preto e Branco: discutindo as relações raciais. São Paulo: Editora Ática, 1998.

BRASIL, C. S.; BRITO, F. H. L. O racismo recreativo como política cultural - racismo recreativo. Revista Em Favor de Igualdade Racial, Rio Branco, v. 5, n. 2, p. 112-119, maio/ago. 2022.

FANON, F. Black Skin, White Masks. London: Grove Press, 1967.

GOMES, N. L Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no brasil: uma breve discussão. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº. 10.639/03, Brasília, DF: SECAD, p. 39-61, 2005.

GOMES, N. L. Educação, raça e gênero: relações imersas na alteridade. Cadernos Pagu: raça e gênero. Campinas, SP: Unicamp, v. 6-7, p. 67-82, 1996.

GOMES, N. L. “Mulher Negra que Vi de Perto - o processo de construção da identidade racial de professoras negras”. Mazza Edições. p. 181, 1995.

GROSFOGUEL, R. Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, 2008, p. 115-147.

GROTA, E. C. B. Processos de formação do leitor: relato e análise de quatro histórias de vida. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, 2000.

KILOMBA, G. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Editora Cobogó, 2019.

MOREIRA, A. Racismo recreativo. São Paulo: Pólen, 2019.

MUNANGA, K. Superando o Racismo na Escola. Brasília, DF: Ministério da Educação, p. 62-65, 2005.

SANTOS, I. J.; MATOS, P. M.; FRANÇA, D. X. A raça e o gênero na docência do ensino superior. In: Anais Educon 2020. São Cristóvão, SE, v. 14, n. 10, p. 1-18, set. 2020. Disponivel em: https://www.coloquioeducon.com/. Acesso em: 10 out. 2022.

Publicado

02/04/2024

Como Citar

SILVA JÚNIOR, A. F. da; SILVA, K. C. C. Trajetórias de vida de docentes negras da Universidade Federal de Uberlândia, MG, Brasil: Experiências com o racismo . Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 19, n. 00, p. e024046, 2024. DOI: 10.21723/riaee.v19i00.17914. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17914. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos