Desafios e possibilidades da formação de professores para atuar em escolas do campo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.18776

Palavras-chave:

Licenciaturas em Educação do Campo-UFMG-UFVJM, Educação do Campo, Formação de Professores, Direito à Educação Superior, Protagonismo

Resumo

O artigo apresenta discussões sobre os resultados de nove pesquisas realizadas com estudantes e egressos dos cursos de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal de Minas Gerais e da Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri. A produção de conhecimentos nestes contextos torna-se relevante tendo em vista que os cursos se constituem como experiência pioneira no atendimento às demandas dos movimentos sociais e sindicais campesinos. Foram selecionados trechos de entrevistas que contêm elementos indicadores da repercussão do processo formativo vivenciado nos cursos em tela. Os dados obtidos foram analisados na perspectiva dos três princípios da Educação do Campo: protagonismo dos sujeitos, a luta pela educação como direito; projeto de escola vinculado a um projeto de campo numa perspectiva sustentável e emancipatória. Os resultados demonstram que os estudantes e egressos estão construindo uma compreensão de si mesmos como sujeitos que lutam para conquistar direitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Isabel Antunes-Rocha, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora Titular no Departamento de Ciências Aplicadas à Educação (DECAE), Faculdade de Educação (FaE), UFMG.

Leila de Cássia Faria Alves , Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professora do Instituto de Engenharia, Ciência e Tecnologia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (IECT/UFVJM).

Adriane Cristina de Melo Hunziker, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Educação: Conhecimento e Inclusão Social, FaE/UFMG.

Referências

ANTUNES-ROCHA, M. I. Da cor da terra: representações sociais de professore sobre os alunos no contexto da luta pela terra. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2012.

ANTUNES-ROCHA, M. I.; MARTINS, A. A.; MACHADO, M. Z. V. Tempos e espaços formativos no curso de Licenciatura em Educação do Campo na UFMG. In: ANTUNES-ROCHA, M. I.; MARTINS, M. de F. A.; MARTINS, A. A. (org.). Territórios educativos na Educação do Campo: escola, comunidade e movimentos sociais. 2. ed. Belo Horizonte: Editora Gutemberg, 2012. (Coleção Caminhos da Educação do Campo).

ANTUNES-ROCHA, M. I. Aprender e ensinar na luta pela educação do campo caminhos da indignação e da esperança. 1. ed. Curitiba: Appris; Belo Horizonte, UFMG, 2022.

AQUINO, L. V. Representações Sociais de Educandas e Educandos do Curso de Licenciatura em Educação do Campo sobre a Leitura de Textos Acadêmicos. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2013. 82 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

BENFICA, W. A. A escrita de educando(as) em formação para atuação nas escolas do campo na perspectiva das representações sociais. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2017. 224 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

BRASIL. Decreto n. 7.352, de 04 de novembro de 2010. Institui o Programa Nacional de Educação do Campo (PRONACAMPO). Brasília, DF: MEC, 2010. Disponível: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-de-novembro-de-2010/file. Acesso em: 10 out. 2023.

CARVALHO, C. A. de S. Práticas artísticas dos estudantes do curso de licenciatura em Educação do Campo: um estudo na perspectiva das representações sociais. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2015. 191 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

CARVALHO, C. A. de S. Representações Sociais das Práticas artísticas na atuação de professores do Campo. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2017. 328 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Belo Horizonte, 2017.

DINIZ-MENEZES, L. S. Representações sociais sobre a educação do campo construídas por educandos do curso de licenciatura em educação do campo. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2013. 78 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

GOMES, E. M. Representações Sociais de Escrita de estudantes do Curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFVJM. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2018. 293 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Belo Horizonte. 2018.

GONÇALVES, T. G. G. L; RAHME, M. M. F; ANTUNES-ROCHA, M. I. Tendência das matrículas da educação especial em escolas no campo em Minas Gerais (2007-2017). Interfaces da Educação, [S. l.], v. 9, n. 27, p. 465–488, 2018. DOI: 10.26514/inter. v9i27.2968. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/2968. Acesso em: 19 out. 2023.

HAGE, S. M.; ANTUNES-ROCHA, M. I.; MICHELOTTI, F. Formação em Alternância. In: DIAS, A. P.; et al. (org.). Dicionário de Agroecologia e Educação. São Paulo: Expressão Popular, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz e Expressão Popular, 2021. Disponível em: https://www.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/dicionario_agroecologia_nov.pdf. Acesso em: 19 out. 2023.

KOLLING, E. J.; NERY, I. I. J.; MOLINA, M. C. (org.). Por uma Educação Básica do Campo. São Paulo: Perez, 1999.

MARTINS, J.; LEAL, Á. A. XI Jornada Pedagógica Socioterritorial do LECampo FaE/UFMG: olhares sobre o território camponês e seus sujeitos. Belo Horizonte: FaE/UFMG, 2019.

MOLINA, M. C; ANTUNES-ROCHA, M. I; MARTINS, M. F. A. A produção do conhecimento na licenciatura em Educação do Campo: desafios e possibilidades para o fortalecimento da educação do campo. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, v. 24, e240051, 2019.

MOLINA, M. C; ANTUNES-ROCHA, M. I; MARTINS, M. F. A. Formação em Alternância nos cursos de Licenciatura em Educação do Campo desenvolvidos na UnB e na UFMG: articulando universidade, campo e escola numa perspectiva socio territorial. Revista Brasileira de Educação do Campo, Tocantinópolis, v. 6, e11856, 2021. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/11856/18662. Acesso em: 19 out. 2023.

NUNES, N. D. Representações sociais sobre o campo de professores egressos do curso de licenciatura em educação do campo. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2019. 70 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

RIBEIRO. L. P. Representações Sociais de Educandos do curso de Licenciatura em Educação do Campo sobre a violência. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2016. 237f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SANTOS. E. V. Representações Sociais de egressos da Licenciatura em Educação de Campo da FAE/UFMG sobre o campo. Orientadora: Maria Isabel Antunes-Rocha. 2018. 175f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI (UFVJM). Curso de graduação em Licenciatura em Educação do Campo: Projeto Político Pedagógico. Diamantina, MG: UFVJM, 2018.

Publicado

07/12/2023

Como Citar

ANTUNES-ROCHA, M. I.; ALVES , L. de C. F.; HUNZIKER, A. C. de M. Desafios e possibilidades da formação de professores para atuar em escolas do campo. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023123, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.18776. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/18776. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos