Juventude, escola e mídia: problematizando a (in)acessibilidade das mídias para a construção crítica dos processos de ensino-aprendizagem na rede pública de educação

Diego Mendonça Viana, Paula Brígido Rodrigues, Iago Cavalcante Araújo, Mauro Michel El Khouri, Luciana Lobo Miranda, Veriana de Fátima Rodrigues Colaço

Resumo


Esse trabalho desenvolveu-se a partir da pesquisa intitulada “Adolescência e Juventude: situação de risco e redes de proteção na cidade de Fortaleza”, enfatizando uma amostra de 100 jovens na faixa etária de 14 a 17 anos, de ambos os sexos e que freqüentam o ensino fundamental e médio em escola pública estadual ou municipal, bem como salas do programa de ensino de jovens e adultos (EJA). Os objetivos consistem em: discutir o conceito de juventude com base no perfil dos jovens das escolas analisadas. Como objetivos específicos, pretendemos: debater, de forma sucinta, a função de formação da escola na contemporaneidade, bem como discutir os usos da mídia na escola, problematizando o acesso à Internet para ressignificar alguns pontos dos processos de ensino-aprendizagem. O trabalho empírico foi realizado através de questionários aplicados coletivamente. A análise dos dados foi de caráter quantitativoqualitativo, refinando o banco de dados para ter acesso ao perfil sócio-demográfico, o perfil de atividades que tinham maiores e menores interesses e, por fim, um perfil dos usos da mídia (ênfase para o uso da Internet). Concluímos que as mídias tem uma presença massiva no lazer dos jovens e que estes possuem dificuldades de acesso à internet em território escolar, embora a escola demande seu uso para trabalhos escolares.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v6i1.4797



Direitos autorais 2012 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.