A relação creche-família na visão de professora e mães usuárias de creche

Autores

  • Celi da Costa Silva Bahia UFPA – Universidade Federal do Pará. Faculdade de Educação. Instituto de Ciências da Educação. Guamá – PA – Brasil. 66075-110
  • Celina Maria Colino Magalhães UFPA – Universidade Federal do Pará. Faculdade de Educação. Departamento de Psicologia Experimental. Guamá – PA – Brasil. 66075-110
  • Fernando Augusto Ramos Pontes UFPA – Universidade Federal do Pará. Faculdade de Educação. Departamento de Psicologia Experimental. . Guamá – PA – Brasil. 66075-110

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v6i2.4879

Resumo

Como a família vem compartilhando a educação e a socialização da criança com creches e pré-escolas, estas instituições afetam-se mutuamente. E a relação entre elas delineia oportunidades desenvolvimentais para todos os envolvidos. Este estudo teve por objetivo conhecer as idéias de mães e professoras acerca da relação crechefamília. A pesquisa foi realizada com 16 mães e 10 professoras usuárias de uma creche pertencente à rede municipal da cidade de Belém. Para coleta de dados utilizou-se a técnica do grupo focal. Os dados foram organizados em eixos e os principais resultados apontam que as professoras têm uma visão negativa dos familiares, enquanto as mães têm uma visão positivas das professoras. Quanto à forma e conteúdo da relação, há uma relação bidirecional, pois tanto as professoras quanto os familiares buscam a relação. O conteúdo da relação ultrapassa a solução de problemas imediatos. O tempo destinado para a relação é limitado. Este é apontado como o principal elemento que vem dificultando a promoção da relação da instituição com a família. Desse modo, a relação nesta instituição é limitada e dificulta a ação educativa da creche que necessariamente deve acontecer em parceria com a família.

Downloads

Como Citar

Bahia, C. da C. S., Magalhães, C. M. C., & Pontes, F. A. R. (2012). A relação creche-família na visão de professora e mães usuárias de creche. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 6(2), 151–169. https://doi.org/10.21723/riaee.v6i2.4879

Edição

Seção

Artigos